Escrito por em 29 ago 2018 nas áreas Balé/Dança, Canto, Programação, São Paulo

Espetáculo leva canto, dança e a música de Schumann ao palco do Theatro São Pedro, em São Paulo.

 

O Theatro São Pedro e a São Paulo Companhia de Dança (SPCD), dirigida por Inês Bogéa, apresentam um programa dedicado às canções de diferentes ciclos do compositor Robert Schumann (1810-1856). Com direção e cenografia de William Pereira, e direção musical de Ricardo Ballestero, Schumann ou os Amores do Poeta reúne música e dança, com pianista, cantores e bailarinos dividindo o palco. São três apresentações: no dia 31 de agosto, sexta-feira, e no dia 1º de setembro, sábado, às 20h; e no dia 2 domingo, às 17h.

Composto por dois atos, um neoclássico e um contemporâneo, o programa traça um recorte de canções do compositor alemão com adaptações do maestro convidado Ballestero. As coreografias são assinadas por Milton Coatti e Cassi Abranches, e a iluminação é de Caetano Vilela.

Participam a soprano Carla Cottini, a mezzo Luciana Bueno, o tenor Daniel Umbelino e o barítono Johnny França. Eles se dividem nas interpretações em diversas formações, solo, duo ou quarteto. Com pianista e bailarinos da SPCD, as canções são reinventadas com uma narrativa criada especialmente para o espetáculo.

A primeira parte contempla o ciclo completo de Os Amores do Poeta, Op. 48, cujo cenário remete ao Romantismo. Amor de poeta (em alemão Dichterliebe) é um ciclo de canções escritas por Schumann em 1840. Os textos das 16 canções vêm do Lyrisches Intermezzo, ou o Intermezzo lírico, do poeta Heinrich Heine, escritos entre 1822 e 1823 e publicados como parte da obra Das Buch der Lieder. Na volta do intervalo, entra em cena uma linguagem mais atual, com cenografia límpida e visual despojado.

Para William Pereira, as duas partes dialogam com a música de Schumann, mas com algumas diferenças: “A proposta gira em torno das mais diversas formas estéticas em que a música romântica pode ser trabalhada e explora as possibilidades dramáticas e cênicas da canção alemã”.

 

William Pereira

Graduado em direção teatral pela ECA-USP, Pereira estagiou em teatro lírico na English National Opera e na Royal Opera House, em Londres. Tem se destacado nas temporadas líricas e teatrais do país em espetáculos com grande repercussão de público e crítica. Entre seus principais trabalhos, estão as estreias mundiais das óperas A Tempestade, de Ronaldo Miranda, Olga, de Jorge Antunes, e Onheama e Natividade, de João Guilherme Ripper. Ganhador dos prêmios Carlos Gomes, APCA, Governador do Estado e Shell. Pereira assina a concepção e direção cênica deste espetáculo.

Ricardo Ballestero

Nascido em São Paulo, Brasil, Ballestero é professor na Universidade de São Paulo (USP), na qual leciona repertório vocal para cantores, dicção lírica, piano colaborativo e música de câmara. Atuou como professor na Universidade de Colorado-Boulder e ministrou masterclasses e palestras na Universidade de Indiana (Bloomington), University Musical Society da Universidade de Michigan, Conservatório Joaquín Rodrigo, de Valência (Espanha), bem como em várias universidades e escolas de música brasileiras. Ballestero faz a direção musical desta montagem.

Inês Bogéa

Doutora em Artes (Unicamp, 2007), bailarina, documentarista, escritora e professora no curso de especialização Arte na Educação: Teoria e Prática, da Universidade de São Paulo (USP). De 1989 a 2001, foi bailarina do Grupo Corpo. Foi crítica de dança da Folha de S. Paulo de 2001 a 2007. É autora dos livros infantis O livro da dança; Contos do balé e Outros contos do balé. Organizadora dos livros Oito ou Nove Ensaios sobre o Grupo Corpo; Passado-Futuro – Textos e fotos sobre a São Paulo Companhia de Dança, entre outros. Na área de arte-educação, foi consultora da Escola de Teatro e Dança Fafi (2003-2004) e consultora do Programa Fábricas de Cultura da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo (2007-2008). É autora de mais de quarenta documentários sobre dança e da série Figuras da Dança da SPCD, companhia da qual é diretora artística.

São Paulo Companhia de Dança

Criada em janeiro de 2008, a SPCD é uma companhia de repertório, ou seja, realiza montagens de excelência artística, que incluem trabalhos dos séculos 19, 20 e 21 de grandes peças clássicas e modernas a obras contemporâneas especialmente criadas por coreógrafos nacionais e internacionais. A difusão da dança, produção e circulação de espetáculos é o núcleo principal de seu trabalho. A SPCD apresenta espetáculos de dança no estado de São Paulo, no Brasil e no exterior e é hoje considerada uma das mais importantes companhias de dança da América Latina pela crítica especializada, acumulando 17 prêmios no Brasil e no exterior. Desde sua criação já foi assistida por um público superior a 620 mil pessoas, passando por 67 municípios paulistas, 17 cidades do Brasil e 51 cidades do exterior, em 17 países, em mais de 800 apresentações.

 

FICHA TÉCNICA:

William Pereira, concepção, dramaturgia, direção teatral e espaço cênico
Ricardo Ballestero, direção musical e piano
Inês Bogéa, direção artística da São Paulo Companhia de Dança
Cassi Abranches e Milton Coatti, coreografias
Caetano Vilela, iluminação
Figurinos: 1º ato: Acervo SPCD e Theatro São Pedro (bailarinos e cantores) e Fábio Namatame (cantoras) | 2º ato: Plié, Fernanda Yamamoto e Highstil (bailarinos e cantores), e Plié e Fábio Namatame (cantoras)

Cantores: Carla Cottini (soprano), Luciana Bueno (mezzosoprano), Daniel Umbelino (tenor) e Johnny França (barítono)

Bailarinos da SPCD: Ana Paula Camargo, Diego de Paula, Luan Barcelos, Michelle Molina, Mozart Mizuyama e Paula Alves

 

SERVIÇO:

 

“Schumann ou os Amores do Poeta”

 

Carla Cottini (soprano), Luciana Bueno (mezzosoprano), Daniel Umbelino (tenor) e Johnny França (barítono)

São Paulo Companhia de Dança

Ricardo Ballestero, direção musical e piano

William Pereira, direção cênica

 

31 de agosto e 1 de setembro, sexta-feira e sábado, às 20h; e 2 de setembro, domingo, às 17h

Theatro São Pedro (R. Barra Funda, 161, Barra Funda – São Paulo. Tel.: 11 3661-6600)

 

Ingressos: R$ 40 (plateia), R$ 25 (1º balcão) e R$ 15 (2º balcão), com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Duração aproximada: 1h50, com intervalo

Capacidade: 636 lugares

 

Faça seu comentário