Escrito por em 12 set 2016 nas áreas Biblioteca, Lateral

Áurea Gomes é considerada uma das principais sopranos “verdianas” de sua época.

A?urea Gomes em "Cavalleria Rusticana"

Áurea Gomes em “Cavalleria Rusticana”

Nascida na cidade de Niterói, Rio de Janeiro, é filha única de uma família de classe média alta, Áurea Gomes foi educada com toda formação exigente de uma família tradicional. Aos 14 anos de idade, começou seu interesse pela música lírica ao ouvir junto a seu pai a ária Cielo e Mar da ópera La Gioconda, de Amilcare Ponchielli, na voz do grande tenor sueco Jussi Bjorling. Esse costume de ouvir ópera em sua casa foi determinante para sua escolha futura.

Seus pais, ao notarem seu interesse pela música, colocaram-na para estudar Piano e Canto no Conservatório Brasileiro de Música. Seu contato mais definitivo com a arte Lírica foi através do Teatro de ópera de Niterói, onde recebeu orientações da Professora Consuelo Savastano. Seu desempenho resultou na montagem da ópera La Traviata, de Verdi, encenada no Teatro Municipal de Niterói sob regência do maestro italiano André Vivante. Naquele momento, Áurea tomou uma decisão que iria mudar sua vida para sempre: estudar Canto na Itália.

Lá, estudou Canto no Conservatório Giuseppe Verdi na cidade de Milão com o renomado maestro Ettore Campogagliani, aperfeiçoando-se na Academia do Teatro Alla Scalla de Milão com o maestro Renato Pastorino. Sua estreia como profissional foi na antiga Tchecoslováquia, no Teatro de ópera de Brno, nas óperas Il Trovatore e Otello, de Verdi.

A?urea Gomes em "Cavalleria Rusticana"

Áurea Gomes em “Cavalleria Rusticana”

Sua estreia na Itália foi no Teatro Comunale de Reggio Emilia, na ópera Francesca da Rimini, de Ricardo Zandonai, como prêmio de vencedora do famoso concurso Internacional Achille Peri, mesmo concurso que revelou Luciano Pavaroti. Foi finalista também do concurso Vozes Verdianas da Radio Televisiva Italiana (RAI), gravando em seguida a ópera Un Ballo in Maschera  para a própria RAI.

Áurea Gomes teve um vasto êxito em diversos concursos quer participando sempre ou conquistando o primeiro lugar como Voz verdiana em Busseto, Lonigo, Enna e Merano. Fez turnê nos Teatros Emilianos (Reggio Emilia, Parma, Modena e Ferrara) com a ópera Francesca da Rimini e cantou ao lado de José Carreras a ópera Un Ballo in Maschera no Teatro Comunal de Modena.

Fez concurso para Academia do Scala com um total de 67 candidatos. Foram aprovados somente três: Áurea, Ghena Dimitrova e o tenor Max Renê Cossotti. Durante sua vida de cantora internacional, esteve várias vezes na América do Sul, tendo cantado no Teatro Colón de Buenos Aires, a ópera Catarina Cornaro, de Donizetti.

No Brasil, cantou várias vezes no Theatro Municipal do Rio de Janeiro as seguintes obras: Messa da Requiem, de Verdi, com regência de Romano Gandolfi; Il Guarany, de Carlos Gomes, com direção de Sérgio Brito e regência de Mário Tavares;  Yerma, de Villa-Lobos, com direção cênica de Adolfo Celi e regência de Mário Tavares; La Traviata, de Verdi, com direção de Franco Zefirelli e regência de Romano Gandolfi; Nabucco e Aída, de Verdi, com regência do maestro Isaac Karabtchevsky. Em São Paulo, fez Madama Buterfly, com direção cênica de Tomie Ohtake e regência de Karabtchevsky.

Áurea, fora dos palcos, se dedica a ministrar aulas de canto e masterclasses, revelando grandes talentos para o mundo da ópera.

 

Trazemos aqui duas gravações de que Áurea Gomes participa. Vale a pena acessar e ouvir esta artista brasileira tão significativa.

 

Verdi – Nabucco – Dueto: Donna, chi sei… – Teatro Regio Torino – 1975
Áurea Gomes e Francesco Molinari Pradelli

 

 

Carlos Gomes – Il Guarany – Teatro Municipal do Rio de Janeiro – 1980
Áurea Gomes e outros artistas

 

Faça seu comentário