Escrito por em 8 maio 2018 nas áreas Música antiga, Programação, Rio de Janeiro

Espanhol Juan del Encina é lembrado pelo conjunto de Música Antiga da UFF nos 550 anos de seu nascimento.

 

O nome de Juan del Encina (1468-1529) pode não soar familiar para muita gente, mas esse dramaturgo, músico e poeta espanhol compartilha com o português Gil Vicente a paternidade do teatro ibérico.

Grande humanista, deixou uma importante produção teatral e muitas de suas músicas sobreviveram com partituras em diversos cancioneiros do seu tempo. A maior parte da sua obra lírica, escrita para ser cantada, divide-se entre a profana e a sagrada, com certo gosto popular e muita imaginação.

Para celebrar os 500 anos de nascimento de Encina, o conjunto de Música Antiga da UFF realiza recital com suas obras no dia 13 de maio, às 10h30, no Cine Arte UFF, em Niterói.

Formado atualmente por Leandro Mendes, Lenora Pinto Mendes, Mario Orlando, Márcio Paes Selles e Virgínia Van der Linden, o Música Antiga da UFF vem, desde 1981, trabalhando para recriar a sonoridade da Idade Média e do Renascimento, encantando o espectador com suas músicas e o fascínio das histórias que compõem seus ricos repertórios, resgatando e transmitindo não apenas a música, mas também o contexto histórico e cultural dessa épocas.

 

O compositor

Juan del Encina tem seu sobrenome derivado da cidade onde nasceu, La Encina, em 1468, na província de Salamanca, Espanha. Mesmo sendo de origem modesta, filho do sapateiro Juan de Fermoselle, teve a oportunidade de estudar na Universidade de Salamanca e graduar-se em Direito.

Esteve a serviço do Duque de Alba, em Alba de Tormes, onde ocupou o cargo de diretor de espetáculos, promovendo o entretenimento do nobre e de sua corte, com obras dramáticas, poesias e músicas. Nesse período, compôs a maior parte de sua obra.

Posteriormente foi viver na Itália, onde cantou para o Papa Leão X. De volta à Espanha, foi nomeado arquidiácono em Málaga. Em 1519, foi a Jerusalém, onde cantou uma no Monte Sinai. Esta viagem está narrada em sua obra Via sagrada a Jerusalém.

Morreu em León, na Espanha, em 1529, e, em 1534 seus restos foram trasladados para a Catedral de Salamanca, onde está enterrado até hoje.

 

PROGRAMA:

Juan del Encina (1468-1529)

Hermitano
Ay triste que vengo
Cucu, cucu, cucu
El que rige y el regido
Triste España
A tal perdida tan triste
Una sañosa porfia
Que es de ti desconsolado
Levanta Pascual
Ou comamos y bebamos

 

SERVIÇO:

 

“Juan del Encina – 550 anos de nascimento”

Música Antiga da UFF

 

13 de maio, domingo, às 10h30

Cine Arte UFF – Centro de Artes da UFF (R. Miguel de Frias, 9, Icaraí – Niterói. Tel.: 21 3674-7515)

 

Ingressos: R$ 14, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Faça seu comentário