Escrito por em 10 nov 2017 nas áreas Música coral, Programação, Rio de Janeiro

Concerto apresenta música de câmara e cenas de óperas.

 

O Coro de Câmara Lírico Feminino da Associação de Canto Coral (ACC) faz apresentação no dia 13 de novembro, às 19h30, na Igreja Presbiteriana de Copacabana, no Rio de Janeiro. O ingresso é 1 kg de alimento não perecível. Na regência e direção artística, Cláudio Ávila.

 

Coro de Câmara Lírico Feminino

Tem sua origem nos primórdios da Associação de Canto Coral, quando a diretora artística era a maestrina Cleofe Person de Mattos. Sua atual formação data de 2014, com o maestro, preparador vocal e pianista Cláudio Ávila. O repertório consta de música de câmara internacional e brasileira e coros de ópera com encenação. O atual diretor de cena é Manuel Thomas.

No trabalho com o coral, há uma preocupação com a emissão vocal, o uso do corpo e a cena. Além disso, existe um incentivo ao surgimento e aprimoramento de solistas. O Coral tem se apresentado em diversas Igrejas, como a Igreja Presbiteriana de Copacabana, Igreja Batista Itacuruçá na Tijuca, Igreja Católica São José na Lagoa, Igreja Nossa Senhora da Glória e Salas de Concerto, sempre emocionando a audiência com seu repertório e a beleza das vozes.

O lema deste coral é: Levar o canto a todo canto.

Sopranos IFátima Santana – Fernanda Cappelli – Julieta Malouf

Sopranos IIMariângela Marques – Sandra Villar – Carminda Olinda – Jussara Brito

MezzosElisabeth Babo -– Cláudia Jack – Lídice Meireles – Lolly Pastene – Ana Carolina

ContraltosMaria Helena Magalhães – Solange Sampaio – Marina Maia – Rita Cabus

 

Outros artistas envolvidos

Maestro, Preparador Vocal e Pianista: Cláudio Ávila
Diretor de Cena: Manuel Thomas
Participação: Paola Soneghetti – Soprano / Duda Ramos – Soprano / Rafael Siano – Barítono

 

PROGRAMA

Armando Prazeres
Salmo 150
– Coro

P. Pier Battista
O sanctissima anima
– Coral

Ralph Manuel
Aleluia 
– Coral

Gabriel Fauré
Libera me – do Requiem
– Rafael Siano

A. Lloyd Weber
Pie Jesu – do Requiem
– Duda Ramos e Fernanda Cappelli

Franz Lehar
Vilia – da opereta A viúva alegre
– Coral – Fernanda Cappelli

J. Strauss Jr.
Mein herr Marquis – da opereta O morcego
– Coral – Maria de Fátima

Leonard Bernstein
I feel pretty – do musical/ópera West side story
– Coral – Duda Ramos – Fernanda Cappelli – Ana Carolina – Elisabeth Babo

Thomas A. Dorsey
Peace in the valley
– Sexteto: Mariângela Marques, Fernanda Cappelli, Lolly Pastene, Ana Carolina, Solange Sampaio e Marina Maia

George Bizet
Toreador – da ópera Carmen
– Coral – Rafael Siano

 

Cláudio Ávila

Formado pela Pró-Arte, em Regência Coral e Análise Musical, e com Mestrando em Música pela UniRio. Estudou piano nos Conservatórios de Barra do Pirai, de Volta Redonda, e do Rio de Janeiro. Desde 1987, prepara técnica e musicalmente coros e solistas em óperas e em música de câmara. Como regente, preparou e regeu diversos Coros, dos quais podemos citar: o Coro do Teatro de Ópera do Rio de Janeiro e Maestro e Preparador Vocal do Coral Ars Plena, fundado pelo Maestro Armando Prazeres, a quem substituiu.

Desde 2014 é o Maestro do Coral Feminino da Associação de Canto Coral. Como pianista-acompanhador ganhou o prêmio de melhor Correpetidor, no II Concurso de Canto Honorina Barra, em Curitiba. É possuidor de uma grande sensibilidade para preparar e acompanhar os cantores, seja em música de câmera ou ópera. Apresentou-se em diversas salas de concerto e acompanha grandes cantores brasileiros.

Trabalhou com os mais renomados professores de canto do Rio de Janeiro e de outros países como dos EUA, Alemanha e Holanda. Desde 2005, realiza concertos cênicos com a Cia. Canto Brasil, da qual é o Fundador e Diretor Musical. A Cia. conta com cantores experientes e também com aqueles que estão ingressando na carreira lírica.  O trabalho vocal desenvolvido pelo professor Cláudio Henrique Ávila tem como base o conhecimento da fisiologia vocal aliado à sensibilidade auditivo-sensorial. Segundo esta filosofia, o sucesso da voz só ocorre quando o cantor apreende a mecânica de seu aparelho vocal, apura seu ouvido e desenvolve sua expressão corporal, integrando na prática, esses três conceitos. Acima de tudo, o cantor precisa ser capaz de harmonizar o seu emocional: o bom canto busca o equilíbrio da voz em todas as regiões de emissão vocal, almejando uma voz com metal, veludo e clareza: para obter este resultado, faz-se necessário o equilíbrio emocional do cantor.

Em 2014 atuou, como Maestro Interno, Pianista e Organista, na ópera Suor Angélica, na série Ópera do Meio-dia, no Theatro Municipal do Rio de Janeiro. E ainda em setembro de 2014, foi um dos pianistas na realização da obra de Carl Off – Catulli Carmina – para quatro pianos, conjunto de percussão, solistas, coro e balé. Trabalhou na Casa da Arte e Cultura Julieta de Serpa, onde fez a direção musical e foi também o pianista do espetáculo Uma Tarde na Ópera. Atualmente é o pianista preparador da ópera Gianni Schichi, de G. Puccini, que irá estrear em dezembro de 2017.

 

 

SERVIÇO:

 

Coro de Câmara Lírico Feminino da ACC

Cláudio Ávila, regência

 

13 de novembro, segunda-feira, às 19h30

Igreja Presbiteriana de Copacabana (R. Barata Ribeiro, 335, Copacabana – Rio de Janeiro)

 

Ingresso: 1 kg de alimento não perecível

 

Faça seu comentário