Escrito por em 9 ago 2011 nas áreas Cinema, Lateral, Programação, Rio de Janeiro

Clássico de Chaplin, que completa 80 anos, será exibido com sua trilha sonora original, executada ao vivo pela Orquestra do Theatro Municipal do Rio de Janeiro.

SERVIÇO

 

Theatro Municipal do Rio de Janeiro
Praça Floriano, s/nº – Centro

Informações: 21 2332 9191

Dias 13 de agosto, às 20h., e 14 de agosto, às 17h.

Ingressos:
Plateia e balcão nobre ……………………………………………  R$    70,00

Balcão superior ……………………………………………………..  R$    50,00
Galeria …………………………………………………………………..  R$     18,00
Frisas e camarotes (6 lugares) ……………………………….  R$  420,00
Desconto de 50% para estudantes e idosos

Vendas na Bilheteria, no site da Ingresso.com ou por telefone:
(21) 4003-2330


Em meio ao surgimento do cinema falado, que ganhava força na virada dos anos 30, Charles Chaplin resistiu à novidade e lançou, há exatos 80 anos, Luzes da Cidade, com recursos sonoros que se limitavam a alguns efeitos e à trilha original, composta por ele próprio. O longa-metragem viria a se tornar um dos mais emblemáticos de sua carreira – considerado por muitos como sua obra-prima – e eleito pela crítica mundial como um dos melhores filmes de todos os tempos.

Theatro Municipal do Rio de Janeiro – vinculado à Secretaria de Estado de Cultura – exibe, pela primeira vez no Brasil, a clássica história de amor entre o vagabundo e a florista acompanhada ao vivo pela Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal, sob a regência do maestro convidado Marcelo Ramos, executando sua trilha sonora original, no segundo concerto da Série Música & Imagem da temporada 2011.

Assim como Metrópolis, de Fritz Lang, que abriu a série em março, escolhemos outro clássico do cinema para que o público de todas as idades possa conferir em tela grande uma obra raramente exibida e ao mesmo tempo apreciar ao vivo sua igualmente inspirada trilha sonora original”, explica a presidente da Fundação TMRJ, Carla Camurati.

Sobre a partitura composta por Chaplin e restaurada em 2004 pelo maestro Timothy Brock, o diretor artístico interino do Theatro Municipal e maestro titular da OSTM, Silvio Viegas analisa: “Contrastando momentos cômicos e líricos, a música de Chaplin – com arranjos sinfônicos de Arthur Johnston, de 1931 – se impõe como um desafio de técnica e expressividade que, por meio de um colorido de ritmos, timbres e melodias, estabelece com eficácia uma inquestionável troca afetiva com o público”.

Exibido em cópia digital, o filme traz um Carlitos apaixonado por uma florista cega, que o confunde com um milionário. Disposto a ajudá-la a restituir a visão, ele se envolve em todo tipo de confusão para conseguir dinheiro para a operação, passando-se por boxeador, lixeiro, e ainda salvando a vida de um milionário, que fica seu amigo apenas quando está bêbado.

O projeto LUZES DA CIDADE tem parceria com a Association Chaplin, em Paris (filme), Bourne Co. Music Publishers, em Nova York (música), Film Philharmonie, em Berlim (suporte técnico) e com o Instituto Plano Cultural, em Brasília (logística).

Marcelo Ramos, regência

Mineiro de São João Del Rey, Marcelo Ramos começou sua carreira como violoncelista da OSESP, de 1994 a 1999, depois de graduar-se bacharel em violoncelo pela UnB, onde estudou com Guerra Vicente. Na sequência, foi regente assistente, regente residente e maestro titular em três diferentes orquestras brasileiras – Brasília, Manaus e Belo Horizonte, respectivamente. Foi o regente titular que mais tempo permaneceu à frente da Orquestra Sinfônica de MG – cinco anos, de 2003 a 2008 – e sob sua direção, a OSMG foi convidada pela primeira vez em sua história a se apresentar no Festival Internacional de Campos do Jordão em 2005.

Neste período, a orquestra ampliou seu repertório realizando média de 64 concertos anuais, abrangendo o período pós-romântico alemão (Strauss, Wagner e Mahler), realizando primeiras audições em MG de obras emblemáticas, inserções de compositores modernos, música de câmera e música popular.

Como convidado, dirigiu a Orquestra Petrobras Sinfônica (RJ), Orquestra Sinfônica da USP, Sinfônica de Porto Alegre, Nacional de Brasília, Sinfônica de Ribeirão Preto, Sinfônica da Bahia, Sinfônica de Campinas, Jazz Sinfônica do Estado de SP, Amazonas Filarmônica, Camerata São Petesburgo e Camerata Fukuda, além da série de música de câmara da OSESP e do Municipal de SP.

Atualmente residindo nos Estados Unidos, Marcelo Ramos acaba de se graduar mestre em regência orquestral pelo Cleveland Institute of Music buy flagyl overnight , onde estudou sob orientação de Carl Topilow. Já a partir do segundo semestre de 2010, iniciou o doutorado em artes e regência orquestral na Ball State University (estado de Indiana), após receber bolsa integral por três anos, resultante dos exames de classificação. Durante o período de mestrado, Marcelo foi também maestro assistente da Cleveland Pops Orchestra além de participar de master classes com Michael Tilson Thomas (San Francisco Symphony), Kenneth Kiesler (University of Michigan), Kurt Masur, David Loebel, Ronald Zollman (Croácia) e Alexander Polistchuk (São Petesburgo).

PROGRAMA

Charles Chaplin
Luzes da Cidade (1931)
– Adaptação: Timothy Brock (2004)

 

http://www.youtube.com/watch?v=12HoC63TMGY&feature=related