Escrito por em 10 set 2017 nas áreas Distrito Federal, Música sinfônica, Programação

Orquestra Capital Philharmonia realiza, em Brasília, o segundo concerto da série.

 

A Orquestra Capital Philharmonia promove, no dia 14 de setembro, às 19h30, no Teatro dos Bancários, em Brasília, o segundo concerto da série Ciclo Sinfônico em homenagem ao compositor alemão Felix Mendelssohn Bartholdy. As próximas apresentações em homenagem ao compositor ocorrem nos dias 27 de setembro e 19 de outubro. A regência é do maestro Artur Soares.

Neste segundo concerto, os amantes da música clássica e admiradores da obra de Mendelssohn podem conferir a Sinfonia n. 5 em ré menor/maior, conhecida como Sinfonia da Reforma; a Abertura Ruy Blas e a Sinfonia para cordas n. 8, executada pela primeira vez no Brasil em versão para orquestra.

No dia 27 será a vez da orquestra apresentar a Sinfonia n. 4 em lá maior (Italiana) e aberturas As Hébridas, Mar Calmo e Viagem Próspera e A Bela Melusina. Para finalizar o ciclo de concertos, no dia 19 de outubro, será executada a Sinfonia n. 3 em lá menor (Escocesa) e o Concerto para violino em mi menor, que contará com o solo do violinista peruano Ivan Quintana, spalla da orquestra.

A ideia de fazer uma série de concertos de obras de um mesmo compositor já estava há algum tempo na cabeça do maestro Artur, fundador e regente da Philharmonia desde 2012 e que, desde então, tem se apresentado à frente da orquestra em concertos sinfônicos com obras de compositores como Beethoven, Liszt e Tchaikovsky, entre outros. “Acho que essa será uma oportunidade única para o público brasiliense apreciar, através de uma série, o conjunto de obras de um mesmo compositor e dessa forma analisar essas peças em conjunto e não separadamente como acontece, normalmente”, afirma o maestro, que tem o sonho de que esse projeto possa acontecer anualmente sempre dedicado a um compositor diferente. A escolha de Mendelssohn para a estreia teve alguns motivos, entre eles o fato de ser um compositor que se adapta ao tipo de orquestras menores, como é o caso da Philharmonia, composta por 35 músicos, e também por ser o ano em que se completam 170 anos de falecimento do compositor alemão.


Orquestra Capital Philharmonia

Fundada em 2012 pelo maestro Artur Soares, a orquestra composta por jovens solistas surgiu para a apresentação da ópera Don Giovanni, de Mozart, e tem se apresentado em concertos sinfônicos e óperas acompanhando solistas como o pianista André Kacowicz, o trompetista Marcelo Arantes e as violinistas Samara Bley e Janaína Fernandes. Recentemente se apresentou na montagem da ópera Fidélio de Beethoven, na Escola de Música de Brasília.

 

Maestro Artur Soares

Artur Soares

O maestro Artur Soares começou os seus estudos de música na Escola de Música de Brasília em 1994, onde estudou teoria e piano até 1998 com a professora Valéria Pacheco. É compositor e entre as suas obras destacam-se uma sinfonia, concertos, músicas corais e também para grupos de câmara. Recentemente compôs um Salmo em ocasião do jubileu de prata do Coro Sinfônico Comunitário da UnB.

Em 2006, começou aulas de regência com o maestro Emílio de César, com quem trabalhou como assistente e correpetidor no Coral Brasília. Participou de masterclasses de regência com professores como os maestros Stojan Kuret, em regência coral, e, em regência orquestral, com Ricardo Rocha, no 34o, 36o e 37o CIVEBRA, Roberto Paternostro, em Berlim (Alemanha) e com Kenneth Kiesler em Berlim e no Retiro de Regentes de Medomak (EUA).

Em 2012, fundou a orquestra Capital Philharmonia da qual é regente. Já apresentou, com o grupo Vox Dei Brasília, a cantata Membra Jesu Nostri, de Buxtehude, o Glória, de Vivaldi, e o espetáculo O Cortiço – uma metamorfose lírica. Foi diretor musical do projeto de extensão da UnB Ópera Estúdio, que apresentou as óperas Così Fan Tutte, de Mozart, Don Pasquale, de Donizetti, e um programa de gala lírica.


Ivan Quintana

O violinista peruano Ivan Quintana é formado no Conservatório Superior de Música de Lima, bachalerado na UFRJ e mestrado na UFG. Foi aluno de Ruggiero Ricci no 92 Internationale Sommerakademie Mozarteum Salzburg na Austria. Participou do XLIV Concorso Internazionale di Violino Premio Paganini, em Gênova, na Itália, e foi músico da Osesp e da OSB, e foi spalla da Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, da Orquestra Filarmônica de Lima e da Orquestra Sinfônica de Goiânia. Atualmente é spalla da Capital Phillarmonia.

 

SERVIÇO:

 

Ciclo Sinfônico Felix Mendelssohn Barthody

 

Orquestra Capital Philharmonia

Artur Soares, regência

 

14 e 27 de setembro, e 19 de outubro, às 19h30

Teatro dos Bancários (EQS 314/315 Bloco A, 70383-400 – Brasília. Tel.: 61 3262-9090)

 

Ingressos: R$ 40, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Sugestão etária: livre

 

Faça seu comentário