Escrito por em 31 jul 2018 nas áreas Música de câmara, Programação, Rio de Janeiro

Andrea Ernest Dias e Elodie Boudy apresentam concerto que mistura erudito e popular em Niterói.

 

Não faz muito tempo que as instrumentistas Andrea Ernest Dias (flauta) e Elodie Bouny (violão) estrearam em duo: foi na edição 2017 do Festival Mimo, em Paraty. As artistas se apresentam novamente na terça-feira, dia 7 de agosto, às 19h30, no Teatro da UFF, em Niterói. No repertório, obras da pioneira Chiquinha Gonzaga, da primeira-dama do samba, Ivone Lara, da própria Elodie e de autores eruditos e populares, como Radamés Gnattali, Toru Takemitsu, Franz Schubert, Moacir Santos e Astor Piazzolla.

Doutora em flauta pela Universidade Federal da Bahia, Andrea Ernest Dias é flautista da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF e dos grupos Trio 3-63, Abstrai Ensemble, Banda Ouro Negro, Carlos Malta & Pife Muderno, Banda de Câmara Anacleto de Medeiros, Quarteto Rapsódico e Quinteto Pixinguinha. Apresentou-se em importantes salas de concerto, como Carnegie Hall e Lincoln Center, em Nova York; Forbidden Hall, em Pequim; Cité de la Musique, em Paris; Centre National de Musique, em Marselha; Theatro Municipal e Sala Cecília Meireles, no Rio de Janeiro; Sala São Paulo; Palácio das Artes, em Belo Horizonte; Theatro da Paz, em Belém; e Teatro Amazonas, em Manaus, entre outras. Sua flauta é ouvida em gravações para Baden Powell, Caetano Veloso, Chico Buarque, Edu Lobo, Guinga, Moacir Santos, Rosa Passos, Cássia Eller, Milton Nascimento, Zé Kéti.

Nascida em Caracas, a violonista e compositora Elodie Bouny cresceu em Paris, onde efetuou um percurso de estudos clássicos completo, voltado para o violão erudito, no Conservatório de Boulogne. Aperfeiçoou-se com Pablo Márquez no Conservatório de Estrasburgo, no qual abriu seu campo de trabalho, em especial para a música antiga e a improvisação. No Rio de Janeiro, integrou a Camerata de Violões e obteve o título de mestre em Educação Musical pela Escola de Música da UFRJ, na qual é doutoranda em Composição. Em parceria com Yamandu Costa, orquestrou diversas peças – suíte Passeios, para violão de sete cordas, acordeom e orquestra; concerto Fronteira, para violão de sete cordas e orquestra, entre outras – que foram tocadas em salas prestigiosas (Salle Pleyel, em Paris; Teatro São Pedro, em Porto Alegre; Teatro Cine Odeon, em Cuiabá; Rotkäppchen Sektkellerei, em Leipzig; La Philharmonie, de Paris) sob a regência de Antônio Borges-Cunha, Leandro Carvalho, Kristjan Jarvi e Alondra de La Parra.

 

PROGRAMA:

Radamés Gnattali (1906-1988)
Sonatina para flauta e violão

Chiquinha Gonzaga (1847-1935)
Saudade (valsa)

Ivone Lara (1921-2018)
Amor sem esperança (sobre arranjo de Leandro Braga)

Franz Schubert (1797-1828)
Ständchen (Serenade)

Toru Takemitsu (1930-1996)
Toward the sea

Astor Piazzolla (1921-1992)
Invierno porteño

Elodie Bouny (1983-)
Ode urbaine

Moacir Santos (1926-2006)
Jequié

Paulo Jobim (1950-)
Valse

Marco Pereira (1950-)
Seu Tonico na ladeira (frevo)

 

SERVIÇO:

 

Duo Andrea Ernest Dias (flauta) e Elodie Bouny (violão)

 

7 de agosto, terça-feira, às 19h30

Teatro da UFF (R. Miguel de Frias 9, Icaraí – Niterói)

 

Ingressos: R$ 14, com meia-entrada para pessoas com mais de 60 anos, professores, estudantes e servidores da UFF

 

Sugestão etária: livre para todos os públicos

Duração aproximada: 50 minutos

 

Faça seu comentário