Escrito por em 27 set 2017 nas áreas MPB, Programação, Rio de Janeiro, Show

Orquestra de Sopros Pro Arte faz show com os acordeonistas Marcelo Caldi e Kiko Horta no Rio de Janeiro.

 

Após apresentações, em 2016, no Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas, no Festival de Inverno do Sesc Rio, no Circo Voador e na Casa do Choro, no Rio de Janeiro, a Orquestra de Sopros Pro Arte volta a apresentar na capital o repertório do CD Duas sanfonas e uma orquestra, trazendo à frente os consagrados acordeonistas cariocas Marcelo Caldi e Kiko Horta, ambos pianistas de formação, celebrando, juntos, os grandes mestres do fole nordestino, Sivuca, Dominguinhos e Luiz Gonzaga, cujas obras são revisitadas em arranjos contemporâneos. Desta vez, todos sobem ao palco do Teatro Ipanema no dia 29 de setembro, sexta-feira, às 21h. A noite conta ainda com a participação de Marcelo Mimoso, que interpreta Luiz Gonzaga na peça Gonzagão, A Lenda.

Resgatando a matriz nordestina na formação da música brasileira, Duas sanfonas e uma orquestra (leia críticareúne também obras autorais dos acordeonistas e de Raimundo Nicioli, um dos diretores da Orquestra, numa dimensão orquestral e grandiosa, e ao mesmo tempo de forte apelo popular.

Com direção musical de Raimundo Nicioli, Lourenço Vasconcellos e Claudia Ernest Dias, o CD abre com Forró transcendental, composição e arranjo de Kiko Horta, cujas tintas nordestinas já dão o tom das releituras por vir: Homenagem a Velha Guarda, de Sivuca (arranjo de Mário Féres), e Baião da garoa, de Luiz Gonzaga e Hervê Cordovil (arranjo de Marcelo Bernardes). Homenagem a Dominguinhos, de Marcelo Caldi, e Baião pro Hermeto, de Raimundo Nicioli, trazem arranjos sofisticados, assinados pelos próprios compositores.

Com arranjo de Bia Paes Leme, Colo de Ignez, de Kiko Horta, tece um doce choro, e Lembrei do Ceará, outra composição de Caldi, retoma a festividade com maracatu e baião. O artista assina também os arranjos de Retrato da vida, de Djavan e Dominguinhos, essa faixa conta com a participação especial do cantor Marcelo Mimoso, enquanto Fábio Luna assina o de Cabaceira mon amour, de Sivuca. De onde vem o baião, de Gilberto Gil e arranjo de Bebel Nicioli, encerra o disco, cujo traço principal é reunir influências tradicionais, em diálogo com o virtuosismo e o refinamento, numa linguagem acessível ao grande público.

Pérolas de um legado tão caro à cultura nordestina são revisitadas neste CD em sua grandiosidade orquestral, em sua potência máxima, expandida em flautas, saxofones, trombones, clarinetes, percussões… no encontro de duas sanfonas com uma orquestra.

 

Orquestra de Sopros Pro Arte

A Orquestra de Sopros Pro Arte, formada por jovens estudantes de música, foi criada por Tina Pereira em 2004, no âmbito do projeto Flautistas da Pro Arte, que conta com o Patrocínio da Petrobras há 22 anos.

Dedicando cada ano à obra de um compositor da MPB, a Orquestra estreou com composições de Baden Powell e apresentou, nos anos seguintes, Moacir Santos, Radamés Gnattali, Villa-Lobos, Egberto Gismonti, Luiz Eça e Garoto.

Em 2009, Raimundo Nicioli e Fernando Trocado assumiram a direção da Orquestra que, desde então, apresentou composições de Djavan, Guinga, Gilberto Gil e João Bosco, sendo que esses três últimos compositores fizeram participação especial nos shows da Orquestra.

Em 2014, a Orquestra de Sopros Pro Arte gravou o seu segundo CD, Festejo, que contou com as participações especiais dos artistas já homenageados pelo projeto, Gismonti, Guinga, Gil, João Bosco. Lançado em 2015 com boa recepção da crítica especializada, o CD fez parte das celebrações dos 25 anos de atividades do projeto Flautistas da Pro Arte. Nesse mesmo ano a Orquestra homenageou o cantor e compositor alagoano Djavan.

 

Kiko Horta e Marcelo Caldi

Kiko Horta e Marcelo Caldi

 

Expoente da nova geração instrumental brasileira, Kiko Horta vem atuando como acordeonista, pianista, compositor, arranjador ao lado de grandes nomes da música brasileira. Já gravou e se apresentou com Wagner Tiso, Guinga, Orquestra Petrobras Sinfônica, Yamandú Costa, Martinho da Vila, Dona Ivone Lara, Paulo Moura, Joel Nascimento, Mauro Senise, Carlos Malta, Mauricio Carrilho, Paulo Sérgio Santos, Zeca Pagodinho, Henrique Cazes, Gabriel Improta, Beth Carvalho, Hamilton de Holanda entre outros.

Marcelo Caldi integra também o grupo LiberTango, dedicado a Astor Piazzolla e à música portenha, juntamente com a mãe Estela Caldi, o irmão Alexandre e o cantor Marcelo Rodolfo. Juntos, lançaram Porteño (2010, Delira), Cierra tus ojos y escucha (2008, Delira) e A música de Astor Piazzolla (2005, Delira). Caldi também faz parte do Grupo Vocal BR6, que lançou Here to stay (2008, Biscoito Fino) e BR6 (2004, Biscoito Fino). Em doze anos de carreira, Caldi participou de shows e gravações ao lado dos maiores nomes da música como Chico Buarque, Elza Soares, Simone, Zeca Pagodinho, Geraldo Azevedo, Mart’nália, Zélia Duncan, Wando, Yamandú Costa, Hamilton de Holanda, Léo Gandelman, entre muitos outros.

 

Foto do post: Andrea Nestrea

 

SERVIÇO:

 

Show “Duas sanfonas e uma orquestra”

 

Orquestra de Sopros Pro Arte

Marcelo Caldi e Kiko Horta, acordeons

 

29 de setembro, sexta-feira, às 21h

Teatro Ipanema (R. Prudente de Morais, 824, Ipanema – Rio de Janeiro. Tel.: 21 2267 3750)

 

Ingressos: 40, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Capacidade: 193 lugares

Sugestão etária: livre

 }

Faça seu comentário