Escrito por em 23 out 2017 nas áreas Canto, Minas Gerais, Programação

Espetáculo programado pela Associação Médica de Minas Gerais.

 

Música clássica mundial é o tema da edição especial do projeto Quarta Cultural, que apresenta a pianista Patrícia Valadão, o baixo Luiz-Ottávio Faria, o barítono Michel de Souza e a soprano dramática Olga Bakali em um concerto que ocorre no dia 1 de novembro, às 19h30, no salão da Associação Médica de Minas Gerais (AMMG), em Belo Horizonte. A noite é dedicada às composições de musicistas que marcaram época entre o final do século 19e meados do século 20.

A apresentação é gratuita e destinada a médicos e à população em geral. O projeto é iniciativa da diretoria científica da AMMG e abre mais um espaço para discussões que vão além da medicina e oferece temas que transitam por diversas formas de arte.

Inscrições pelo telfone 31 3247 1619 ou  no site da AMMG.

 

 PROGRAMA:

Antônio Carlos Gomes (1836-1896)
Abertura, da ópera Il Guarany
Patrícia Valadão, piano

Giuseppe Verdi (1813-1901)
Mentre gonfiarsi l’anima, da ópera Attila
Lucas Damasceno (participação especial) e Luiz-Ottavio Faria

Morro, ma prima in grazia, da ópera Un Ballo in Maschera
Olga Bakali

Ella giammai m’amo!, da ópera Don Carlo
Luiz-Ottavio Faria

Per me giunto e’ il di supremo, da ópera Don Carlo
Michel de Souza

Gaetano Donizetti (1797-1848)
Soli noi siamo, da ópera Lucrezia Borgia
Olga Bakali e Luiz-Ottavio Faria

 

Giuseppe Verdi (1813-1901)
Restate!.., da ópera Don Carlo
Michel de Souza e Luiz-Ottavio Faria

Amilcare Ponchielli (1834-1886)
Suicidio!, da ópera La Gioconda
Olga Bakali

George Gershwin (1898-1937)
Embraceable you
Patricia Valadão, piano

A red headed woman…, da ópera Porgy & Bess
Michel de Souza

I got plenty o’ nuttin’, da ópera Porgy & Bess
Luiz-Ottavio Faria

Pietro Mascagni (1863-1945)
Oh! Il signore vi manda, da ópera Cavalleria Rusticana
Olga Bakali e Michel de Souza

 

ARTISTAS

Olga Bakali nasceu em Atenas, Grécia, onde começou seu treinamento musical como pianista. Com 14 anos, recebeu o primeiro prêmio no concurso grego Filon para piano. Foi nessa época que suas habilidades vocais únicas foram descobertas e começou estudos vocais sérios com Barbara Gavakou no Conservatório de Música de Glyfada, em Atenas, onde em 1991 recebeu seu diploma com honras. Ela continuou seus estudos sob o notável barítono grego Kostas Paskalis e Mme. Gavakou.

Recebedora de bolsa de estudo da Comunidade Europeia, participou de aulas de mestrado no Centro Cultural Athenaeum sob a tutela de artistas tão ilustres como Ileana Cotrubas, Jeanette Pilou, Luigi Alva e Maestro Paskalis. Em 1996, ela recebeu seu segundo diploma em piano do Conservatório grego de Música em Atenas, novamente com honras.

Na temporada atual, cantou seu primeiro show de orquestra de Wagner em Nova York, onde obteve críticas favoritas para o desempenho da morte de Isolde, de Tristan und Isolde.  Na temporada 2016-2017, participará de uma nova ópera baseada no filme de Imgmar Bergman O sétimo selo, como personagem da Death in show, em Nova York na Escandinavia House e Cassandra em Les Troyens. 

 

Lucas Damasceno é natural de Juiz de Fora (MG), onde iniciou seus estudos de música aos 6 anos de idade, no Centro Cultural Pró Música. Estudou no Conservatório Estadual de Música Haidée França Americano e na Universidade Federal de Juiz de Fora. Participou do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora entre 2000 a 2014. Atuou no Festival Europeu Eurochestries em Charente-Maritime, na França, em 2009, e, em Quebec, Canadá, em 2012. Bacharel em violino pela UFMG, retornou à universidade em 2017 como aluno de canto na classe do professor Mauro Chantal. Integra o Coral Ars Nova desde 2016, sob regência de Lincoln Andrade. Porgy & Bess marca sua estreia como cantor operístico, tendo sido escolhido pessoalmente pelo maestro Silvio Viegas.

 

Michel de Souza é mestre com distinção pelo Royal Conservatoire of Scotland e fez parte do programa Jette Parker na Royal Opera House Covent Garden (ROH), em Londres. Fez seu debut na ROH como Schaunard e tem apresentado ao lado de artistas como Jonas Kaufmann, Roberto Alagna, Diana Damrau, Simon Rattle, Antonio Pappano e Placido Domingo. Em ópera tem atuado como Conde Almaviva, Papageno, Don Giovanni, Guglielmo, Marcello, Schaunard, Escamillo, Belcore, Harlequin, Musiklehrer,Sumo Sacerdote de Dagon, entre outros.

Participou do programa Emerging Artist da Scottish Opera e fez parte do Ensemble de solistas do Grand Thèâtre de Genève. No Brasil, recebeu o 1º prêmio no concurso Maria Callas em São Paulo. Graduou-se em órgão pela Escola de Música da UFRJ onde também estudou canto. Atualmente, reside em Londres. Compromissos recentes incluem Schaunard in Genebra, Aswini twin com a Filarmônica de Londres e Ping em Turandot no Covent Garden.

 

Luiz-Ottavio Faria é um dos mais importantes baixos brasileiros, com intensa carreira internacional. Natural do Rio de Janeiro, formado pela prestigiada The Juilliard School of Music, de Nova York, também foi aluno da Escola de Música Villa-Lobos, do Conservatório Brasileiro de Música e da Universidade do Rio de Janeiro, além de frequentar o American Institute of Music Studies, AIMS, na Áustria.  A estreia mundial aconteceu na ópera Un Ballo in Maschera, de Verdi, no papel de Tom, ao lado do legendário tenor Carlo Bergonzi e do grande barítono brasileiro Fernando Teixeira, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com temporada estendida para o Theatro Municipal de São Paulo.

Recentemente apresentou-se com grande sucesso e consagrado pela crítica no papel de Marcel em (Les Huguenots) no Carnegie Hall, onde também já cantou Ernani, Jerusalém, Adelia, Lucrezia Borgia e La Gioconda. No Teatro Alla Scala di Milano, Banco em Macbeth, no Teatro Carlo Felice, di Genova, Giovanni Procida em I Vespri Siciliani, Timur em Turandot, com Palm Beach Opera, EUA, Teatro Arena di Verona e no Festival La Coruña, na Espanha e Jacopo Fiesco em Simon Boccanegra no Teatro Massimo di Palermo, Itália.

Recentes e futuras apresentações incluem: Stabat Mater de Dvorak no Teatro di Opera di Bologna; I Capuletti e I Montecchi, Capellio, in Pamplona, Espanha, e no Teatro Filarmonico di Verona; Turandot em Málaga, Espanha; e Don Carlo no Teatro di Opera di Bologna, Italia.

 

Patricia Valadão é natural de Ipatinga/MG, professora da Escola de Musica da Universidade Federal de Minas Gerais, pianista e cravista, bacharel e mestre em performance musical pela Escola de Música da Universidade Federal de Minas Gerais e doutoranda em performance pela Unicamp. Deve sua formação pianística aos professores Faustino Amarante, Márcia Fagiolli, Berenice Menegali, Frederic Meinders e Miguel Rosseline.

Como cravista, atuou em importantes concertos solo ou acompanhada pelas orquestras Sinfônica de Minas Gerais, Filarmônica de Minas Gerais, Orquestra do SesiMinas e Filarmônica de Cuiabá. Como pianista solista, desenvolveu sua performance em salas de concerto em Belo Horizonte, Casa da Ópera em Ouro Preto, Teatro de Mariana, Salão Nobre do Teatro Nacional de São Carlos (Lisboa, Portugal), Palácio de Mafra (Mafra, Portugal) e Teatro Nacional Argentino (La Plata, Argentina).

Como pianista camerista realiza um intenso trabalho junto a cantores e instrumentistas de naipes diversificados em importantes salas de concerto do Brasil e exterior. Como pianista preparadora (correpetidora), tem em seu repertório mais de quarenta títulos de obras musicais – oratórios e óperas – realizados junto a maestros e cantores do Brasil e exterior.

Pianista oficial dos concursos de canto Internacionais Bidu Sayão (Brasil – desde 2000) e Luisa Todi (Setúbal/Lisboa – Portugal- desde 2007),  Trabalhou em importantes. Em concertos sinfônicos trabalhou junto às orquestras Filarmônica de Cuiabá, Sinfônica de João Pessoa, Sinfônica de Vitória, Orquestra da ESMUFMG-MG, Sinfônica de Minas Gerais e Filarmônica de Minas Gerais (nestas, regularmente, como instrumentista convidada em diversos concertos). Tem gravados sete CDs com participação de câmara e dois CDs e DVDs solo.

 

 

SERVIÇO:

 

ConcertoDe Gaetano Donizetti a George Gershwin”

 

1 de novembro, quarta-feira, às 19h30

Teatro Oromar Moreira (Av. João Pinheiro, 161, Centro – Belo Horizonte. Tel.: 31 3247 1640)

 

Entrada gratuita

 

Faça seu comentário