Escrito por em 28 ago 2017 nas áreas Notícia, Ópera

Composição de João Guilherme Ripper é a primeira ópera brasileira no Teatro Colón.

João Guilherme Ripper

Pela primeira vez em 109 anos de existência o Teatro Colón, de Buenos Aires, encenará uma ópera de um compositor brasileiro: Piedade, de João Guilherme Ripper, tem quatro récitas nos dias 2, 3, 8 e 9 de setembro, dentro da série Ópera de Câmara, que tem curadoria de Marcelo Lombardero.

Piedade, baseada no trágico triângulo amoroso entre Euclides de Cunha, sua esposa Anna e o jovem cadete Dilermando de Assis, tem regência do maestro Federico Victor Sardella e direção cênica de Diego Ernesto Rodriguez.

Laura Pisani

A soprano Laura Pisani canta o papel de Anna da Cunha, o barítono Sebastián Angulegui interpreta o escritor Euclides da Cunha e o tenor Sebastián Russo vive Dilermando de Assis.

Para a temporada no Teatro Colón, Ripper rescreveu a instrumentação sinfônica original reduzindo-a para um efetivo de 13 músicos. Dentre os instrumentos que fazem parte do ensemble, o violão desempenha um papel de destaque. As quatro cenas da ópera são introduzidas por prelúdios escritos para o instrumento, que acompanham poemas de Euclides da Cunha e de Ripper. Na última cena, Dilermando canta a ária-seresta Quando a manhã me desperta acompanhando-se ao violão.

Além de Piedade em Buenos Aires, Ripper também terá a estreia de Duplum – obra para dois violoncelos e orquestra. Dedicada ao Duo Santoro, Paulo e Ricardo serão os solistas, acompanhados pela Orquestra Sinfônica Nacional da UFF, regida pelo maestro Tobias Volkmann, no domingo, dia 17 de setembro, às 10h30 no Cine-Teatro UFF.

Foto do post: Diego Ernesto Rodriguez

 

Faça seu comentário