Escrito por em 5 out 2017 nas áreas Espírito Santo, Ópera, Programação

O espetáculo “O Reino de Duas Cabeças”, de Jaceguay Lins, acontece nos dias 13, 14 e 15.

O primeiro foi um grande sucesso. O segundo promete encantar ainda mais. Então, separe os finais de semana do mês de outubro, porque o II Festival Sesi de Ópera vai começar. Serão cinco espetáculos, sempre no Espaço Cultural Rui Lima do Nascimento, o Teatro do Sesi Jardim da Penha, em Vitória. O II Festival Sesi de Ópera dará voz e vez aos talentos eruditos capixabas, além de trazer artistas do cenário nacional que têm contribuído para a formação e capacitação de jovens cantores no Espírito Santo.

Idealizado pelo Sesi-ES, por meio de sua Divisão de Cultura, o festival eleva ainda mais a importância da promoção da cultura para o trabalhador da indústria capixaba e também para a comunidade em geral por meio de espetáculos musicais e teatrais, sempre com ingressos a preços acessíveis.

A direção geral do II Festival Sesi de Ópera é do maestro Leonardo David, titular da Camerata Sesi. A direção artística está a cargo do baixo-barítono Lício Bruno, cantor de carreira internacional residente no Espirito Santo. A produção geral é uma realização do Coletivo das Artes, com produção geral de Adalgisa Rosa.

Foi um sonho realizar este Festival no ano passado e, hoje, me sinto realizado de ver que o projeto deu certo e teremos a sua segunda edição. O II Festival Sesi de Ópera é o resultado de todo o trabalho realizado nos últimos anos pela Divisão de Cultura”, afirma o gerente da Divisão de Cultura do Sesi-ES, Luiz Vancea.

O Festival terá como convidados especiais o diretor cênico Francisco Mayrink, o maestro Guilherme Bernstein, o ator e bailarino Tadeu Kuzendorff, a violinista Gabriela Queiroz, o visagista e figurinista David Scardua e os cantores Inácio de Nonno, Janette Dornellas e Hélenes Lopes. Serão mais 20 cantores, entre artistas líricos capixabas e brasileiros residentes, todos convidados pela direção a integrar este Festival.

O diretor geral do II Festival Sesi de Ópera, maestro Leonardo David, afirma que produzir este gênero é um grande desafio, pois envolve um grande número de profissionais de diferentes áreas artísticas, trabalhando em conjunção emblemática para a realização. “Ópera, em italiano, significa obra, trabalho. Trata-se de um gênero artístico teatral: drama encenado acompanhado de música. Uma obra dramática que combina música instrumental e canto, com a presença ou não de diálogos. Os cantores são acompanhados por um grupo instrumental que pode variar desde um pequeno conjunto musical, uma orquestra de câmera ou até mesmo uma orquestra sinfônica. Ou ainda, espetáculo teatral musicado, utilizando-se de elementos típicos teatrais como concepção, roteiro, cenografia, figurinos, iluminação e encenação. É o casamento perfeito entre todas as artes”.

Duas das óperas que compõem os títulos deste festival são montagens contempladas pelo Funcultura/Secult ES, são elas: O Reino de Duas Cabeças, de Jaceguay Lins Edital 012/2015, e O Caixeiro da Taverna, de Guilherme Bernstein Edital 014/2016, cuja montagem terá sua estreia oportunizada por ocasião deste festival.

 

PROGRAMAÇÃO

  • Dia 07 de outubro (sábado), às 20h

Abertura – Gala Lírica

Participações: Os cantores líricos Adalgisa Rosa, Alessandro Santana, Evandro Santanna, Inácio de Nonno, Lício Bruno, Maristela Araújo, Meire Norma, Patrícia Eugênio e Renato Gonçalves apresentam trechos operísticos acompanhados pela Camerata Sesi sob a regência do maestro Leonardo David.

  • Dia 08 de outubro (domingo), às 17h

Galinha lírica

Sinopse: uma proposta para o público infanto-juvenil, que vai se divertir com duas galinhas cantoras que apresentarão um programa de árias e duetos de ópera. Os jovens cantores Alexandre Bianque, Arícia Diefenthaeler, Luana Schaeffer e Rayanne Carrara serão acompanhados da pianista Paula Galama. Nesta ocasião, a Camerata Sesi reapresentará “Pedro e o Lobo Op.67”, de S. Prokofiev, especialmente composta para público infanto-juvenil.

 

  • Dias 13, 14 e 15 de outubro (sexta, sábado e domingo)

Il combattimento di Tancredi e Clorinda, de C. Monteverdi, e O Reino de Duas Cabeças, de Jaceguay Lins

Horários: 20h (dia 13) e 17h (dias 14 e 15)

Sinopse (Il combattimento di Tancredi e Clorinda, de Claudio Monteverdi): sob o véu da escura noite, Tancredi, herói cruzado, desafia um infiel, num duelo mortal. Não sabe, entretanto, que por baixo do elmo inimigo se oculta uma bela mulher: Clorinda, muçulmana que, apesar de sua crença, é o objeto do amor de Tancredi. Todavia, a destemida mulher não foge à luta; pelo contrário, a esta se entrega com todas as forças que consegue reunir. Combatem ferozmente, até que o desafortunado guerreiro, movido pelo ódio e pelo desconhecimento, a golpeia mortalmente. Exausta, em seus últimos suspiros, oferece ao seu algoz o perdão e pede que este a corresponda, ministrando-lhe ainda o sacramento do batismo.  Tancredi lhe retira o elmo e, aterrorizado, percebe que acaba de assassinar a mulher que tanto ama. Em meio a esse ato trágico, Clorinda expira em seus impotentes braços de Tancredi.

Elenco:

Testo – Inácio de Nonno
Tancredi – Renato Gonçalves
Clorinda – Adalgisa Rosa
Doppione – Max Michel

 

Sinopse (O Reino de Duas Cabeças, de Jaceguay Lins): uma ópera-recreio infanto-juvenil (e para todas as idades) contemplando o bufo, a comédia de costumes, o folclore, a citação, o pastiche, a sátira, o riso e reflexão. (texto do autor)

Elenco:

Bicéfalo 1 – Renato Gonçalves
Bicéfalo 2 – Raphael Piccinini
Ministro Acéfalo – Alessandro Santana
Arauto/Bobo – Arifer Gomes
Enxaqueca – Adalgisa Rosa
Aspirina – Rayanne Carrara
Soldado 1 & Cantora – Rosiane Queiroz
Soldado 2 – Max Michel

 

  • Dias 20, 21 e 22 de outubro (sexta, sábado e domingo)

O Caixeiro da Taverna, de Guilherme Bernstein

Horários: 20h (dia 20) e 17h (dias 21 e 22)

Sinopse: O “Caixeiro da Taverna”, do compositor e regente brasileiro Guilherme Bernstein, baseia-se na comédia homônima de Martins Pena. O libreto foi diretamente retirado do texto original.

Luís Carlos Martins Pena nasceu no Rio de Janeiro em 1815. Foi um notável teatrólogo, considerado fundador da “comédia de costumes” no Brasil. Escreveu comédias e farsas da metade do século XIX, que envolvem principalmente pessoas da roça e das cidades.

O texto narra as peripécias do ambicioso e trapaceiro Manoel Pacheco, português cujo maior sonho é ser sócio de sua ama, Angélica Pereira, dona da taverna, que morre de amores por ele. A ambição desenfreada deste caixeiro o coloca em situações hilariantes, que certamente proporcionarão bons motivos para risadas. 

Elenco:

Manuel – Lício Bruno
Angélica – Adalgisa Rosa
Deolinda – Natalia Hubner
Francisco – Renato Gonçalves
Quintino – Alessandro Santana
Antônio -Tadeu Kuzendorff

 

  • Dias 27, 28 e 29 de outubro (sexta, sábado e domingo)

La Bohème, de G. Puccini

Horários: 20h (dia 27), 16h (dia 28) e 17h (dia 29)

Sinopse: ópera de Giacomo Puccini (1858-1924) inspirada na novela de Henri Murger, Scènes de la vie de bohème.

A ópera narra a história de artistas e estudantes em início de vida na Paris do final do século XIX. Rodolfo (poeta), Marcello (pintor), Schaunard (professor de música) e Colline (filósofo). Seus amores são aqui representados pela florista Mimi, recém-conhecida por Rodolfo, e a bela Musetta, mulher de temperamento forte, muito libertina e amante de Marcello. Com relações afetivas em permanente conflito em uma vida de parcos recursos, Mimi retorna à casa dos boêmios para enfrentar a morte junto ao seu amor e aos seus amigos. A amarga lição do contraste entre a dura realidade e a sonhadora vida dos jovens artistas marca-os definitivamente.

Na concepção dramática, a história será apresentada fora do contexto de época, caracterizando essencialmente a universalidade e a atemporalidade do amor, da amizade e dos sonhos, essências da natureza dos sentimentos humanos.

Elenco:

Mimi – Janete Dornellas e Maristela Araújo
Musetta – Rosiane Queiroz
Rodolfo – Helenes Lopes
Marcello- Licio Bruno
Schaunard – Gustavo Rocha
Colline – Alessandro Santana
Alcindoro & Benoit – Eduardo Santa Clara}

Faça seu comentário