Escrito por em 28 abr 2018 nas áreas Música antiga, Música de câmara, Programação, São Paulo

Grupo Ficta apresenta concerto com árias barrocas de compositores italianos e franceses no dia 29 de abril.

 

No domingo, 29 de abril, ao meio-dia, o Sesc Santo André, na cidade paulista, promove mais um concerto da série Cameratas. A atração é o Grupo Ficta, que apresenta repertório de árias barrocas de Itália e França.

Os artistas fazem um recorte de árias que cobrem um século de música cantada. Ária, nesse contexto, pode significar mais do que apenas canções pertencentes a óperas, mas também canções independentes. Integram o repertório peças vocais compostas pelo italiano Claudio Monteverdi (considerado o grande divisor de águas entre os períodos da Renascença e do Barroco) e seus patrícios Tarquinio Merula e Biagio Marini, assim como pelos franceses Michel Lambert e Jean-Baptiste Lully. Os estilos específicos da música francesa, de suas airs de cours, seus ornamentos e particularidades, assim como a singularidade das árias italianas, com seus ritornellos, serão abordados com voz, flauta doce, cravo e viola da gamba.

 

Música de câmara

Na definição dos dicionários especializados, “música de câmara” é aquela escrita para um pequeno conjunto de instrumentos, cada um deles tocando uma parte diferente e em geral sem a presença do regente. É música elaborada e realizada em ambiente intimista. O repertório central de câmara tem origem na Europa do século 17 e se consolidou no século seguinte, com gêneros como o quarteto de cordas e o trio com piano. Música de câmara pressupõe diálogo e equilíbrio entre cada um dos executantes.

É o vasto e diversificado universo da música de câmara que a série Cameratas, realizada desde 2015, procura levar ao público desde seu início. Na temporada de 2018, o foco da programação é a voz. Apresentações mensais de março a novembro, sempre no último domingo do mês, mostram que a presença da voz no repertório clássico vai muito além da música coral ou dos solos de ópera.

Com a participação da jornalista e pesquisadora Camila Frésca na curadoria e mediação, cada concerto irá explorar um aspecto da produção vocal camerística, como o canto na música barroca, o bel canto e os diferentes gêneros de canção de câmara, tais como o lied e a modinha.

Neste segundo concerto da temporada, a proposta é voltar no tempo para ouvir a voz combinada a instrumentos e sonoridades da era barroca. Quem proporciona essa experiência é o Grupo Ficta, especializado em música antiga – o que significa que suas interpretações são “historicamente informadas”, ou seja, orientam-se pelo estudo de tratados de época e utilizam cópias de instrumentos antigos.

 

Grupo Ficta

O Ficta foi formado em 2014 pela soprano Ligiana Costa, a flautista Giulia Tettamanti e o cravista Fernando Cardoso, musicólogos das três universidades paulistas (USP, Unicamp e Unesp). Em 2016 somou-se ao grupo a viola da gamba de Gilberto Chacur. A partir de uma experiência prática destes músicos com o repertório madrigalístico, o conjunto apresenta peças da Renascença e do Barroco a partir de um panorama histórico que procura se aproximar de uma interpretação historicamente informada, orientando-se pelo estudo de tratados de época, e cujo intuito é promover uma maior compreensão das obras.

 

PROGRAMA:

Claudio Monteverdi (1567-1643)
Si dolce è il tormento, SV 332, Quarto scherzo delle ariose vaghezze

Biagio Marini (1594-1663)
Alla luna, Scherzi e Canzone, Op. 5
Novello cupido, Scherzi e Canzone, Op. 5

Tarquinio Merula (1595-1665):
Folle è ben che si crede
La Monteverde, Canzoni a quattro voci per sonare con ogni sorti de strumenti musicali, Op. 1, n. 9
Canzonetta spirituale sopra alla nanna

Michel Lambert (ca. 1610- 1696)
Vos mepris chaque jour (airs, manuscrit, ca. 1689)
Ombre de mon amant (airs, manuscrit, ca. 1689)
Ma bergere est tendre (airs, manuscrit, ca.1689)
Par mes chants tristes et touchants (airs, manuscrit, ca. 1689)

Giovanni Legrenzi (1626-1690)
Sonata a due, La Foscari, 18 Trio Sonatas, Op. 2, n. 8

Jean-Baptiste Lully (1632-1687)
Récit de la beauté (Le mariage forcé, LWV 20, 1664)

 

Foto: Nathalia Domingos

 

SERVIÇO:

 

Série “Cameratas”

Grupo Ficta

 

29 de abril, domingo, às 12h

Sesc Santo André – Teatro (R. Tamarutaca, 302, Vila Guiomar – Santo André. Tel.: 11 4469-1311)

 

Ingressos: R$ 17, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos; e gratuito para trabalhadores do comércio de bens, serviços e turismo e seus dependentes com credencial plena, com retirada de ingresso no dia da apresentação na bilheteria ou Loja Sesc

 

Estacionamento (vagas limitadas): R$ 10 (R$ 2,50 por hora adicional) e R$ 5 (R$ 1,50 por hora adicional) para portadores de credencial plena

 

Faça seu comentário