Escrito por em 27 set 2017 nas áreas Minas Gerais, Música sinfônica, Programação

Em turnê pelo estado, orquestra faz apresentação gratuita nas comemorações do Ano Jubilar da cidade.

 

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais realiza turnê estadual na cidade de Diamantina dentro das comemorações do Ano Jubilar da cidade, que celebra os 100 anos de Diamantina como Arquidiocese e os 150 anos do Seminário Sagrado Coração. O concerto gratuito ocorre no dia 30 de setembro, na Praça Sagrado Coração de Jesus, às 20h.

No repertório, grandes obras do repertório sinfônico. Entre elas, Passacaglia e fuga em dó menor buy dapoxetine online uk doxycyclin cheap price of confido tablets in india , de Bach/Stokowski; pamelor order Abertura festiva, de Camargo Guarnieri; Três peças nordestinas, de Clóvis Pereira; Orfeu e Eurídicie: Dança dos Espíritos Abençoados, de Gluck; Rapsódia húngara n. 2 em dó menor Purchase Cheap , de Liszt/Müller-Berghaus; e Guia orquestral para jovens, de Britten. A regência é do maestro Marcos Arakaki, que tem uma longa trajetória artística tanto na Filarmônica como em outras orquestras de destaque no Brasil e no exterior.

“Tocar em Diamantina novamente é um grande prazer, por sua importância e profunda ligação com a música. E, neste momento tão importante para sua Arquidiocese e para o Seminário, buscamos um repertório ao mesmo tempo reflexivo e alegre”, comenta o maestro.

“Preparamos extensa programação jubilar, envolvendo todas as regiões da nossa Arquidiocese e, também, as igrejas sufragâneas que fazem parte da circunscrição eclesiástica do centro-norte de Minas Gerais, as Dioceses de Almenara, Araçuaí, Guanhães e Teófilo Otoni”, ressalta o arcebispo metropolitano de Diamantina, Dom Darci Order Buy Pills .

 

Marcos Arakaki

Marcos Arakaki é regente associado da Filarmônica de Minas Gerais e colabora com a Orquestra desde 2011. Sua trajetória artística é marcada por prêmios como o do 1º Concurso Nacional Eleazar de Carvalho para Jovens Regentes 2001 e o Prêmio Camargo Guarnieri 2009, ambos como primeiro colocado. Foi também semifinalista no 3º Concurso Internacional Eduardo Mata, realizado na Cidade do México em 2007.

Natural de São Paulo, é bacharel em Música pela Universidade Estadual Paulista e mestre em Regência Orquestral pela Universidade de Massachusetts, Estados Unidos. Recebeu orientações de David Zinman na American Academy of Conducting at Aspen e participou de Cialis Professional online masterclasses com os maestros Kurt Masur, Charles Dutoit e sir Neville Marriner.

O maestro tem dirigido outras importantes orquestras, tanto no Brasil como no exterior. Estão entre elas as orquestras sinfônicas Brasileira (OSB), do Estado de São Paulo (Osesp), do Teatro Nacional Claudio Santoro, do Paraná, de Campinas, do Espírito Santo, da Paraíba, da Universidade de São Paulo, a Filarmônica de Goiás, Petrobras Sinfônica, Orquestra Experimental de Repertório, orquestras de Câmara da Cidade de Curitiba e da Osesp, Camerata Fukuda, dentre outras. No exterior, dirigiu as orquestras Filarmônica de Buenos Aires, Sinfônica de Xalapa, Filarmônica da Universidade Autônoma do México, Kharkiv Philharmonic da Ucrânia e a Boshlav Martinu Philharmonic da República Tcheca. Foi regente assistente da Orquestra Sinfônica Brasileira e regente titular da OSB Jovem e da Orquestra Sinfônica da Paraíba.

Nos últimos dez anos, tem contribuído de forma decisiva para a formação de novas plateias, por meio de apresentações didáticas, bem como para a difusão da música de concertos através de turnês a mais de setenta cidades brasileiras. Atua, ainda, como coordenador pedagógico, professor e palestrante em diversos projetos culturais, instituições musicais, universidades e conservatórios de vários estados brasileiros.

 

Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Com quase dez anos de vida, a Filarmônica de Minas Gerais recebeu sete prêmios de cultura e desenvolvimento social, efetivando-se como um dos projetos mais bem-sucedidos de Minas Gerais e do Brasil no campo da música erudita. Sob a direção artística e regência titular de Fabio Mechetti, a Orquestra é atualmente formada por 90 músicos provenientes de todo o Brasil, Europa, Ásia, Américas Central, do Norte e Oceania, selecionados por um rigoroso processo de audição. Até o momento, a Filarmônica realizou 700 concertos, para mais de 900 mil pessoas, sendo que mais de 40% do público pôde assistir às apresentações gratuitamente. Em Diamantina, a Orquestra tocou em 2008, atraindo 3 mil pessoas, e em 2012, para um público de 3100 pessoas. O impacto desse projeto artístico durante os anos também pode ser medido pela geração de 60 mil oportunidades de trabalho direto e indireto.

 

Foto: Mariana Garcia

 

SERVIÇO:

 

Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

Marcos Arakaki, regência

 

30 de setembro, sábado, às 20h

Praça Sagrado Coração de Jesus – Diamantina

 

Entrada gratuita

 d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Faça seu comentário