Escrito por em 10 out 2017 nas áreas MPB, Música de câmara, Programação, Rio de Janeiro

Flautistas da Pro Arte (na foto) e Flautistas da Marambaia apresentam espetáculo em homenagem aos 90 anos de nascimento do maestro Tom Jobim.

 

A obra eterna de Tom Jobim é revisitada de forma especial e peculiar por crianças e adolescentes integrantes dos grupos Flautistas da Pro Arte e Flautistas da Marambaia. Através da flauta, canto e dança, os jovens músicos homenageiam os 90 anos de nascimento do maestro, apresentando algumas de suas mais conhecidas canções, como O morro não tem vez, Águas de março e Querida, entre outras, além de músicas em parceria com Vinicius de Moraes. O encanto e a poesia de sua obra são apresentados nos dias 14 e 15 de outubro, sábado e domingo, às 16h, no palco do Teatro Ipanema, no Rio de Janeiro, em comemoração à semana da criança.

A direção do espetáculo Tom Jobim 90 anos é de Claudia Ernest Dias, Thiago Chatack e Raimundo Nicioli. Chatack foi integrou o grupo Flautistas da Pro Arte de 2011 a 2015 e, agora, assina a direção musical do conjunto ao lado de Claudia e Raimundo. A preparação cênica é de Eleonora Gabriel (Cia de Dança Folclórica do RJ) e a preparação vocal, de Laura Lagub. O espetáculo conta também com os figurinos de Patrícia Lima (Zebras).

Tanto os Flautistas da Pro Arte como sua versão “mais velha”, a Orquestra de Sopros da Pro Arte – formada por músicos mais experientes – vêm realizando importantes apresentações e homenagens, ao longo de quase três décadas de existência. Sem patrocínio desde 2016 e frente a dificuldades financeiras, os Flautistas da Pro Arte, porém, seguem seu caminho mantendo a qualidade e poesia, buscando novas parcerias para sua manutenção.

 

Sopro de educação e renovação

Em 1989, um grupo de crianças e jovens estudantes de música dos Seminários de Música Pro Arte, no Rio, se reuniu sob a batuta das professoras de flauta, Tina Pereira e Claudia Ernest Dias. Tina Pereira, nascida em São José dos Campos, fez especialização em Educação Musical em Salzburgo, Áustria, e queria aplicar o método aprendido no Instituto Orff. Começou então a usar as canções da MPB como material didático. Nasciam ali os Flautistas da Pro Arte, que fizeram sua primeira apresentação no Paço Imperial, homenageando Dorival Caymmi.

De tão envolvente, pioneiro e proveitoso, o trabalho consolidou-se rapidamente como prática artística e educativa e em poucos anos contava com um grande número de pequenos músicos desenvolvendo seus dotes pelos caminhos da extraordinária riqueza da música popular brasileira.

Além da prática dos vários instrumentos de sopro, o grupo desde o princípio já aprendia também a cantar, dançar e se movimentar no palco. Os projetos se sucederam, homenageando compositores como Chico Buarque, Villa-Lobos, Radamés, João Bosco, K-Ximbinho, Lamartine, Ary Barroso, Noel Rosa e muitos outros.

Em 2004, o projeto contava 70 integrantes e a diretora Tina Pereira resolveu dividir o grupo em dois, criando, portanto, os Flautistas da Pro Arte (herdeiro do nome do projeto), no qual permaneceram os alunos mais novos, e a Orquestra de Sopros da Pro Arte, formado pelos integrantes mais velhos.

Tendo sempre à frente Tina Pereira, Claudia Ernest Dias e Raimundo Nicioli, o novo grupo teve sua estreia com o espetáculo A Bênção, Baden! na Sala Cecilia Meireles, palco nobre da música no Rio.

 

Foto: Andreia Nestrea

 

SERVIÇO:

 

Espetáculo “Tom Jobim 90 anos”

Flautistas da Pro Arte e Flautistas da Marambaia

 

14 e 15 de outubro, sábado e domingo, às 16h

Teatro Ipanema (R. Prudente de Morais, 824, Ipanema – Rio de Janeiro. Tel.: 21 2267 3750)

 

Ingressos: R$ 30, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Capacidade: 222 lugares

Duração aproximada: 55 minutos

Sugestão etária: livre

} else {

Faça seu comentário