Escrito por em 19 mar 2018 nas áreas Festival, Música sinfônica, Programação, Rio de Janeiro

Orquestra Sinfônica Brasileira e Sala Cecília Meireles realizam últimas apresentações do Festival Mozart.

 

O Festival Mozart, ciclo de concertos em homenagem ao compositor austríaco, realizado pela Orquestra Sinfônica Brasileira (OSB) em parceria com a Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro, chega ao fim no próximo fim de semana, após um mês de apresentações lotadas. No sábado, dia 24 de março, a OSB divide o palco da Sala com o pianista Leonardo Hilsdorf e, no domingo, 25, volta para mais um purchase doxycycline Concerto da Juventude. A regência dos concertos é do maestro Lee Mills.

Abrindo o programa do dia 24, a viagra online Abertura da ópera mais popular de Mozart: A Flauta Mágica. Em seguida, o Concerto para piano n. 15 em si bemol maior, K. 450, com a participação do solista Leonardo Hilsdorf, um dos principais pianistas brasileiros da nova geração. E para encerrar a noite, a Sinfonia n. 41, K. 551 – Júpiter, considerada o ápice da evolução sinfônica do compositor, culminando em um brilho orquestral apurado.

Já no dia 25, o Concerto da Juventude tem o programa composto por duas aberturas de óperas (Così Fan Tutte e A Flauta Mágica) e por três trechos de sinfonias de Mozart – a Sinfonia n. 40 (primeiro e quarto movimentos) e a Sinfonia n. 41 doxycyclin cheap (quarto movimento) –, além do terceiro movimento da purchase doxycycline Sinfonia n. 5, de Beethoven.

A programação do Festival Mozart contou com sete concertos, que ao longo do mês de março, apresentaram uma breve retrospectiva da carreira do compositor austríaco. Do programa, constaram seis sinfonias, cinco aberturas de óperas, três concertos para piano, um concerto para flauta e uma serenata – obras que refletem a genialidade e a personalidade de Mozart.

Para o maestro Lee Mills, abrir a temporada com Mozart, cuja obra possui detalhes muito complexos, foi um desafio para a orquestra: “Começamos com peças difíceis e isso deixou os músicos muito motivados. O trabalho tem sido inspirador”. Já para o diretor artístico da OSB, Pablo Castellar, o grande destaque deste primeiro ciclo foi observado nos Concertos da Juventude: “Ver tantos jovens na plateia nos encheu de alegria. E isso contagiou os músicos, que estão com muita garra nesse novo momento da Sinfônica Brasileira” doxycyclin cheap .

 

Orquestra Sinfônica Brasileira

Reconhecida como um dos conjuntos sinfônicos mais importantes da música nacional, a Sinfônica Brasileira soma mais de cinco mil concertos ao longo de seus 78 anos de atuação, revelando diversos talentos e promovendo, através de seus projetos educacionais e concertos públicos, a democratização do acesso à cultura.

Fundada em 1940, a OSB foi pioneira não só na forma de levar a música sinfônica e de concerto para todos os cantos do Brasil e outros países, como também no incentivo à formação de novos talentos e difusão da cultura em território nacional.

 

Leonardo Hilsdorf (foto de Maria Calfopoulos)

Leonardo Hilsdorf

Um dos principais expoentes da nova geração de pianistas brasileiros, Leonardo Hilsdorf vem se apresentando com sucesso em diversas cidades do Brasil, Estados Unidos e Europa. Aclamado pela crítica especializada, suas performances têm sido saudadas como “fenomenal” (Fuldaer Zeitung, Alemanha) e “encantadora e magistral” (L’Indépendant, França). Atualmente é um dos seletos solistas em residência na Capela Musical Rainha Elisabeth da Bélgica, onde trabalha sob os cuidados da pianista portuguesa Maria João Pires.

No exterior, foi agraciado com o 1º prêmio em concursos internacionais de piano na França, na Alemanha e na Espanha: Concurso Internacional de Gaillard, de Séte, e do Pianale Klavierakademie, no qual recebeu também o prêmio especial do júri e o de favorito do público. Em 2012, foi reconhecido com o prestigioso prêmio Nadia et Lili Boulanger, em Paris. No ano seguinte, recebeu, unanimemente, o 1º prêmio e o prêmio especial da União Europeia de Concursos de música para a juventude em San Sebastian, na Espanha. Já em 2016, obteve o terceiro prêmio no Concurso internacional de Colônia KRK, da Alemanha, e o Prêmio de Melhor Intérprete de Música Brasileira no 4º Concurso Internacional BNDES de Piano.

Ainda no Brasil, recebeu o primeiro prêmio em diversos outros concursos de piano: Concurso Jovens Instrumentistas do Brasil, Artlivre, Villa-Lobos, Paulo Giovaninni, entre outros. Como vencedor do 1º Concurso Grieg-Nepomuceno, realizado em Brasilia, em 2005, realizou uma turnê pela Noruega no ano seguinte, se apresentando como solista e camerista em prestigiados festivais como o Grieg Festival, em Oslo, e Grieg in Bergen, bem como a gravação de um CD dedicado a esses dois compositores. Foi convidado, em 2007, a realizar a abertura de dois recitais do celebrado pianista brasileiro Nelson Freire, na Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro, e no Teatro Municipal de São Paulo, recebendo diversos elogios da crítica especializada.

Em 2014, a renomada revista francesa Pianiste lançou um CD de um recital ao vivo na Salle Cortot de Paris, acompanhado de matéria e entrevista em sua edição de novembro. É regularmente solicitado a participar de importantes festivais de música ao redor do mundo, e já se apresentou em masterclasses de artistas como Leon Fleisher, Garrick Ohlsson, Jean-Yves Thibaudet, Robert Levin, Dmitry Bashkirov, entre outros. Realizou gravações para a France Musique na Europa, Rádio e TV Cultura e Rádio MEC no Brasil.

 

SERVIÇO:

 

Orquestra Sinfônica Brasileira

Lee Mills, regência

 

24 de março, sábado, às 20h

Leonardo Hilsdorf, piano

 

25 de março, domingo, às 11h

“Concerto para a Juventude”

 

Sala Cecília Meireles (R. da Lapa, 47, Centro – Rio de Janeiro. Tels.: 21 2332-9223 e 2332-9224)

 

Ingressos: R$ 40 (sábado) e R$ 10 (domingo), com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

viagra online
 

Faça seu comentário