Escrito por em 19 abr 2017 nas áreas Lateral, Minas Gerais, Música de câmara, Programação

Programa  integralmente dedicado ao Classicismo, com obras de Mozart e Haydn.


Com um programa integralmente dedicado ao Classicismo, a Orquestra de Câmara SesiMinas dá sequência à Temporada 2017, dentro da série Sempre às Quartas. Inaugurada em março com um repertório que homenageou Beethoven, a temporada prossegue contemplando dois de seus mais ilustres antecessores: Mozart e Haydn. Sob regência do maestro Marco Antônio Maia Drumond, o esplendor do rococó vivido pelos austríacos na segunda metade do séc. 18 será revisitado pela Orquestra. O concerto, será realizado no dia 26 de abril, às 20h, na Sala Minas Gerais, em Belo Horizonte, e contará com a participação do pianista Maurício Veloso.

A Temporada 2017 da Orquestra de Câmara SesiMinas integra as comemorações dos 70 anos do Sesi MG e contempla oito concertos, todos realizados sempre às quartas-feiras com a participação de solistas e regentes de nível internacional, como o percussionista Rafael Alberto, principal percussão da Filarmônica de Minas Gerais, o duo de piano Celina Szrvinsk e Miguel Rosselini, e os maestros João Carlos Martins, Jaroslaw Lipke e Michael Rein.

 

PROGRAMA:

W. A. Mozart
Adágio e Fuga em dó menor

A Fuga teria sido escrita em sua forma original para dois pianos, em 1783. Cinco anos mais tarde ela ganharia, pelas mãos do próprio autor, nova instrumentação com o acréscimo do belíssimo Adágio que a antecede.

Joseph Haydn
Sinfonia nº 55 em mi bemol maior

Embora não conste nos manuscritos do autor, a obra recebeu, no início do sec. XIX o sugestivo nome de Sinfonia do Mestre-escola. Alguns musicólogos sugerem que o ritmo pontilhado predominante no segundo movimento lembra os gestos de um velho professor batendo com o indicador nas antigas lousas.

W. A. Mozart
Concerto n. 17 para piano e orquestra em sol maior (KV 453)   
Maurício Veloso – piano

A peça foi escrita em 1784, mas não se sabe ao certo quem a estreou. Alguns musicólogos atribuem sua primeira execução à Barbara Ployer, aluna do compositor, dois meses após a conclusão do seu trabalho.

 

Maurício Veloso (foto de Rodrigo Queiroz)

Maurício Veloso – piano

Bacharel em Música/Piano pela Escola de Música da UFMG, Mestre em Piano pela Escola de Música da UFRJ, e Doutor em Música/Piano pela Indiana University School of Music (EUA), Maurício Veloso tem se apresentado frequentemente como solista e camerista em diversas séries e salas de concerto do Brasil e exterior. Trabalhou sob orientação dos pianistas Lucas Bretas, Maria Lígia Becker, Sônia Goulart, Michel Block e Leonard Hokanson, entre outros.

Em 1993, aprovado em primeiro lugar em concurso, passou a integrar o corpo docente da Escola de Música da UFMG, em Belo Horizonte.  Seu trabalho com a flautista Militza Franco e Souza resultou na gravação do CD Duo Instrumentalis, em 2012, além de ter gravado também para o CD 100 anos de Arthur Bosmans, lançado pela Escola de Música da UFMG.

Maurício tem se apresentado nas mais importantes séries e salas de concerto da capital mineira, como Concerto às 18:45 e Concertos Didáticos no Conservatório UFMG, Manhãs Musicais na Fundação de Educação Artística e como solista junto à Orquestra Sinfônica da Escola de Música da UFMG e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais, além de diversas apresentações em outras cidades brasileiras (Uberlândia, Campinas, Porto Alegre, Florianópolis, Rio de Janeiro, Goiânia, entre outras) e exterior (EUA, Canadá e Portugal). Professores e concertistas internacionais se referem a Maurício Veloso como “formidável pianista e artista” (Stéphan Sylvestre), “um sincero e verdadeiro artista” (Michel Block) e “um verdadeiro artista e refinado pianista, que merece ser ouvido” (Leonard Hokanson).

 

Marco Antônio Maia Drumond – regência

Nascido em Belo Horizonte, começou a estudar música, aos cinco anos de idade, com a educadora Célia Flores Nava. Em 1960, ingressou no curso fundamental de violino da Universidade Mineira de Arte – hoje, Escola de Música da Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG) –, onde frequentou a classe do professor Gabor Buza. Em 1974, foi admitido no curso de graduação em Regência da Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), estudando sob a orientação do maestro Arthur Bosmans. Paralelamente, continuou o curso de violino com seu antigo professor.

Em 1981, obteve bolsa do governo polonês e seguiu para Varsóvia, onde realizou curso de pós-graduação em regência sinfônica e operística na Academia de Música Frederyk Chopin, estudando sob a orientação do maestro Henryk Czyz. Em 1983, em Weimar, frequentou curso de regência sinfônica com o maestro Kurt Mazur. De volta ao Brasil, assumiu, em 1986, a direção artística do Madrigal Renascentista e organizou a Orquestra de Câmara Sesiminas, da qual é regente até os dias hoje. Retornou à Polônia em duas oportunidades para dirigir orquestras como as Filarmônicas de Walbrzych (1986) e de Szczeczyn (1992).

 

Orquestra de Câmara SesiMinas

Com 30 anos de existência, a Orquestra de Câmara SesiMinas foi fundada por Nansen Araújo, que foi presidente da FIEMG. Com o objetivo maior de garantir o acesso ao repertório camerístico de qualidade ao trabalhador da indústria mineira e seus dependentes, a Orquestra já conta com mais de 1100 concertos realizados em locais que vão de pátios de fábricas, passando por hospitais e escolas, chegando às melhores salas de concertos não só da capital, mas também do interior de Minas.

Em sua trajetória, a Orquestra de Câmara Sesiminas pôde atuar junto a solistas renomados como Nelson Freire, Antônio Menezes, Arthur Moreira Lima e Duo Assad. No campo da música popular, artistas como Milton Nascimento, Vander Lee, Maria Gadu, Diogo Nogueira, e grupos como Skank e Jota Quest também puderam integrar sua rica programação.

 

SERVIÇO:

 

Orquestra de Câmara SesiMinas

Maurício Veloso, piano

Marco Antônio Maia Drumond, regência

 

26 de abril, quarta-feira, às 20h

Sala Minas Gerais (Rua Tenente Brito Melo, 1.090, Barro Preto – Belo Horizonte)

 

Ingressos: R$ 30,com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos, e 20% de desconto mediante apresentação do crachá funcional

 

Faça seu comentário