Escrito por em 7 jan 2018 nas áreas Lateral, Musical, Programação, Rio de Janeiro

Bibi, uma vida em musical é um tributo à maior estrela do teatro nacional.

 

“Não consigo lembrar de mim fora de um teatro”. É assim que Bibi Ferreira, 95 anos, 76 como atriz, cantora, diretora e produtora, se descreve.

A trajetória pessoal e profissional dessa estrela brasileira só poderia ser contada e celebrada levando para o palco o próprio palco, das companhias de comédia, do teatro de revista, dos grandes musicais e do teatro engajado em que ela atuou.

E assim é Bibi, uma vida em musical, espetáculo inédito escrito por Artur Xexéo e Luanna Guimarães, com direção geral de Tadeu Aguiar, que está em cartaz no Teatro Oi Casa Grande, no Rio de Janeiro, até 1º de abril.

A atriz paulistana Amanda Acosta vive Bibi. Ela foi Eliza Doolittle na montagem paulista de My Fair Lady, em 2006, o mesmo papel que Bibi Ferreira fez na primeira montagem brasileira da peça norte-americana. Amanda foi integrante do Trem da Alegria, de 1988 a 1992, quando o trio se desfez. Atriz de cinema e TV, ela fez no teatro musical Essa é a nossa Canção, Baby, o Musical e 4Faces do Amor, todas sob direção de Tadeu Aguiar. Mais 18 atores integram o elenco.

Em Bibi, uma vida em musical, a história familiar, profissional e amorosa da artista se enredam. A formação em música, dança e línguas estrangeiras foi estimulada pela mãe Aida Izquierdo, bailarina espanhola. A estreia profissional no teatro, aos 19 anos, foi pela mão do pai, o ator Procópio Ferreira, em papel escrito por ele para a filha. Assim, o musical percorre todas as fases da vida de Bibi, da escolha do seu nome, sua preparação para os palcos, os espetáculos musicais como os inesquecíveis Gota d’Água, de Paulo Pontes e Chico Buarque, My Fair Lady, Alô Dolly e Piaf, a Vida de Uma Estrela da Canção, seus casamentos, o nascimento da filha única, Tina Ferreira, as viagens para Portugal e Inglaterra a trabalho, a homenagem da escola de samba Viradouro até sua chegada a um teatro da Broadway, aos 90 anos.

Artur Xexéo (Cartola – O Mundo é um Moinho, Eu Não Posso Lembrar Que Te Amei – Dalva e Herivelto, Hebe, o Musical) avalia a importância de Bibi Ferreira na profissionalização do ator no Brasil, em relação ao seu ofício: “Em relação ao teatro musical, ela foi, sem dúvida, a primeira atriz brasileira pronta para o gênero. Antes dela, havia as vedetes de revista, não necessariamente atrizes”.

Com direção musical de Tony Lucchesi (60! Década de Arromba – Doc. Musical, Eu Não Posso Lembrar Que Te Amei – Dalva e Herivelto), oito músicos interpretam 33 canções, das quais cinco foram criadas para o espetáculo, letra e música, por Thereza Tinoco (suas composições foram gravadas por Simone, Ney Matogrosso, Lucinha Araújo, entre outros. Sua canção O Viajante foi tema do personagem de Tony Ramos, na novela Baila Comigo, da TV Globo. Compôs para vários infantis, para Fica Combinado Assim, de Herval Rossano, e dois números musicais para Bibi in Concert Pop, III, a pedido de Bibi Ferreira).

Bibi, uma vida em musical tem direção geral de Tadeu Aguiar (Quase Normal, Ou Tudo ou Nada, Essa é a Nossa Canção, 4Faces do Amor, Para Sempre Abba, Eu Não Posso Lembrar Que Te Amei – Dalva e Herivelto).

 

Amanda Acosta vive Bibi Ferreira

ELENCO [ordem alfabética]

Amanda Acosta, Analu Pimenta, André Luiz Odin, Bel Lima, Caio Giovani, Carlos Darzé, Chris Penna, Fernanda Gabriela, Flavia Santana, Guilherme Logullo, João Telles, Julie Duarte, Leandro Melo, Leo Bahia, Leonam Moraes, Luísa Vianna, Moira Osório, Rosana Penna e Simone Centurione.

 

FICHA TÉCNICA

Direção: Tadeu Aguiar
Texto: Artur Xexéo e Luanna Guimarães
Música original: Thereza Tinoco
Direção musical e arranjos: Tony Lucchesi
Coreografia: Sueli Guerra
Cenário: Natalia Lana
Figurino: Ney Madeira e Dani Vidal
Desenho de luz: Rogerio Wiltgen
Desenho de som: Gabriel D’Ângelo
Visagista: Ulysses Rabelo
Coordenação de produção: Eduardo Bakr
Produção geral: Cláudia Negri
Realização: Negri e Tinoco Produções Artísticas

 

Fotos: Guga Melgar

 

SERVIÇO:

 

“Bibi, uma vida em musical”

Direção de Tadeu Aguiar

 

5 de janeiro a 1 de abril, quintas e sextas-feiras, às 20h30; sábados, às 17h e 21h, e domingos, às 19h

Teatro Oi Casa Grande (Av. Afrânio de Melo Franco, 290, Leblon – Rio de Janeiro. Tel.: 21 2511-0800)

 

Ingressos: R$ 150 (plateia VIP e camarote 2º piso), R$ 120 (plateia setor 1), R$ 90 (balcão 2) e R$ 50 (balcão 3), com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Capacidade: 926 lugares

Duração aproximada: 140 minutos, com um intervalo

Sugestão etária: 10 anos

 

Faça seu comentário