Escrito por em 8 nov 2017 nas áreas Música antiga, Música coral, Música de câmara, Ópera, Programação, Rio de Janeiro, São Paulo

Orquestra Cappella Mediterranea e Choeur de Chambre de Namur fazem concertos no Rio de Janeiro e em São Paulo.

 

Uma das maiores referências da música barroca na atualidade, a orquestra Cappella Mediterranea faz concertos no Rio de Janeiro, em 12 de novembro, e em São Paulo, nos dias 13 e 14, junto com o Choeur de Chambre de Namur e sob regência de do argentino Leonardo García Alarcón.

No dia 12 de novembro, às 17h, a Cappella Mediterranea sobe ao palco do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, sob a regência de Alarcón, como a sétima atração da série O Globo/Dell’Arte Concertos Internacionais 2017. No programa, a ópera L’Orfeo, Sv 318, de Claudio Monteverdi, com a participação do Choeur de Chambre de Namur.

Em São Paulo, os conjuntos reapresentam a obra de Monteverdi no dia 13 de novembro, às 21h, na Sala São Paulo. No dia seguinte, no mesmo espaço e horário, o repertório é o oratório Il Diluvio Universale, de Michelangelo Falvetti. Na capital paulista, os concertos são promoção da Cultura Artística.

 

Cappella Mediterranea

Fundada em 2005 pelo maestro Leonardo García Alarcón, a Cappella Mediterranea surgiu com a proposta de trazer uma nova abordagem para a música barroca e a tradição latina.

Doze anos depois, o conjunto diversificou o seu repertório e se tornou uma referência nestes gêneros da música. Com mais de 45 concertos anuais, a orquestra explora o madrigal, o moteto polifônico e a ópera. Através de seus encontros entusiasmantes, com obras antes esquecidas e releituras originais de clássicos, seus concertos, que combinam teatro e dança, a Cappella Mediterranea atraiu a atenção tanto do grande público como da crítica especializada.

Hoje, a orquestra é convidada para se apresentar em festivais e teatros de prestigio ao redor do mundo, como o Théâtre du Châtelet (Paris), o Château de Versailles, o Vienna Konzerthaus, o Amsterdam Concertgebouw, o Carnegie Hall (New York) e o Teatro Colón (Buenos Aires).

A Cappella Mediterranea já gravou 15 álbuns, lançados pelos selos Ambronay Éditions, Naïve e Ricecar. Todos ganharam o reconhecimento da imprensa. Strozzi Virtuosíssima Compositrice foi nomeado para o Midem Classical Awards e Sogno Barocco, com Anne Sofie von Otter, recebeu uma nomeação para o Grammy Awards de 2013.

 

Choeur de Chambre de Namur

Desde sua fundação em 1987, o Choeur de Chambre de Namur (Coro de Câmara de Namur) em valorizado tanto a herança musical de sua região nativa, na Bélgica, com apresentações e gravações das obras de Lassus, Rogier, Hayne, Du Mont, Fiocco, Gossec, Grétry, como também interpretado clássicos do repertório coral como oratórios de Händel, obras de Bach e os Réquiens de Mozart e Fauré.

Convidado com frequência para os principais festivais da Europa, o coro trabalhou sob o comando de maestros prestigiados como Eric Ericson, Marc Minkowski, Jean-Claude Malgoire, Simon Halsey, Sigiswald Kuijken, Jean Tubéry, Patrick Davin, Roy Goodman, Michael Schneider, Philippe Pierlot, Philippe Herreweghe, Peter Philips, Jordi Savall, Christophe Rousset, Guy van Wass, Andreas Scholl, entre outros.

O Coro da Câmara de Namur já lançou mais de 60 álbuns, todos bem recebidos e aclamados pela crítica, incluindo nomeações para prêmios como Victoires de la Musique Classique, Choc de Classica, Diapason d’Or, Joker de Crescendo, 4F de Télérama e Editor’s Choice of Gramophone.

Em janeiro de 2010, o jovem maestro argentino Leonardo García Alarcón assumiu o posto de diretor artístico do grupo. Essa colaboração resultou em diversos concertos de sucesso como: Judas Maccabeus, de Händel; Vespro a San Marco, de Vivaldi; Il Diluvio Universale e Nabucco, de Michelangelo Falvetti; motetos e missas, de Giovanni Giorgi; cantatas seculares de Bach; Réquiem, de Mozart; Vespri della Beata Vergine, de Monteverdi; e Passio Secundum Johannem, de Alessandro Scarlatti. O repertório do coral é bem amplo e diversificado, abrangendo desde a Idade Média até a música contemporânea.

Choeur de Chambre de Namur (foto de France Dubois)

 

Leonardo García Alarcón

Nascido em La Plata, na Argentina, em 1976, Leonardo García Alarcón começou a estudar piano aos 6 anos. Em virtude da sua paixão pela música de Bach, ganhou experiência na prática do baixo contínuo e iniciou os estudos de cravo e órgão. Enquanto isso, o músico também começava a treinar como maestro na Universidade Nacional de La Plata. Em 1997, passou a estudar com a renomada cravista suíça Christiane Jaccottet no Conservatório de Música de Genebra.

Na cidade suíça, Alarcón se tornou membro do Ensemble Elyma e assistente do maestro Gabriel Garrido. Com o Ensemble Elyma, participou de diversas turnês e produziu inúmeras gravações da música barroca latino-americana e da ópera italiana do século 17. Em 2005, fundou seu próprio ensemble, a Cappella Mediterranea, especializada na música barroca da Europa Meridional e da América Latina. Com esse conjunto, participou inúmeras vezes dos maiores festivais de música erudita. No mesmo ano, foi nomeado Maestro al Cembalo e chefe do Departamento de Cantores no Conservatório de Genebra. Em 2008, iniciou uma residência de cinco anos no Centre Culturel de Rencontre d’Ambronay. O músico atua como diretor artístico do Coro da Câmara de Namur desde janeiro de 2010.

Alarcón participou de diversas gravações aclamadas pela crítica, como o Virtuosissima Compositrice, com a obra de Barbara Strozzi; Vespro a San Marco, de Vivaldi; Il Diluvio Universale e Nabucco, ambas de Michelangelo Falvetti; Vespri della Beata Vergine, de Claudio Monteverdi; Requiem, de Mozart; Ave Maria, de Giovanni Giorgi; Romerico Florido, de Matheo Romero; Carmina Latina, uma coletânea da música barroca latino-americana, entre outras.

Hoje, é convidado para conduzir óperas, festivais e salas de concertos ao redor do mundo, incluindo o Festival de Aix-en-Provence, a Opéra de Paris, a Opéra de Lyon, o Festival de Ambronay, o Teatro Colón de Buenos Aires, o Grand Théâtre de Genéve, o Amsterdam Concertgebouw, o Konzerthaus Wien, o Carnegie Hall, o Opéra de Monte-Carlo, o Théâtre de Champs-Élysées, a Fondation Gulbenkian de Lisboa, entre outros.

Nos últimos anos, conduziu a Orquestra de Câmara de Paris, a Residentie Orkest de Haia, a Orquestra Barroca de Friburgo, a orquestra de câmara Les Violons du Roy e a Orquestra e Coro da Fundação Gulbenkian.

Leonardo García Alarcón (foto de Bertrand Pichene)

 

Foto do post: Frederic Maurel

 

SERVIÇO:

 

Cappella Mediterranea

Choeur de Chambre de Namur

Leonardo García Alarcón, regência

 

12 de novembro, domingo, às 17h

Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Floriano, s/n, Centro – Rio de Janeiro. Tel.: 21 2332-9191)

 

Ingressos: R$ 420 (plateia e balcão nobre), R$ 200 (balcão superior) e R$ 110 (galeria), com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

13 e 14 de novembro, segunda e terça-feiras, às 21h

Sala São Paulo (Praça Júlio Prestes, 16 – São Paulo. Tel.: 11 3367-9500)

 

Ingressos: de R$ 50 a R$ 430

 

Faça seu comentário