Escrito por em 15 abr 2018 nas áreas Lateral, Minas Gerais, Música de câmara, Paraná, Programação, Rio de Janeiro, Santa Catarina, São Paulo

O jovem violoncelista conquistou o primeiro prêmio do célebre Concurso Rainha Elisabeth da Bélgica em 2017.

 


O violoncelista francês Victor Julien-Laferrière, 27 anos, é uma estrela em ascensão na cena internacional. Especialmente agora, depois de ter sido o grande vencedor do Concurso Rainha Elisabeth da Bélgica, edição 2017, superando 67 outros competidores do mundo inteiro, representando 22 diferentes nacionalidades.
Nesta que é sua primeira visita ao Brasil, Julien-Laferrière realiza, a partir de 26 de abril, turnê por cinco cidades brasileiras:

• Belo Horizonte, Sala Minas Gerais – 26 e 27 de abril, com a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais
• Florianópolis, Teatro Governador Pedro Ivo – 2 de maio, recital com a pianista Araceli Chacon
• São Paulo, Theatro Municipal de São Paulo – 6 de maio, com a Orquestra Sinfônica Heliópolis
• São Paulo, Auditório do Masp – 8 de maio, recital com a pianista Araceli Chacon
• Rio de Janeiro, Sala Cecília Meireles – 9 de maio, recital com a pianista Araceli Chacon
• Curitiba, Capela Santa Maria – 10 de maio, recital com a pianista Araceli Chacon

A turnê de Victor Julien-Laferrière se realiza sob coordenação de Cristina Barros-Greindl, brasileira radicada em Bruxelas desde 1987. Cristina é responsável por vários programas culturais de intercâmbio entre Bélgica e Brasil, e representante exclusiva no Brasil do Concurso Rainha Elisabeth da Bélgica. Este é o nono ano consecutivo em que ela traz ao Brasil músicos vencedores do concurso, para turnês por várias cidades. A turnê 2018 tem direção artística do pianista Fábio Caramuru e produção da Echo Promoções Artísticas.


Concurso Rainha Elisabeth da Bélgica

É  uma das mais importantes competições musicais do mundo. Sua história tem raízes em uma ideia cultivada por longos anos pelo violinista, compositor e regente Eugène Ysaÿe. A competição só veio a se concretizar em 1937, anos após a morte do músico belga, com a criação do Concours Eugène Ysaÿe, graças ao suporte da Rainha Elisabeth e da corte belga, através da fundação Chapelle Musicale Reine Elisabeth. O concurso não se realizou durante alguns anos, por força da Segunda Guerra Mundial, e veio a ser relançado com força máxima em 1950, com o nome Concurso Rainha Elisabeth da Bélgica. Desde então vem sendo realizado anualmente. Em ciclos de quatro anos alternam-se as competições de violino, piano, voz e, desde 2017, violoncelo. No período de 1953 a 2012 a composição foi também uma das categorias da competição.

De 8 de maio a 3 de junho de 2017, Victor Julien-Laferrière foi passando sucessivamente pelas várias etapas eliminatórias do Concurso até chegar às finais da competição – naquela que foi a primeira edição dedicada ao violoncelo. Os doze finalistas se apresentaram na Salle Henry Le Boeuf do Palais des Beaux-Arts, em Bruxelas, com a Filarmônica de Bruxelas sob regência de Stéphane Denève. Atuaram como solistas de Sublimation, de Toshio Hosokawa, peça obrigatória, e de um concerto para violoncelo e orquestra, à escolha do competidor.

A apresentação de Julien-Laferrière – com o Concerto n. 1, Op. 107, de Dmitry Shostakovich –, aconteceu em 3 de junho, data em que ele foi proclamado o grande vencedor do concurso. Foi aclamado por um júri integrado por grandes estrelas internacionais do violoncelo, entre elas Gautier Capuçon, David Geringas, Natalia Gutman, Mischa Maisky, Pieter Wispelwey e o brasileiro Antonio Meneses.


Victor Julien-Laferrière

Nasceu em Paris em 1990. Em 2008, completou seus estudos no Conservatoire National Supérieur de Musique de Paris, sob orientação de Roland Pidoux. De 2009 a 2016, realizou estudos de aperfeiçoamento com Heinrich Schiff, na Universidade de Viena, e com Clemens Hagen, no Mozarteum de Salzburgo. Em paralelo, de 2005 a 2011, participou da Academia Internacional de Música da Suíça, de Seiji Ozawa.

Nos últimos dez anos, o violoncelista vem desenvolvendo carreira como solista e como camerista. Tocou com orquestras como a Filarmônica da Rádio da França, a Orquestra de Câmara de Paris, a Filarmônica de Bruxelas, a Orquestra de Câmara de Valônia e a Orquestra Nacional da França. Na música de câmara é também bastante requisitado, já subiu ao palco ao lado de músicos como Renaud Capuçon, Augustin Dumay, Adam Laloum, Jonas Vitaud, Raphaël Sévère, Lise Berthaud e Quatuor Strada, entre outros.

Em 2009, Victor Julien-Laferrière fundou o Trio Les Esprits, junto com o pianista Adam Laloum e a violinista Mi-Sa Yang – os três são alunos do curso de música de câmara do Conservatório de Paris, na classe de Vladimir Mendelssohn. O trio tem se apresentado com frequência em Paris e em vários festivais europeus, entre eles Sommets Musicaux de Gstaad, Folles Journées de Nantes, Autunno Musicale di Caserta, Festival Mecklenburg-Vorpommern, Festival de Radio France et Montpellier e Festival de Pâques d’Aix-en-Provence. O Trio Les Esprits tem já dois CDs. O primeiro lançado em janeiro de 2014, dedicado ao Trio n. 6, de Beethoven, e ao Trio n. 3, de Schumann. O segundo, lançado em 2017, dedicado ao Trio n. 1, de Brahms, e ao Trio Dumky, de Dvorák.

Victor Julien-Laferrière tem ainda um disco em duo com Adam Laloum, lançado em 2016, com as Sonatas para violoncelo e piano de Brahms, Franck e Debussy. Participou também de outros discos, com destaque para CD lançado em 2014, no qual interpreta o Trio para clarinete, violoncelo e piano, com Raphaël Sévère e Adam Laloum.

Esses discos têm sido unanimemente aplaudidos pela crítica francesa, receberam o Diapason d’Or da revista Diapason, o Choc da revista Clássica, os “quatro efes” (ffff) da revista Télérama e o Le Choix da revista France Musique.

 

Araceli Chacon

Nascida em São José do Rio Preto, SP, Araceli Chacon começou seus estudos de piano no Conservatório Musical Carlos Gomes, em sua cidade natal. Mais tarde passou a receber orientação pianístico-musical de Lydia Alimonda. Em 1989, recebeu bolsa integral para a Juilliard School of Music, de Nova York. Permaneceu na instituição por dez anos, período em que concluiu os cursos de graduação e mestrado e exerceu intensa atividade performática musical.

Recebeu, entre outros prêmios, o de Revelação, pela APCA; o de Melhor Intérprete de Cláudio Santoro, no II Concurso Sul América; e o de Melhor Intérprete de Maurice Ravel, no II Concurso Antonieta Rudge. De 1992 a 2008, atuou como professora concursada na Universidade Federal de Uberlândia. Em mais de 40 anos de carreira, já realizou inúmeros concertos como solista de orquestra, recitais solo e recitais de câmara, em todas as principais cidades brasileiras e também nos Estados Unidos, Canadá, Alemanha e África do Sul. Tem vários discos, o mais recente deles com recital realizado no Paul Recital Hall, situado no complexo Lincoln Center Plaza de Nova York.


BELO HORIZONTE
, 26 de abril, quinta, e 27 de Abril, sexta, sempre às 20h30

Victor Julien-Laferrière, violoncelo, e Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, sob regência de Marcos Arakaki

R. Schumann
Abertura da ópera Genoveva, Op. 81

E. Elgar
Concerto para violoncelo em mi menor, Op. 85

D. Shostakovich
Sinfonia n. 5 em ré menor, Op. 47

SALA MINAS GERAIS
Rua Tenente Brito Melo 1090, Barro Preto | Belo Horizonte | MG
Ingressos | de R$ 22,00 a R$ 116,00 (com meia-entrada)
Informações | (31) 3219-9000

FLORIANÓPOLIS, 2 de maio, quarta, 20 h

Victor Julien-Laferrière, violoncelo, e Araceli Chacon, piano

R. Schumann
5 peças em estilo folclórico, Op. 102

A. Dvorák
Rondó em sol menor para violoncelo e piano, Op. 94
Waldesruhe (Bosque silencioso) para piano a quatro mãos, versão para violoncelo e piano, Op. 68 n. 5
Dança eslava Op. 46 n. 8

E. Grieg
Sonata em lá menor para violoncelo, Op. 36

TEATRO GOVERNADOR PEDRO IVO
Rodovia SC 401, Km 15, n° 4600, Saco Grande | Florianópolis | SC
Ingressos | GRÁTIS
Informações | (48) 3665-1630


SÃO PAULO
, 6 de maio, domingo, 12h

Victor Julien-Laferrière, violoncelo, e Orquestra Sinfônica Heliópolis, sob regência de Isaac Karabtchevsky

P. I. Tchaikovsky
Variações sobre um tema rococó em lá maior, para violoncelo e orquestra, Op. 33

A. Dvorák
Sinfonia n. 6 em ré maior, Op. 60

THEATRO MUNICIPAL DE SÃO PAULO
Praça Ramos de Azevedo s/nº, Centro
Ingressos | R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia
Informações | (11) 3397-0327


SÃO PAULO
, 8 de maio, terça, 21h

Victor Julien-Laferrière, violoncelo, e Araceli Chacon, piano

R. Schumann
5 peças em estilo folclórico, Op. 102

A. Dvorák
Rondó em sol menor para violoncelo e piano, Op. 94
Waldesruhe (Bosque silencioso) para piano a quatro mãos, versão para violoncelo e piano, Op. 68 n. 5
Dança eslava Op. 46 n. 8

E. Grieg
Sonata em lá menor para violoncelo, Op. 36

MASP AUDITÓRIO
Av. Paulista, 1578 | Bela Vista | São Paulo | SP
Ingressos | R$ 10,00 inteira e R$ 5,00 meia
Informações | (11) 3149-5920


RIO DE JANEIRO
, 9 de maio, quarta, 20h

Victor Julien-Laferrière, violoncelo, e Araceli Chacon, piano

R. Schumann
5 peças em estilo folclórico, Op. 102

A. Dvorák
Rondó em sol menor para violoncelo e piano, Op. 94
Waldesruhe (Bosque silencioso) para piano a quatro mãos, versão para violoncelo e piano, Op. 68 n. 5
Dança eslava Op. 46 n. 8

E. Grieg
Sonata em lá menor para violoncelo, Op. 36

SALA CECÍLIA MEIRELES
Largo da Lapa 47 | Centro | RJ
Ingressos | R$ 40,00 inteira e R$ 20,00 meia
Informações | (21) 2332-9223


CURITIBA
, 10 de maio, quinta, 20h

Victor Julien-Laferrière, violoncelo, e Araceli Chacon, piano

R. Schumann
5 peças em estilo folclórico, Op. 102

A. Dvorák
Rondó em sol menor para violoncelo e piano, Op. 94
Waldesruhe (Bosque silencioso) para piano a quatro mãos, versão para violoncelo e piano, Op. 68 n.  5
Dança eslava Op. 46 n. 8

E. Grieg
Sonata em lá menor para violoncelo, Op. 36

CAPELA SANTA MARIA
R. Conselheiro Laurindo 273, Centro | Curitiba | PR
Ingressos | R$ 20,00 e R$ 10,00 (meia-entrada)
Informações | (41) 3321-2840

 

Faça seu comentário