Escrito por em 21 jun 2018 nas áreas Notícia, Ópera

Amantes da arte lírica podem ajudar a montar Bastien und Bastienne, de Mozart, no Rio de Janeiro.

 

A Atlantis Opera Orchestra, em uma rara iniciativa de natureza privada, começou a apresentar óperas este ano no Rio de Janeiro. Por enquanto, os espetáculos são de pequeno porte. O conjunto já levou La Serva Padrona, de Pergolesi, à Cidade das Artes, na Barra da Tijuca, e, em julho, apresentará, no mesmo espaço, a ópera Bastien und Bastienne, de Mozart.

Desta vez, a orquestra está recorrendo a um crowdfunding, a popular “vaquinha”, para auxiliá-la a custear as despesas da montagem. O regente Evandro Rodriguese, autor do projeto, explica a ideia: “Estamos atravessando uma crise, tanto econômica como política, das mais significativas das últimas décadas. A Cultura é uma das primeiras áreas a terem investimentos cessados e processos descontinuados. Contudo, é nesse momento de crise que é essencial que seja consolidado um espaço de resistência artística, seja na música, na dança, sejam nas expressões artísticas eruditas ou populares”.

Ainda segundo o regente, muitos músicos recém-formados não encontram mercado de trabalho: “Em arte, sobretudo em música, a prática é essencial. Em uma cidade como o Rio de Janeiro, com dezenas de músicos saindo da formação acadêmica, e com as poucas oportunidades que têm esses jovens profissionais, é urgente que algo seja feito para a consolidação de um mercado de trabalho que não esteja restrito a um único teatro com produção regular na capital, sobretudo quando falamos de ópera: é um tipo de arte tão específica e grandiosa que não dá para fazê-la apenas com a garra e o amor dos profissionais envolvidos. Precisamos de investimento, público e privado, e de uma sociedade que se una, que acredite e vibre com os romances, tragédias e intrigas, do mesmo modo de quem está no palco (e atrás dele)”.

Produzir óperas, claro, não é barato, e, depois de fazer La Serva Padrona com a ajuda de amigos e parceiros, o conjunto resolveu partir para o financiamento coletivo – o citado crowdfunding –, por meio do qual busca-se obter capital para iniciativas de interesse coletivo, através da reunião de várias fontes de financiamento. Geralmente, são pessoas físicas interessadas na iniciativa que contribuem para a sua realização.

Rodriguese justifica a iniciativa: “Chegar aos grandes investidores é um desafio e tanto, e estes primeiros passos que estamos dando é o que precisamos para conseguir, no futuro, montar grandes títulos com tudo o que o público carioca merece e tem direito. Para isso, criamos esse crowdfunding: para que todos os apaixonados por ópera no Rio de Janeiro possam participar desta história conosco. Com essas contribuições voluntárias, é possível nos ajudar a montar uma pequena ópera, delicada e divertida, além de nos auxiliar a criar um portfólio para, mais adiante, lutarmos esta batalha em prol da ópera também por meio de mecanismos de incentivo fiscais”.

Bastien und Bastienne contará com a soprano Chiara Santoro no papel de Bastienne, o tenor Rodrigo Sammarco como Bastien e o barítono Rafael Siano como o Mago Colas, além do ator mirim Vittório Gava, no papel do pré-adolescente Mozart. A direção cênica será de Manuel Thomas, enquanto a regência estará a cargo do próprio Rodriguese, que comandará a Atlantis Opera Orchestra.

O maestro informa ainda as vantagens de colaborar com o crowdfunding: “Para pessoas físicas, as contrapartidas vão de ingressos, canecas e camisetas a sessão particular de coaching e até aula de canto, e ainda temos contrapartidas empresariais exclusivas”.

E prossegue, com um convite aos amantes de ópera: “Convidamos a todos que doem o tanto que puderem ao nosso projeto. Qualquer doação vai assegurar metros de tecido para o vestido da Bastienne, a mão de obra do cenotécnico que confecciona nosso cenário, a diária de ensaio dos músicos da nossa orquestra e demais custos de produção orçados com muita responsabilidade, além da remuneração de nossos artistas envolvidos – um cachê muito inferior ao que gostaríamos de poder oferecer aos excelentes profissionais da voz, da música e do palco que convidamos”.

 

Acesse a plataforma de crowdfunding.

 

Sobre a ópera

Indicada para toda a família, Bastien und Bastienne é uma ópera cômica escrita em 1768, quando Mozart tinha apenas 12 anos de idade, e uma das primeiras óperas do compositor. É especificamente uma paródia da ópera Le devin du village, de Jean-Jacques Rousseau.

A história conta as desventuras de Bastienne, jovem camponesa que perde seu amado, Bastien, para uma nobre dama. Desesperada, e almejando reconquistar seu grande amor, ela recorre à ajuda do Mago Colas. A trama se desenvolve em torno dos conselhos dados pelo feiticeiro, tanto para Bastienne como para Bastien.

 

Faça seu comentário