Escrito por em 15 abr 2018 nas áreas Lateral, Música de câmara, Programação, São Paulo

O CMB apresenta a pianista Vania Pimentel e em seguida canto e piano com Sandro Bodilon e Rosely Freire

Vânia Pimentel interpretará obras de Almeida Prado, Amaral Vieira, Camargo Guarnieri, Ernesto Nazareth, Marlos Nobre, Osvaldo Lacerda e Villa-Lobos. A pianista vive nos Estados Unidos e estudou na Escola Superior de Música de Karlsruhe na Alemanha. Obteve os títulos de Mestre em Performance e Pedagogia, e Doutora em Música pela Universidade de Houston nos Estados Unidos. Foi premiada em vários concursos no Brasil, e na Europa, no 26° Concurso Internacional Jaen na Espanha, e no 6° Concurso internacional J. S. Bach em Paris, com concerto final na famosa Salle Gaveau.

Sandro Bodilon e Rosely Freire farão homenagem ao poeta Paulo Bomfim interpretando canções com suas obras. O poema Onde Andará terá três versões compostas por Raquel Peluso, Camargo Guarnieri e Arnaldo Ribeiro Pinto. Em primeira audição mundial duas obras de Villani-Côrtes e uma de Achille Picchi. Outros compositores do programa serão Ascendino Theodoro Nogueira, Osvaldo Lacerda e Sérgio Vasconcellos Corrêa.

 

PROGRAMA

1ª Parte – Vânia Pimentel

Ernesto Nazareth
Odeon

Marlos Nobre
Nazarethiana Opus 2

Osvaldo Lacerda
Sonata (Allegro giusto, Andantino con moto e Allegro vivo)

Heitor Villa-Lobos
As Três Marias (Alnitah, Alnilam e Mintika)

Camargo Guarnieri
Toccata  

Almeida Prado
Toccata da Alegria

Amaral Vieira
Toccata Opus 137

 

2ª Parte – Sandro Bodilon – canto e Rosely Freire – piano

Todas as obras trazem poemas de Paulo Bonfim:

Raquel Peluso
Onde andará

Osvaldo Lacerda
Outra voz, outra paisagem
Basta de ser o outro
Bilhete àquela que ainda está por nascer

Arnaldo Ribeiro Pinto
Onde andará

Ascendino Theodoro Nogueira
À minha mãe

Sérgio Vasconcellos Corrêa
Cantiga

Camargo Guarnieri
Onde andará

Achille Picchi
Longe de ti
E você (1ª Audição) 

Edmundo Villani–Côrtes
Valsa (1ª Audição)
Caminheiro e a sombra (1ª Audição)

 

Vânia Pimentel

A pianista concertista Vania Pimentel deve sua sólida formação musical às mestras Liddy Mignone no Rio de Janeiro e Henriqueta Garcez Duarte em Curitiba. É graduada em Música pela Escola de Música e Belas Artes do Paraná, e em Filosofia pela Universidade Federal do Paraná, tendo lecionado em ambas as instituições. Concluiu com lauda o curso KA de “Maturidade Concertística” na Escola Superior de Música de Karlsruhe (Alemanha), onde exerceu o cargo de Tutora. Obteve os títulos de Mestre em Performance e Pedagogia, e Doutora em Música pela Universidade de Houston (EUA), onde foi docente no departamento de piano e no Festival de Música do Texas. É membro eleito da National Music Honor Society. A convite da Academia Brasileira de Música apresentou um recital na Casa de Rui Barbosa. O seu CD, Brazilian Toccatas and Toccatinas (Ultimo Productions), foi muito elogiado pelo crítico musical Carlos Dantas do Rio.

Foi premiada em vários concursos no Brasil, e na Europa, no 26° Concurso Internacional Jaen na Espanha, e no 6° Concurso internacional J. S. Bach em Paris, com concerto final na famosa Salle Gaveau.  Participou como concertista e professora convidada nos festivais de música de Londrina, Cascavel e Blumenau. Ministrou masterclasses na UNESPAR/EMBAP em Curitiba, na Universidade Federal do Rio Grande do Sul, e no Departamento de Música da USP em Ribeirão Preto, com subsequente recital no Teatro Dom Pedro I. Foi também recitalista na série Pianomaster no Lago de Como, Itália.

Também muito ativa em música de câmara, executou em três recitais as 10 sonatas de Beethoven para piano e violino, em Nápoles, Italia, com o violinista e regente italiano Rodolfo Bonucci. Sob a sua batuta, foi solista do 3o. concerto de Beethoven no Teatro Nacional de Brasília. Na Europa, Vania Pimentel apresentou-se inúmeras vezes em concertos com Die Blaue Blumen em Frankfurt, e nos Estados Unidos com o Greenbriar Consortium de Houston.

Como solista, apresentou-se com a Orquestra de Câmara de São Paulo sob a regência de Olivier Toni no Theatro Municipal de São Paulo aos 13 anos de idade. Foi várias vezes solista da Orquestra da Universidade Federal do Paraná e da Orquestra Sinfônica do Paraná. Apresentou-se com a Camerata Antiqua de Curitiba e realizou tournée com a Orquestra de Câmera de Blumenau em Santa Catarina. Apresentou-se também com a Orquestra Sinfônica de Brasília.  Na Alemanha, recebeu critica elogiosa como solista da Orquestra da Musikhochshule Karlsruhe.

Desde 2009, mora em San Diego, e realiza recitais nas principais bibliotecas no sul da Califórnia. Anualmente, mantém atividade concertista no Brasil. Em 2017, apresentou um programa de música espanhola nas bibliotecas de Coronado e Encinitas (Califórnia), com grande sucesso também em Curitiba no Paço da Liberdade, e no MuBE, em maio de 2017. Em novembro, apresentou um programa de Toccatas em San Diego e, a seguir, na Casa Thomas Jefferson de Brasília, na UNESPAR de Curitiba, e no Auditório Jurerê Classics (Florianópolis) em dezembro.

 

Sandro Bodilon

Diplomou-se bacharel em canto pela Faculdade de Música Carlos Gomes (SP) sob orientação da prof. Regina de Boer. Posteriormente aprofundou seus estudos com os professores Edílson Costa, Jocelyne Gallo, Lenice Prioli, Carmo Barbosa e Caio Ferraz. Em 1997, a convite do governo brasileiro, cantou no Festival de Música Latino-Americana da cidade de Aahrus, na Dinamarca. Em 2004, foi um dos vencedores do Concurso de Interpretação da Canção de Câmara Brasileira promovido pelo Centro de Música Brasileira de São Paulo.

É integrante do Coral Lírico do Theatro Municipal de São Paulo, e membro do grupo de música antiga “Il Dolce Ballo” e também do Núcleo Hespérides das Américas com o qual gravou o CD “Música das Américas” pelo Selo Sesc e, no ano passado, o CD “Hõkrepoj” com obras da compositora Kilza Setti.  Além de sua participação como solista em óperas, o barítono se dedica à pesquisa e interpretação do repertório camerístico, em especial à canção brasileira. Sua dissertação de mestrado realizado na Universidade Paulista “Júlio de Mesquita Filho” (UNESP), tendo como orientadora a prof. Dra. Martha Herr, teve como tema a obra vocal do compositor brasileiro Luciano Gallet.

 

Rosely Freire

Estudou piano com a professora e compositora Lina Pires de Campos, tendo participado de vários concursos nacionais e cursos de interpretação pianística ministrados por Camargo Guarnieri, Maria Regina Seidehofer, Charles Dobler e Magdalena Tagliaferro. Diplomada no curso de Bacharel em Piano pela Universidade São Judas Tadeu. Atuou como professora de piano e música na Fundação Anglo-Brasileira de Educação e Cultura (St. Paul’s School). Como camerista, integrou o projeto Música nos Museus, atuando em duos, trios e quartetos e apresentando-se também no Teatro Popular do Sesi e na Fundação Maria Luisa e Oscar Americano.

Participou ainda das Vesperais Líricas do Theatro Municipal de São Paulo apresentando-se no Museu Brasileiro de Escultura (MuBE) e no Salão Nobre do Theatro Municipal. Com Sandro Bodilon desenvolve um extenso trabalho camerístico dedicado à interpretação de canções francesas, alemãs, italianas e em especial da canção de câmera brasileira. Uma de suas últimas colaborações com o barítono foi um recital com canções do compositor Waldemar Henrique promovido pelo Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo e dedicado à memória da cantora e professora Lenice Prioli.

 

Centro de Música Brasileira – CMB

É uma sociedade civil sem fins lucrativos, fundada em São Paulo, em 18 de dezembro de 1984, iniciando suas atividades em 29 de abril de 1985, no Teatro de Cultura Artística (Sala Rubens Sverner), com um recital de Eudóxia de Barros. Visa a defender e promover maior divulgação da música brasileira erudita de todas as épocas e estilos. Grande parte dos intérpretes que se apresentam são jovens no início de suas carreiras de instrumentistas, cantores ou regentes. Osvaldo Lacerda foi o Presidente até 2011 e atualmente é a pianista Eudóxia de Barros.

O CMB realizou 327 apresentações em São Paulo, e um total de 47 em cidades do interior dos Estados de São Paulo e Minas Gerais. Por duas vezes recebeu Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA, pelo trabalho realizado em prol de nossa música. Não conta com subsídios de entidades nem particulares, nem governamentais, com exceção de esporádicos patrocínios dos prêmios dos concursos ou apoios culturais: Banco Francês e Brasileiro, Metal Leve, PADO S/A., Funarte – MINC, Rotary Club de São Paulo, Orquestra da RTC, SESC, Academia Brasileira de Música, Cultura Inglesa, Bovespa, Grupo Arão Sahm, Casa Manon, Pianos Fritz Dobbert, Orquestra Sinfônica De Campinas, Ballet Stagium, Unibero, Sabó Ind. e com Ltda., e mais recentemente, um grande apoio da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo. Financeiramente, sobrevive graças às anuidades pagas por seu quadro social.

Desde 1995, recebe um valioso apoio cultural da Cultura Inglesa de São Paulo, podendo realizar seus recitais mensais da temporada, na Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico, em Pinheiros.  Promoveu vários concursos de Interpretação, de âmbito nacional: 7 da Canção de Câmara Brasileira; 5 de Músicas Brasileiras para Piano; 2 de Músicas Brasileiras para Flauta.

Promoveu um Concurso de Monografia “O Dobrado” (marcha cívica e militar brasileira), e dois de Composição: o primeiro, em parceria com a Biblioteca Municipal “Mário de Andrade” (São Paulo) e mais recentemente, em 2008, um Concurso de Tocata para Piano, vencido em 1º lugar por Nelson Lin, que teve como prêmio, além de uma vultosa quantia oferecida pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, ainda a impressão de sua Tocata, pela Academia Brasileira de Música. O 2º prêmio foi para Edson Sant´Anna. Foram marcantes os dois recentes Concursos promovidos pelo Centro de Música Brasileira, em dezembro de 2009, curiosamente realizados na Casa Mário de Andrade: o II Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Flauta e o V Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Piano, que tiveram grandes prêmios oferecidos pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. E em 2015, o Concurso de Interpretação Pianística da obra de Osvaldo Lacerda.

Site: http://www.centrodemusicabrasileira.blogspot.com.br/
Facebook: https://www.facebook.com/centrodemusicabrasileira

 

SERVIÇO:

 

Centro de Música Brasileira (CMB) – Homenagem a Paulo Bomfim

21 de abril, sábado, às 20h

 

Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico (Rua Ferreira de Araújo, 741 – Pinheiros – São Paulo – (11) 3039 0500)

 

Classificação Livre

Entrada franca

Faça seu comentário