Escrito por em 8 jun 2018 nas áreas Festival, Lateral, Programação, São Paulo

Cidade serrana paulista apresenta programações de música clássica de 30 de junho a 29 de julho.

 

Prestes a comemorar meio século de existência, o Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão chega a sua 49ª edição em 2018. De 30 de junho a 29 de julho, o maior festival de música clássica da América Latina oferece uma extensa programação de concertos para todos os gostos e plateias. Grandes obras do repertório sinfônico e camerístico, recitais solo e música coral estão entre as atrações imperdíveis desse evento, que já é um clássico das férias de inverno de São Paulo.

São cerca de 90 apresentações – a maioria gratuita –, que ocorrem tanto nos palcos de Campos do Jordão (Auditório Claudio Santoro, Praça do Capivari, Capela do Palácio e Igreja de Santa Terezinha), como da capital paulista (Sala São Paulo e Sala do Coro), reunindo prestigiados artistas nacionais e internacionais, entre solistas convidados, grupos de câmara em diversas formações, e orquestras de São Paulo e de outros estados.

Parte fundamental do Festival é seu núcleo pedagógico, que mais uma vez, está concentrado na Sala São Paulo: são 198 bolsistas de todo o Brasil e de diversas partes do mundo que, além de participarem de aulas e ensaios com mais de 50 professores brasileiros e estrangeiros, se apresentam durante todo o mês de julho integrando os três principais grupos do evento – a Orquestra do Festival, a Camerata do Festival e o Grupo de Música Antiga do Festival – e ainda em concertos de câmara gratuitos ao lado de seus professores.

Marin Alsop

A abertura oficial do 49º Festival de Inverno de Campos do Jordão ocorre no dia 30/6, às 20h30, no Auditório Claudio Santoro, com um concerto da Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp), sob a regência de sua diretora musical e regente titular Marin Alsop. Já no dia 7/7 (Auditório Claudio Santoro), a Osesp, regida mais uma vez por Alsop, se apresenta com a participação dos bolsistas mais bem classificados dessa edição.

Alexander Shelley

No final do mês, a Orquestra faz mais dois concertos especiais: dias 26/7 (quinta, 20h30, Sala São Paulo) e 27/7 (sexta, 20h30, Auditório Claudio Santoro), sob a batuta do britânico Alexander Shelley (regente associado da Royal Philharmonic Orchestra de Londres), com os violinistas Emmanuele Baldini e Davi Graton como solistas.

 

Orquestra do Festival

Sian Edwards

A Orquestra do Festival faz dois programas: o primeiro (13/7, Sala São Paulo; 14/7, Auditório Claudio Santoro) comandado pela britânica Sian Edwards, chefe do curso de regência da Royal Academy de Londres (que esteve no Festival em 2015), com o pianista Arnaldo Cohen, que comemora seu aniversário de 70 anos, como solista. O segundo (28/7, Auditório Claudio Santoro; 29/7, Sala São Paulo), sob a batuta do português Pedro Neves, regente titular da Orquestra Clássica de Espinho e maestro convidado da Orquestra Gulbenkian (que esteve à frente da Osesp em 2017).

 

Camerata do Festival

Washington Barella

A Camerata do Festival se apresenta em dois programas: o primeiro com supervisão de Sian Edwards, tem à frente os bolsistas de regência (14/7, Praça do Capivari). O segundo tem regência de Lavard Skou Larsen (professor de violino na Academia de Música Mozarteum, Salzburg; regente do Deutsche Kammerakademie Neuss am Rhein e do Georgisches Kammerorchester Ingolstad), e a participação de quatro dos mais renomados instrumentistas de sopro da atualidade – Washington Barella (oboé), Mark van de Wiel (clarinete), Katy Woolley (trompa) e Afonso Venturieri (fagote) –, todos professores dessa edição do Festival (21/7, Auditório Claudio Santoro; 22/7, Sala São Paulo).

 

Grupo de música antiga do Festival

Luís Otávio Santos

Sob a direção de Luís Otávio Santos (violinista, diretor artístico do Festival Internacional de Música Colonial Brasileira e Música Antiga de Juiz de Fora; fundador e coordenador do Núcleo de Música Antiga da Emesp), o grupo faz dois concertos (21/7, Sala São Paulo; 22/7, 16h30, Auditório Claudio Santoro), com a participação do Coro Acadêmico da Osesp (regência de Marcos Thadeu).

 

Orquestras em destaque

Luíz Filíp

A programação sinfônica do 49º Festival recebe diversas orquestras de outros estados. De Goiás, a Orquestra Filarmônica de Goiás, com dois concertos (6/7, Auditório Claudio Santoro; 7/7, Sala São Paulo), tendo como solista o violinista Luíz Filíp, e a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás, também com dois concertos (7/7, Praça do Capivari; e 8/7, Sala São Paulo). Do Rio Grande do Sul, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre (20/7, Sala São Paulo) e a Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul (21/7, Praça do Capivari). E de Belém do Pará, a Orquestra Jovem Vale Música, com dois concertos (7/7, Praça do Capivari; e 8/7, Sala São Paulo).

Katy Woolley

Participam ainda várias orquestras paulistas, entre elas, a Orquestra Sinfônica da USP (com três concertos, um deles sob a batuta dos bolsistas de regência), a Orquestra Jovem do Estado de São Paulo, a Orquestra Jazz Sinfônica, a Orquestra Municipal de Campinas (com dois concertos) e a Orquestra Sinfônica de Santo André (que comemora 30 anos de fundação).

 

Música de câmara e recitais

Arnaldo Cohen

A programação de câmara tem grande espaço nessa edição e traz como grande destaque o concerto especial Cohen & Convidados (17/7, Sala São Paulo), que reúne o pianista Arnaldo Cohen, celebrando seus 70 anos com os músicos Emmanuele Baldini (violino/Osesp), Winston Ramalho (violino/Orquestra de Câmara de Curitiba), Cármelo de los Santos (violino/Universidade do Novo México), Peter Pas (viola/Osesp), Santiago Sabino Carvalho (violoncelo/Orquestra Filarmônica de Londres), Horácio Schaefer (viola/Osesp) e Fabio Presgrave (violoncelo/UFRN).

Trio Kagurazaka

Outras atrações são o Quarteto Osesp, o Quinteto Zephyros, a Camerata Antiqua de Curitiba, o Trio Kagurazaka e um duo com Winstom Ramalho (violino) e Cristian Budu (piano). A música coral está representada pelo Coro da Osesp e os Coros Infantil, Juvenil e Acadêmico da Osesp. Já os violonistas Ignacio Rodes (Espanha) e Paulo Martelli (Brasil) se apresentam em recitais solo.

Destaque também para a esperada programação de concertos de câmara gratuitos, com grupos formados por professores e bolsistas do Festival, sempre às 19h, na Sala do Coro (Sala São Paulo).

 

Prêmios e bolsas

Winstom Ramalho

O Prêmio Eleazar de Carvalho, oferecido pela Secretaria Estadual de Cultura de SP, por intermédio da Fundação Osesp, contemplará o/a bolsista que mais se destacar nessa edição, concedendo a ele/a uma bolsa de US$ 1.400 mil (um mil e quatrocentos dólares) mensais para estudar por um período de até nove meses em uma instituição estrangeira de sua escolha, além de ter cobertas as despesas de translado entre o Brasil e o exterior. A Fundação Osesp poderá premiar outros bolsistas que se destacarem durante as atividades, a definir.

 

Realização

Santiago Sabino Carvalho

O 49º Festival Internacional de Inverno de Campos do Jordão é uma realização da Secretaria de Cultura do Governo do Estado de São Paulo, em parceria com a Fundação Osesp, a Prefeitura de Campos do Jordão e a iniciativa privada, contando com o patrocínio da Rede; copatrocínio da Sabesp e Comgás; apoio da Localiza e Fritz Dobert; e promoção da Folha de S.Paulo. A direção executiva é de Marcelo Lopes; a direção artística é de Arthur Nestrovski; a coordenação artístico-pedagógica é de Fábio Zanon; e a consultoria artística é de Marin Alsop.

Cristian Budu

“O Festival de Campos de Jordão, em sua 49ª edição, se consolida como o maior festival de música clássica da América Latina. Mais do que isso, oferece também a possibilidade de intercâmbio de conhecimento entre os alunos de vários estados e países, bem como a oportunidade de aprendizado com os maiores nomes da música erudita contemporânea”, afirma Romildo Campello, Secretário de Cultura do Estado.

 

Ingressos

Ignacio Rodes

Os concertos gratuitos na Praça do Capivari (ao ar livre), na Igreja de Santa Terezinha (200 lugares), na Capela do Palácio do Governo (120 lugares) e na Sala do Coro (150 lugares) têm retirada de ingressos duas horas antes de cada concerto, limitados a dois por pessoa e à capacidade do local.

Afonso Venturieri

Os concertos pagos no Auditório Claudio Santoro (1.050 lugares) têm valores que variam de R$ 25 a R$ 100, e estarão à venda nas bilheterias do Auditório nos dias dos concertos, duas horas e meia antes do início, sujeitos à disponibilidade, e na Praça do Capivari, a partir de 25/6, diariamente das 10h às 18h. Para os concertos gratuitos no Auditório Claudio Santoro, a retirada de ingressos será 2h antes das apresentações, limitados a dois por pessoa e à capacidade do local.

Cármelo de los Santos

Os concertos pagos na São Paulo (1.484 lugares) têm valores que variam de R$ 10 a R$ 20, e estarão à venda na bilheteria do estacionamento, no dia da apresentação, 2h30 antes do início. Para os concertos gratuitos na Sala São Paulo, a retirada de ingressos é na bilheteria do estacionamento, duas horas e meia antes de cada apresentação, limitados a dois por pessoa e à capacidade do local.

Paulo Martelli

Benefício de meia-entrada para estudantes; idosos; jovens pertencentes a famílias de baixa renda; pessoas com deficiência; professores, diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e titulares da rede pública estadual e municipal de ensino, mediante identificação no ato da compra e no dia da apresentação.

Outras informações no site do Festival

 

Faça seu comentário