Escrito por em 30 ago 2018 nas áreas Música de câmara, Programação, Rio de Janeiro

Nesta 11a. edição, do romantismo nacionalista ao modernismo de poetas de estirpe como Manuel Bandeira.

 

Este concerto apresentará o prestigioso duo composto por Doriana Mendes, soprano, e Marco Lima, violão, que unem seus reconhecidos talentos como solistas para juntos interpretarem um programa que ressalta a genialidade de Villa-Lobos (1887-1959) e celebra a antiga, a nova e a novíssima geração de compositores brasileiros, assim representados pelo maestro Alceo Bocchino (1918-2013), Edino Krieger (1928), Caio Senna (1977), Roberto Victorio (1959) e Fernando Riederer (1977).

Do romantismo nacionalista ao modernismo de poetas de estirpe como Manuel Bandeira, passando pelos cariocas contemporâneos Ana Cristina César e Jacinto Fábio Correa, que retratam temas da atualidade, o programa expõe um panorama da canção de câmara brasileira. A parceria de Marco e Doriana explora a integração do violão e da voz, com o intuito de divulgar não só a brasilidade da obra do mestre Villa-Lobos, mas também um repertório de sonoridade muito nova para a escuta do público.

O concerto dura cerca de hora e meia, incluindo a contextualização das obras pelos recitalistas. A entrada é gratuita .

O próximo concerto da série ocorre no sábado, 15 de setembro às 15h30, com o Quarteto de Saxofones da UNIRIO.

A estação Jardim de Alá do Metrô, saída B, Almirante Pereira Guimarães, fica a 150 metros da Paróquia.  Há abundante transporte por ônibus que trafegam pela Av. Ataulfo de Paiva. Os Shoppings Leblon e Rio Design Center oferecem amplo estacionamento pago.

A Paróquia dos Santos Anjos através do seu Pároco Thiago de Azevedo e a Curadoria da Série Música Clássica dos Santos Anjos através de seu titular Nelson de Franco desejam-lhe um excelente concerto.

 

PROGRAMA

DE VILLA-LOBOS AOS DIAS ATUAIS

Heitor Villa-Lobos (1887-1959)
Canção do Amor, poesia de Dora Vasconcellos, 1958
Modinha, poesia: Manduca Piá, 1925

Alceo Bocchino (1918-2013)
Nhanderú
Poesia de Durval Borges, transcrição para violão de Marco Lima

Edino Krieger (1928)
Prelúdio, violão solo, 1955

Ricardo Ventura (1948-2008)
Mata Atlântica1995
Poesia de Márcia Jacs

Caio Senna (1959)
Fim de Inverno
Poesia de Juan Ramón Jimènez traduzida por Manuel Bandeira, 2008

Edino Krieger (1928)
Ritmata, violão solo, 1974

Fernando Riederer (1977)
Um Beijo
Poesia de Ana Cristina César, 2003

César Guerra-Peixe (1914-1993)
Mãe d’Água, 1969

Roberto Victorio (1959)
Diário do Trapezista Cego
– Camarim
– Trailer
– O Notório
– Público
Poesia de Jacinto Fábio Corrêa, 2008



Marco Lima

Natural de Niterói (RJ), Marco Lima iniciou seus estudos de violão com o professor Marcos Guimarães, tendo posteriormente estudado com Leonardo Loredo. Ingressou em 1998 na UNIRIO onde se formou bacharel em violão na classe de Maria Haro e concluiu o mestrado em práticas interpretativas sob a orientação de Nícolas de Souza Barros. Com bolsa do DAAD (Deutscher Akademischer Austauchdienst – Serviço de Intercâmbio Acadêmico Alemão) radicou-se na Alemanha, onde concluiu em fevereiro de 2013 o mestrado em violão na Hochschule für Musik Karlsruhe (Alemanha), na classe de Andreas von Wangenheim, tendo posteriormente estudado na Akademie für Tonkunst em Darmstadt, na classe de Tilman Hoppstock.

Cursa atualmente o doutorado em música na UFRJ sob a orientação de Márcia Taborda. Foi por duas vezes professor substituto na UFRJ (2007-2008 e 2016-2017), ministrando aulas de Violão, Prática de Conjunto e Leitura à Primeira Vista. Anteriormente, lecionou no CEIM-UFF (Centro de Estudos e Iniciação Musical da Universidade Federal Fluminense), no Badisches Konservatorium, em Karlsruhe, e na Allegro Musikschule em Baden-Baden.

Foi premiado 16 vezes em concursos no Brasil, entre eles o 1° lugar e melhor intérprete de Fred Schneiter no III Concurso Nacional Fred Schneiter (2007), o 1° lugar no II Concurso Nacional de Interpretação Violonística do Piauí (2006) e o 1° Lugar no IX Concurso Nacional de Violão Musicalis (2005). A convite de Turíbio Santos, apresentou, em 2006, a integral das obras de Villa-Lobos para violão solo no 44° Festival Villa-Lobos e em 2005 foi solista do Concierto de Aranjuez de Joaquin Rodrigo, no Teatro Castro Alves (Salvador – BA) com a Orquestra Sinfônica da Bahia, sob a regência de Osvaldo Colarusso.

Sua atividade como solista e camerista inclui ainda apresentações em importantes espaços musicais brasileiros, como a Sala Cecília Meirelles, o Teatro Pró-Música (Juiz de Fora – MG), o MASP (SP), o Teatro Municipal de Niterói e o Theatro 4 de Setembro (Teresina – PI). Fundou o Quinteto Violão Real e atualmente é membro do Quarteto Carioca de Violões, dirigido por Nícolas de Souza Barros. Participou em 2007, como concertista e palestrante, do III Festival Nacional de Violão do Piauí, e vem participando de outros eventos de destaque – em solo ou conjunto – como no XII Festival Internacional de Violão Dilermando Reis, na I Mostra de Violões Fred Schneiter na Sala Guiomar Novaes – RJ, e no I Circuito Violão Real (RJ/MG).

Integra o CD coletânea Violões da Av-Rio II e gravou o programa Música e Músicos do Brasil para a Rádio MEC. Participou da XVII Bienal de Música Contemporânea e da III Bienal de Música Contemporânea de Mato Grosso com a soprano Doriana Mendes, nas quais realizou a estreia de obras de Dawid Korenchendler, Roberto Victorio e Caio Senna.



Doriana Mendes

Soprano, atriz e bailarina, Bacharel em Canto pela UNIRIO (RJ), estudou com Eliane Sampaio. Em 2008, ingressou em 1º lugar no Mestrado em Música da UNIRIO, na área de práticas interpretativas, com o projeto de pesquisa Versatilidade do Intérprete Contemporâneo: uma abordagem interpretativa de três obras brasileiras para voz e cena. Foi convidada da III Bienal de Música Brasileira Contemporânea de Mato Grosso (2008), apresentando três estreias num concerto com o violonista Marco Lima e ministrando palestra sobre o tema de sua dissertação.

Fez sua estreia internacional em 2000 na ópera As Malibrans, de Jocy de Oliveira no Teatro da Ópera de Darmstadt (Alemanha), reencenada em Buenos Aires (2002). Como solista convidada, participou de quatro edições da Bienal de Música Brasileira Contemporânea-RJ (1999, 2001, 2005 e 2007), do IV Encontro Latino-Americano de Compositores e Intérpretes (2002-BH), Cenas da Música Contemporânea (2006 e 2007-RJ), IV Festival Internacional de Música Contemporánea de Valparaíso “Riccardo Bianchini” (2006-Chile) e de duas edições do Festival Internacional de Música Contemporánea de la Universidad de Chile, em Santiago (2007/2009).

Interpretou obras de Vânia Dantas Leite, Marisa Rezende, Jocy de Oliveira, Paulo Chagas, José Augusto Mannis, Néder Nassaro, Tim Rescala, Roberto Victório, Fernando Riederer, Bryan Holmes, Daniel Quaranta, Elaine Thomazi Freitas, trabalhando regularmente com alguns desses compositores. Viajou pelo centro-oeste, norte e nordeste do Brasil em turnês patrocinadas pela Funarte com o Quarteto Colonial e o Duo Laguna (parceria de dez anos com o violonista Rodrigo Lima) entre 2005 e 2006. Em 2005, atuou em Paris e na Abertura da Saison de Jeune Public do Festival de Nanterre (espetáculo musical Sinfonieta Braguinha de Karen Acioly); como intérprete e solista do Calíope (Prêmio Carlos Gomes 2002, melhor coro de câmara brasileiro) em turnê pela França (Vème Mois du Baroque Latino-Américain) e Berlim (Alemanha).

Solista, elogiada pela crítica especializada, da ópera O Pescador e Sua Alma, de Marcos Lucas, estreada no CCBB de Brasília (2006) e do Rio (2007). Cantou com a orquestra UFOP de Ouro Preto no encerramento da exposição Aleijadinho e seu tempo: fé, engenho e arte no CCBB-Brasília e com o conjunto de música antiga Atempo, no XI Encontro de Música Sacra (Ipatinga-MG) e com o Quarteto Colonial no 20º Inverno Cultural de São João del Rei. Em 2007, foi solista na ópera Orfeo, de Monteverdi, no Teatro Municipal do Rio de Janeiro. Sua discografia, com mais de 11 CDs publicados, conta com repertório desde o colonial brasileiro à ópera contemporânea. Atua expressivamente no cenário musical do Rio de Janeiro e das principais capitais brasileiras.

 


SERVIÇO

 

Dia 01 de setembro, sábado, às 15:30h

Paróquia dos Santos Anjos (Av. Afrânio de Melo Franco, 300, esquina de Humberto de Campos, Leblon, fone 2239-1349/8043)

Entrada franca

 

Faça seu comentário