Escrito por em 12 jul 2016 nas áreas Curso / Encontro, Festival, Minas Gerais, Música antiga, Música de câmara, Programação

Collegium Musicum Den Haag toca no dia 24 de julho, na abertura do Festival Internacional de MA?sica Colonial Brasileira e MA?sica Antiga de Juiz de Fora.

 

A orquestra barroca Collegium Musicum Den Haag (CMDH) vem pela primeira vez ao Brasil neste mA?s de julho. O grupo abre a 27A? ediA�A?o do Festival Internacional de MA?sica Colonial Brasileira e MA?sica Antiga de Juiz de Fora, em Minas Gerais. Fundado em Haia, na Holanda, em 2006, o CMDH A� hoje uma das principais orquestras barrocas da “nova geraA�A?o” na Europa. Ao longo de uma semana, quatro dos seus solistas vA?o dar cursos de flauta doce, violino barroco, violoncelo barroco, cravo e mA?sica de cA?mara, dentro da sA�rie de oficinas que compA�em o festival.

O CMDH A� formado por mA?sicos especializados em instrumentos de A�poca vindos de todo o mundo. A orquestra apresenta dois concertos gratuitos: na abertura do Festival (24 de julho, A�s 20h, no Cine-Theatro Central), com todos os seus integrantes, em um programa dedicado ao seu 10A? aniversA?rio, com peA�as do primeiro CD, L’Europe RA�unie; e no dia 27 (A�s 20h, no Teatro PrA?-MA?sica/UFJF), em um concerto de mA?sica de cA?mara com os solistas InA?s d’Avena (flauta doce), Cynthia Miller Freivogel (violino barroco), Anton Baba (violoncelo barroco) e Claudio Ribeiro (cravo).

O Collegium Musicum Den Haag foi fundado pelo casal de brasileiros Claudio Ribeiro, cravista e diretor artA�stico, e InA?s da��Avena, flautista doce. Os dois desenvolvem diversos projetos juntos na Europa. AlA�m do concerto do CMDH, o pA?blico juiz-forano do Festival pode conferir a atuaA�A?o do casal em outra formaA�A?o a�� a do Duo Lotus, que se apresenta no dia 29.

 

Os concertos do CMDH

No dia 24, tendo como tema e programa o primeiro CD lanA�ado em 2006, ano de sua fundaA�A?o, o Collegium Musicum Den Haag, faz recital alusivo A� coleA�A?o de concertos de cA?mara Les goA�tsa�?rA�unis, de FranA�ois Couperin, na qual o compositor, quebrando barreiras para seu tempo, uniu os estilos francA?s e italiano, considerados rivais A� A�poca. O programa L’Europe RA�unie apresenta um apanhado da mA?sica barroca europeia a�� daA� a alusA?o A� obra de Couperin, com um sentido mais amplo. TrA?s obras que fizeram parte do primeiro A?lbumA�tambA�m estA?o no programa: Vivaldi (Concerto RV 566), Bach (Concerto BWV 1057, uma transcriA�A?o do Concerto de Brandenburgo n. 4 feita pelo prA?prio autor para ser tocada no seu Collegium Musicum a�� que foi a grande fonte inspiradora para o nome da orquestra) e Rebel (Fantaisie), alA�m de obras pouco conhecidas tanto no Brasil como na Europa: uma sinfonia de Hasse e um concerto de dall’Abaco.

No dia 27, os solistas do CMDH apresentam uma versA?o pocket do concerto do programa L’Europe RA�unie, com obras dos principais compositores barrocos europeus, incluindo um concerto da coleA�A?o Les goA�tsa�?rA�unis. O foco do programa A� nas obras de George Philipp Telemann, que, apesar de ser um compositor alemA?o, tinha um vasto conhecimento e domA�nio de todos os estilos da A�poca e representava muito bem essa ideia de um estilo composicional misto. SerA?o apresentadas duas de suas trioa�?sonatas e uma suA�te de peA�as do Der getreue Musica�?Meister, uma revista musical publicada pelo prA?prio considerado o primeiro periA?dico musical alemA?o, com obras do prA?prio compositor e de colegas como Bach, Zelenka, Pisendel e Weiss.

No dia 29 (A�s 20h, na Igreja Nossa Senhora do RosA?rio, no bairro Granbery), A� a vez do Duo Lotus, formado por Claudio e InA?s hA? 12 anos, com programa igualmente inspirado no tema L’Europe RA�unie, mas desta vez focado no compositor Johann Sebastian Bach. O programa visa mostrar os compositores de diferentes nacionalidades europeias que influenciaram Bach e um de seus principais “sucessores”: seu filho e aluno Carl Philipp Emanuel Bach. Uma obra bastante interessante no programa A� a Sonata para Flauta Doce e Baixo ContA�nuo RV 806, de Vivaldi, recA�m redescoberta em Berlim.

A presenA�a da CMDH nesta ediA�A?o do tradicional evento juiz-forano representa um reencontro para Claudio e InA?s com o Festival do Centro Cultural PrA?-MA?sica/UFJF. “Para nA?s, A� muito significativo participar do evento, pois o Festival foi uma de nossas escolas de mA?sica antiga e uma das plataformas para mim, ainda como estudante, de pA?r em prA?tica minhas ideias de orquestra barroca”, afirma Ribeiro. “Esperamos poder contribuir com essa tradiA�A?o e passar adiante nosso conhecimento e experiA?ncia”.

Duo Lotus

Duo Lotus

 

Collegium Musicum Den Haag

Com formaA�A?o especializada em mA?sica antiga, a orquestra se apresenta exclusivamente com instrumentos de A�poca. O CMDH A� apreciado por sua vitalidade e dinamismo, e tambA�m por alto nA�vel artA�stico e aprofundamento na interpretaA�A?o historicamente informada. Seus mA?sicos sA?o intA�rpretes de destaque no cenA?rio internacional, com grande experiA?ncia adquirida nos mais renomados conjuntos de mA?sica antiga.

A orquestra foi descoberta no Festival de MA?sica Antiga de Utrecht em 2006 por Bernhard Trebuch, da RA?dio AustrA�aca ORF1, com quem dois CDs foram gravados (selo Edition Alte Musik). O primeiro A?lbum, La��Europe RA�unie, foi lanA�ado em outubro de 2007 e recebeu A?timas crA�ticas de importantes revistas especializadas, como Fanfare, Tijdschrift Oude Muziek e Pizzicato. Um novo CD, dedicado a C. P. E. Bach e o estilo Empfindsam, foi lanA�ado mundialmente em 2015.

O CMDH se inspira nos Collegia Musica do passado. Como naquelas associaA�A�es, a programaA�A?o A� bastante variada, mas com o objetivo de trazer o repertA?rio barroco para uma perspectiva mais moderna e contextualizada. O CMDH escolheu se concentrar em trA?s pontos principais: redescobrir os mestres jA? conhecidos, reapresentar obras desconhecidas do pA?blico moderno e homenagear a heranA�a cultural barroca dos PaA�ses Baixos.

O Collegium Musicum Den Haag A� formado por Cynthia Miller Freivogel, Diana Lee, Daniel Boothe, YotamGaton, Agnieszka Papierska e Ryuko Reid (violinos barrocos), Zdenka Prochazkova (viola barroca), Anton Baba (violoncelo barroco), Silvia Jimenez Soriano (contrabaixo barroco), InA?s da��Avena (flauta doce), Isabel Favilla (flauta doce e fagote barroco), PA�ter TA?bori e Robert de Bree (oboA�s barrocos), Giulio Quirici (teorba) e Claudio Ribeiro (cravo e direA�A?o artA�stica).

Collegium Musicum Den Haag (Foto de Berbera van den Hoek)

Collegium Musicum Den Haag (Foto de Berbera van den Hoek)

 

Sobre o Festival

O Festival Internacional de MA?sica Colonial Brasileira e MA?sica Antiga, realizado pelo Centro Cultural PrA?-MA?sica/UFJF, chega em 2016 A� sua 27A? ediA�A?o. Sediado na cidade mineira de Juiz de Fora de 24 a 31 de julho, o evento, um dos mais conceituados do paA�s, apresenta novamente o formato reduzido implantado na ediA�A?o anterior, concentrando a maioria de suas atividades artA�stico-pedagA?gicas na A?rea da mA?sica antiga.

Marcelo Fagerlande

Marcelo Fagerlande

AlA�m do Collegium Musicum Den Haag, participam do Festival o Coro de CA?mera Pro-Arte, que tambA�m faz apresentaA�A?o especial comemorando seus 40 anos de atividades, e ainda um concerto solo de forte-piano. Para o encerramento, Marcelo Fagerlande, um dos maiores cravistas brasileiros, apresentarA? As Quatro EstaA�A�es do compositor francA?s Joseph Boismortier em um espetA?culo com ambientaA�A?o em vA�deo, contando com um seleto trio de instrumentistas e os cantores Marilia Vargas e Marcelo Coutinho.

A ediA�A?o conta ainda com apresentaA�A�es do Coral PrA?-MA?sica na Biblioteca Redentorista, anexa A� Igreja da GlA?ria, e da Orquestra SinfA?nica PrA?-MA?sica, na PraA�a CA�vica da UFJF, integrando a programaA�A?o da segunda ediA�A?o do projeto Som Aberto.

Todos os concertos do Festival sA?o gratuitos e abertos ao pA?blico, sem necessidade de apresentaA�A?o de convites. Uma hora antes dos concertos noturnos, o professor e crA�tico musical Rodolfo Valverde, da UFJF, faz palestras com comentA?rios didA?ticos sobre os programas nos locais das apresentaA�A�es: “Em cerca de 20 ou 30 minutos, serA?o abordadas as caracterA�sticas musicais e as circunstA?ncias histA?ricas das obras que serA?o executadas e, posteriormente, os ouvintes poderA?o fazer perguntas”, informa Valverde.

Desde 1997, o Festival de MA?sica Colonial Brasileira e MA?sica Antiga integra o calendA?rio oficial de Juiz de Fora. Em 2009, o evento foi tombado como bem cultural de natureza imaterial, em reconhecimento A� sua contA�nua e profA�cua contribuiA�A?o para o resgate e a divulgaA�A?o da mA?sica colonial no Brasil.

 

Oficinas

Pedro Persone

Pedro Persone

OA�27A? Festival Internacional de MA?sica Colonial Brasileira e MA?sica Antiga oferece onze oficinas, que ocorrem de 25 a 30 de julho, no campus do Instituto de Artes e Design (IAD). MA?sicos e estudantes podem aprimorar tA�cnica e conhecimentos musicais por meio de oficinas de instrumentos antigos e de canto, de danA�a barroca e de educaA�A?o musical. AlA�m dos cursos de violino barroco, violoncelo barroco, viola da gamba, flauta doce, instrumentos histA?ricos de cordas dedilhadas e cravo, ministrados por professores brasileiros e estrangeiros com destaque no cenA?rio musical nacional e internacional, ressalta-se o curso de fortepiano, rara oportunidade, que ficarA? a cargo do fortepianista e cravista Pedro Persone.

Os interessados em participar podem se inscrever pelo do site do evento. Todos os alunos inscritos em uma oficina de instrumento sA?o automaticamente inscritos na oficina de mA?sica de cA?mara. Se for de interesse, o aluno tambA�m tem a opA�A?o de se inscrever na oficina de danA�as barrocas, ministrada por Osny Fonseca online e aberta a mA?sicos familiarizados com a mA?sica barroca e a bailarinos em geral.

 

Encontro de Musicologia HistA?rica

Paralelamente A� programaA�A?o do 27A? Festival de MA?sica Colonial Brasileira e MA?sica Antiga, ocorrem oficinas e o 11A? Encontro de Musicologia HistA?rica a�� Do colonial A� Belle A�poque a�� contribuiA�A�es para o conhecimento da musicologia luso-brasileira, que ocorre nos dias 21 e 22 de julho no IAD.

A temA?tica proposta abrange um perA�odo da histA?ria da mA?sica brasileira “costumeiramente tratado de forma seccionada e isolada”: os perA�odos colonial, imperial e a Primeira RepA?blica. O encontro busca romper com esse problema, estimulando pesquisas que demonstrem as “interpenetraA�A�es e influA?ncias que inevitavelmente ocorrem entre A�pocas cronologicamente prA?ximas” e, sobretudo, “contribuiA�A�es que, ao abordarem os perA�odos histA?ricos propostos, contribuam para o estabelecimento de uma musicologia luso-brasileira”.

David Cranmer

David Cranmer

AlA�m das comunicaA�A�es de trabalhos, serA?o realizadas trA?s mesas-redondas, com a participaA�A?o de especialistas nacionais e estrangeiros, como o musicA?logo e organista inglA?s Buy David Cranmer, docente da Universidade Nova de Lisboa, que participarA? da mesa-redonda A construA�A?o de uma musicologia luso-brasileira: resultados e perspectivas, no dia 21, ao lado do professor e pesquisador do Instituto de Artes da Unesp Paulo Castagna, coordenador de projetos musicolA?gicos em SA?o Paulo e Minas Gerais.

No dia 22, ocorrem duas mesas-redondas: O modernismo eclA�tico da Belle A�poque musical, com o professor online Alberto Pacheco, da UFRJ, e o pesquisador Manoel Aranha Correa do Lago, da Academia Brasileira de MA?sica; e O lA? e cA? no sA�culo 19: o legado da circularidade, com os professores Carlos Alberto Figueiredo, da UniRio, e Lutero Rodrigues, da Unesp.

As inscriA�A�es para os interessados em participar do Encontro de Musicologia HistA?rica podemA�ser feitas atA� o dia 15 de julho, por meioA�de preenchimento do formulA?rio disponA�vel no site do evento Buy . A entrada A� gratuita para ouvintes. Para receber certificado de participaA�A?o, os ouvintes devem pagar a taxa de inscriA�A?o de R$ 20. JA? para os participantes com comunicaA�A?o aprovada no Encontro, a taxa A� de R$ 50.

 

ProgramaA�A?o doA�27A? Festival de MA?sica Colonial Brasileira e MA?sica Antiga

Concertos noturnos

24 de julho, domingo, A�s 20h | Cine-Theatro Central | Collegium Musicum Den Haag

25 de julho, segunda-feira, A�s 20h | Igreja Nossa Senhora do RosA?rio | Concerto de fagote, violoncelo e teorba

26 de julho, terA�a-feira, A�s 20h | Capela Senhor dos Passos (Santa Casa) |A�Coro AcadA?mico da UFJF

27 de julho, quarta-feira, A�s 20h | Teatro PrA?-MA?sica/UFJF | Solistas do Collegium Musicum Den Haag

28 de julho, quinta-feira, A�s 20h | MAMM | Pedro Persone, fortepiano

29 de julho, sexta-feira, A�s 20h | Igreja Nossa Senhora do RosA?rio | Duo Lotus (InA?s da��Avena, flauta doce; Claudio Ribeiro, cravo)

30 de julho, sA?bado, A�s 20h | Igreja Nossa Senhora do RosA?rio | belise pharmacy Coro de CA?mera PrA?-Arte

31 de julho, domingo, A�s 20h | Cine-Theatro Central | Concerto de encerramento: As Quatro EstaA�A�es, de Boismortier, com Marcelo Fagerlande (cravo), MarA�lia Vargas Purchase (soprano) e Marcelo Coutinho (barA�tono)

 

Concertos vespertinos

29 de julho, sexta-feira, 18h | Biblioteca Redentorista | Coral PrA?-MA?sica

30 de julho, sA?bado, A�s 17h | PraA�a CA�vica | Orquestra SinfA?nica PrA?-MA?sica, integrando a programaA�A?o do evento Som Aberto

 

Concerto em Governador Valadares

23 de julho, sA?bado, A�s 19h30 | 1A? Igreja Batista de Governador Valadares | Coral PrA?-MA?sica

 

Oficinas Cheap

Cravo, com Claudio Ribeiro (Holanda/Brasil) | 25 a 30 de julho, das 9h A�s 12h | Instituto de Artes e Design/UFJF

Fortepiano, com Pedro Persone (Brasil) | 25 a 30 de julho, das 9h A�s 12h | Instituto de Artes e Design/UFJF

Flauta doce, com InA?s da��Avena (Holanda/Brasil) | 25 a 30 de julho, das 9h A�s 12h | Instituto de Artes e Design/UFJF

Canto, com a soprano Veruschka Mainhard (Brasil) | 25 a 30 de julho, das 9h A�s 12h | Instituto de Artes e Design/UFJF

Violino barroco, com Cynthia Freivogel (Holanda) | 25 a 30 de julho, das 9h A�s 12h | Instituto de Artes e Design/UFJF

Violoncelo barroco, com Anton Baba (Holanda/AustrA?lia) | 25 a 30 de julho, das 9h A�s 12h | Instituto de Artes e Design/UFJF

Instrumentos histA?ricos de cordas dedilhadas, com Nicolas de Souza Barros Buy (Brasil) | 25 a 30 de julho, das 9h A�s 12h | Instituto de Artes e Design/UFJF

Viola da gamba, com Cecilia Aprigliano (Brasil) | 25 a 30 de julho, das 9h A�s 12h | Instituto de Artes e Design/UFJF

MA?sica de cA?mara, com Claudio Ribeiro (Holanda/Brasil) | 25 a 30 de julho, das 16h A�s 18h | Instituto de Artes e Design/UFJF

DanA�as barrocas, com Osny Fonseca (Brasil) | 25 a 30 de julho, das 13h30 A�s 15h30 | Instituto de Artes e Design/UFJF

MA?sica pela Estrada Real a�� educaA�A?o musical, com CecA�lia Cavalieri FranA�a (Brasil) | 23 e 24 de julho, das 9h A�s 12h30 e das 14h A�s 17h30 | Instituto de Artes e Design/UFJF

 d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);} else {

Faça seu comentário