Escrito por em 4 jun 2018 nas áreas Lateral, Música de câmara, Programação, São Paulo

Conjunto faz apresentações nos dias 14 e 28, na Sala do Conservatório, em São Paulo.

 

O Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo preparou dois concertos para junho na Sala do Conservatório da Praça das Artes, na capital paulista. A primeira, no dia 14, tem obras compostas por Ludwig van Beethoven e a segunda, em 28 de junho, com o pianista Laércio de Freitas e o flautista Shen Ribeiro, em um concerto que homenageia os 110 anos da imigração japonesa no Brasil.

No primeiro recital do mês, às 20h do dia 14, os violinos de Betina Stegmann e Nelson Rios; a viola de Marcelo Jaffé; e o violoncelo de Rodrigo Andrade interpretam o Quarteto para Cordas n. 11, Op. 95, composto por Beethoven em 1810. “Esta obra marca o início do processo de transformação da perspectiva de Beethoven por meio da arte, colocando o ser humano no centro de todas as questões”, explica Jaffé.

“A outra obra que vamos interpretar, o Quarteto para Cordas n. 16, Op. 135, encerra este ciclo. E ela é quase uma anedota”, revela o violista. Quando compôs esse quarteto, Beethoven estava em uma fase de não pagar o aluguel, fazer barulho, sujeira e incomodar os vizinhos. “Existe inclusive uma história de que a vizinha de baixo dele batia com a vassoura no teto para reclamar e esse é um dos sons que ele coloca nessa composição, por exemplo”, completa Jaffé.

Já em 28 de junho, o Quarteto de Cordas conta com dois parceiros para uma homenagem à imigração japonesa no Brasil. Shen Ribeiro, o único especialista de sakuhashi (flauta tradicional do Japão) no Brasil, traz seu conhecimento da cultura e da música nipônicas. O pianista e compositor Laércio de Freitas fez os arranjos para cordas, piano e sakuhachi.

“Estamos trabalhando com músicas da época da Abertura Meiji, no final do século 19, início do século 20, quando o Japão se abriu para o mundo”, conta Ribeiro. “Foi uma época em que houve um forte intercâmbio entre a cultura oriental e a norte-americana, mas, principalmente, com a europeia”, finaliza.

 

Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo

O Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo foi fundado em 1935 por iniciativa de Mário de Andrade. Inicialmente era chamado de Quarteto Haydn e buscava difundir a música de câmara e estimular compositores brasileiros a compor novo repertório para o gênero. O grupo passou a ser chamado de Quarteto de Cordas Municipal a partir de 1944, chegando à sua forma definitiva em 1981, como Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo.
A atual formação conta com Betina Stegmann e Nelson Rios (violinos), Marcelo Jaffé (viola) e Rodrigo Andrade (violoncelo), músicos de intensa atividade no cenário musical brasileiro e de prestígio internacional, que se destacam também pela atuação em concertos, recitais e atividades pedagógicas.

O quarteto apresenta-se constantemente no Brasil e no exterior, em eventos como a Feira do Livro de Frankfurt, na Alemanha; o Festival de Música de Saragoza, na Espanha; e o Festival Internacional de Música de Morelia, no México. No Brasil, além da participação nos mais importantes festivais e cursos de música, desenvolveu projetos de estímulo a jovens instrumentistas por meio de concursos e de concertos didáticos em escolas da rede pública, universidades e escolas de música.

Em concertos comentados, o grupo apresenta o amplo repertório para a formação, inclusive o de vanguarda, promovendo o contato do público com todas as tendências e escolas de composição, como parte do projeto original do grupo, de fomento e formação de plateias. Em sete oportunidades o Quarteto de Cordas ganhou o prêmio de Melhor Conjunto Camerístico da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) e por três vezes o Prêmio Carlos Gomes.

 

Foto: Gabriel Novaes

 

SERVIÇO:

 

Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo

 

14 e 28 de junho, quintas-feiras, às 20h

Sala do Conservatório – Praça das Artes (Av. São João, 281, Centro – São Paulo. Tel.: 11 4571-0401)

 

Ingressos: R$ 20, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Duração aproximada: 1 hora

Sugestão etária: indicado para maiores de 7 anos

 

Faça seu comentário