Escrito por em 30 abr 2018 nas áreas Música de câmara, Programação, Rio de Janeiro

David Chew celebra seus 50 anos de carreira e 65 anos de vida em concerto no dia 2 de maio, no Rio de Janeiro.

 

O violoncelista David Chew faz um concerto especial em comemoração aos seus 50 anos de carreira exatamente no dia do seu aniversário de 65 anos: 2 de maio, quarta-feira. O evento ocorre na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro.

O artista reúne no palco alguns amigos para a grande festa: como os pianistas Linda Bustani (e o Quarteto Lindarte), Gilson Peranzzetta e Fernanda Canaud; o violinista Felipe Prazeres; o saxofonista Blas Rivera e os bailarinos Cecilia Gonzalez e André Carvalho, entre outros.

No programa, obras de J. S Bach, C. Saint Saens, H. Villa-Lobos e R. Schumann, além de composições de Peranzzetta e Rivera.

 

Crowdfunding ao vivo

O concerto visa também arrecadar fundos para a realização do Rio Cello Encounter 2018, em agosto deste ano. A entrada será gratuita, mas a produção vai arrecadar contribuições espontâneas.

Também estará à venda o DVD Chew Faces, em lançamento, no valor sugerido de R$ 70. Produzido por Sil Azevedo e pelo próprio Chew, o DVD traz interpretações de músicas clássica e popular, e reúne entrevistas com o violoncelista e diversos músicos participantes.

A edição deste ano do Rio Cello Encounter, o maior festival de violoncelos do país, está, até o momento, sem patrocinador. Para Chew, esta ação é “essencial para que vençamos o desânimo e consigamos recuperar o entusiasmo para seguir adiante. Como diria o filósofo Nietzsche, sem a música, a vida seria um erro, uma tarefa cansativa, um exílio”.

Ele prossegue: “Em tempos de crise e, com a falsa promessa de fornecer serviços tão essenciais como saúde e educação, diversas fontes têm aberto mão de investir em cultura. Com a certeza de considerarmos a arte algo tão vital para nossa sociedade, toda a família Rio Cello soma esforços para levar esperança e Luz ao nosso povo através da arte, com mínimos recursos financeiros”.

Idealizado e capitaneado pelo músico desde a sua primeira edição, em 1994, o Rio Cello Encounter traz em sua programação, além de concertos, espetáculos de dança, exposições de arte, masterclasses e workshops. Tudo inteiramente gratuito. O sonho de Chew é popularizar a música clássica, além é claro, de homenagear o maestro Villa-Lobos, sua maior inspiração. “Nossa intenção é levar o poder de transformação social da música a espaços públicos e comunidades. No início, era um encontro de violoncelistas, mas o projeto cresceu e hoje recebe diversos instrumentos e múltiplas linguagens artísticas. Desta forma o festival alcança seu principal objetivo que é incluir a música na vida diária de todas as pessoas”, declara.

 

 

David Chew

Recentemente condecorado pela Rainha da Inglaterra por seu importante trabalho no campo da música, o violoncelista inglês David Chew, radicado no Brasil há 38 anos, chega aos 50 anos de carreira com fôlego de sobra para dar conta de vários projetos.

Chew começou a tocar profissionalmente aos 15 anos, na Orquestra Filarmônica de Hull. Em seguida, integrou os Mozart Players e a Orquestra da BBC, ambos em Londres. Fez seus estudos no Guildhall School of Music, em Londres, com William e Tony Pleeth; pós-graduação na Universidade de Hull; e PhD no Kingston University, em Londres, na qual se especializou em música brasileira. Foi convidado a ser professor da Universidade de Colorado e Doutor Honoris causa na Universidade de Hull.

Inspirado em Villa Lobos, sua maior especialidade, fundou e dirige até hoje o Rio International Cello Encounter (Rio Cello), que há 24 anos reúne no Rio os maiores nomes do violoncelo e da música, sempre oferecendo a todos gratuitamente, concertos e masterclasses.

Solista, primeiro violoncelista e spalla da Orquestra Sinfônica Brasileira desde 1981, é também integrante e do Quarteto da UFF. Fundou a Orquestra de Câmara Brasil Consort e o Rio Cello Ensemble (com o qual já gravou seis CDs), e Rio Strings (cinco CDs), o Duo Folia (dois CDs) e Trio Carioca. Já atuou também em parceria com artistas como Fernanda Canaud, Gilson Peranzzetta, Mauro Senise e Paulo Russo, Antonio Meneses e Rosana Lanzelotte, entre outros.

Juntamente com sua ONG (O-Music), Chew vem trabalhando e contribuindo com outras importantes ONGs, como a Grota de Surucucu, Solar Meninos de Luz (Pavão-Pavãozinho) e os Projetos Música nas Escolas em Volta Redonda e Barra Mansa.

O violoncelista foi premiado na Alemanha, França e Inglaterra pela sua interpretação das Bachianas Brasileiras, no Hyperion, em 1986. Em 2005, foi indicado ao Grammy Latino.

 

Fotos: Vitor Kelm

 

SERVIÇO:

 

Concertos comemorativos

David Chew, violoncelo, e amigos

 

2 de maio, quarta-feira, às 20h

Cidade das Artes – Teatro de Câmara (Av. das Américas, 5.300, Barra da Tijuca – Rio de Janeiro. Tel.: 21 3325-0102)

 

Entrada gratuita, com contribuição sugerida e venda do DVD “Chew Faces” (R$ 70)

 

Capacidade: 450 pessoas

Sugestão etária: livre

Duração aproximada: 90 minutos

 

Faça seu comentário