Escrito por em 6 ago 2018 nas áreas Festival, Lateral, Ópera, Pará, Programação

Ingressos começaram a ser vendidos para toda a temporada no dia 2 de agosto.

Duas óperas e um concerto compõem a programação do 27º Festival de Ópera do Theatro da Paz, que abre com La Vida Breve, de Manuel de Falla, no dia 9 de agosto, com récitas nos dias 10 e 11, e segue com Un Ballo in Maschera, de Giuseppe Verdi, com estreia no dia 8 de setembro e récitas nos dias 10 e 12.  O concerto de encerramento será no dia 15 de setembro, às 20h, no Theatro da Paz, em Belém.

Já apresentamos óperas em italiano, francês, russo, inglês e agora pela primeira vez estamos colocando uma ópera de em espanhol em nossa programação. La Vida Breve será visualmente muito bonita, trazendo, além da dança flamenca, a música tradicional espanhola. Já Un Ballo in Maschera é uma das óperas mais festejadas de Verdi, depois de sua trilogia de grande sucesso, Rigolleto, Il Trovatore e La Traviata. É um sucesso desde que foi apresentada pela primeira vez”, diz Gilberto Chaves, da Coordenação Geral do Festival.

As duas óperas contam com a execução da Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, com direção e regência musical do maestro Miguel Campos Neto, e com o Coral Lírico do Festival, formado por 60 cantores, com regência de Vanildo Monteiro.

 

La Vida Breve – Diferença social e mentiras de amor

Composta em 1905, a ópera só estreou em 1913, em Nice, e pertence à primeira fase da obra de de Falla, considerado o maior compositor espanhol do século 20. É uma ópera curta, tem dois atos e um pouco mais de uma hora de duração, e será apresentada sem intervalo.

O enredo se passa em Granada, na região de Andaluzia, na Espanha. Na história, o conflito de classes sociais é revelado pelo encontro de Salud, da classe pobre, com Paco, de uma família abastada. Ela se apaixona por ele, que a ilude, para depois se casar com uma moça de sua classe social. Nem precisa dizer que essa história termina em tragédia.

A direção musical e regência são Miguel Campos Neto. A direção cênica e iluminação são de Caetano Vilela, mesmo diretor de O Navio Fantasma e Mefistófele, dois sucessos de público encenados em 2013 e 2014. O figurino é de Ronaldo Fraga, um dos mais aclamados estilistas brasileiros e que recentemente comoveu a plateia do São Paulo Fashion Week, apresentando uma coleção inspirada no desastre ambiental ocorrido em 2015, na cidade de Mariana (MG).

O coreógrafo argentino Luis Arrieta dirige os bailarinos solistas Simone Camargo, Cassius de La Cruz, Samuel Kavalerski e Tiago Assis, além do corpo de baile de 11 bailarinos. As boas cenas com danças espanholas contam também com sua participação especial no palco.

O elenco é formado por cantores paraenses, com exceção do barítono uruguaio Marcyo Bonefon, convidado para a cena do casamento. Ele fará o Canto Hondo, um canto de saudação que exige um estilo vocal em flamenco, uma forma intocada da música folclórica da Andaluzia.

A soprano paraense Lanna Bastos estreia no Festival em papel principal, fazendo a cigana Salud, que contracena com Paco, interpretado pelo tenor Antônio Wilson. A paraense Suzy Quintella (mezzo), Andrey Mira (baixo), Juliane Lins (soprano), Idaías Souto (barítono), Andrew Lima (tenor), Jéssika Wisniewski (mezzo), Ione Carvalho (soprano) e Marcos Carvalho (tenor) completam o núcleo paraense de personagens do drama.

A cenografia é de Duda Arruk, que também já vem realizando diversos outros trabalhos com Caetano, e também no Festival de Ópera do Theatro da Paz. A cenógrafa conta com assistência de José Silvério para desenvolver os diferentes ambientes que compõe visualmente a ópera.  A confecção de cenário é de Ribamar Diniz. A regência do Coral Lírico é de Vanildo Monteiro.

 

Elenco
SALUD, uma cigana – (Soprano) Lanna Bastos
LA ABUELA, avó de Salud – (Mezzosoprano) Suzy Quintella
PACO – (Tenor) Antonio Wilson
TIO SALVAOR, tio de Salud – (Baixo) Andrey Mira
CARMELA, a noiva –  (Soprano) Juliane Lins
MANUEL, o irmão da noiva –  (Barítono) Idaías Souto
CANTOR, cantor do casamento – (Barítono) Marcyo Bonefon
OPERÁRIO, solista no coro da forja – (Tenor) Andrew Lima
PRIMEIRA VENDEDORA – (Mezzosoprano) Jéssika Wisniewski
SEGUNDA VENDEDORA – (Soprano) Ione Carvalho
VENDEDOR – (Tenor) Marcos Carvalho

Bailarina Solista: Simone Camargo
Bailarinos Solistas: Cassius de La Cruz, Samuel Kavalerski, e Tiago Assis

Participação especial como Bailarino: Luis Arrieta

Cena de “La Vida Breve”

 

Un Ballo in Maschera – Amor, amizade e vingança

Esta ópera az parte do segundo período verdiano, estreando no Teatro Apollo, em Roma, em 17 de fevereiro de 1859. É uma das óperas mais conhecidas em todo o mundo e será encenada pela primeira vez na Amazônia.

Un Ballo in Maschera baseia-se no assassinato do rei Gustavo III da Suécia, mas durante sua composição Verdi foi censurado e obrigado a fazer mudanças, pois na época não se permitiu que fosse encenado o assassinato de um rei no palco. A história, dramática em sua conclusão, com momentos de ironia e comédia, foi rotulada pela crítica como uma tragédia shakespeariana.

Com direção musical e regência de Miguel Campos Neto, a ópera tem direção cênica de Mauro Wrona, que já dirigiu, entre outras óperas do Festival, Salomé, que consagrou a temporada de 2012. O elenco traz o tenor Fernando Portari, que interpreta Riccardo, governador de Boston, e a soprano paraense Adriane Queiroz, que faz Amélia, além do barítono Rodolfo Giuliani, no papel de Renato, personagens principais dessa tragédia.

A soprano paraense Kézia Andrade faz um papel masculino, Oscar, um pajem, e a mezzo paulistana Denise de Freitas, que está de volta este ano ao festival, é a vidente que anuncia o triste fim de Riccardo. No palco também estarão os cantores, Andrey Mira e Raimundo Mira (baixo), pai e filho, encenando juntos, além dos tenores Andrew Lima e Mário Ícaro, e o do barítono Idaías Souto, que completam a trama.

O figurino é assinado por Hélio Alvarez, com assistência de Simone Alvarez, e a iluminação, de Rubens Almeida, com assistência de Jorge Pantaleão Agostinho Anderson. A coreografia, de Ana Unger, conta com 12 bailarinos do corpo de baile. A cenografia também é de Duda Arruk e o Visagismo de André Ramos. O regente do Coral Lírico é Vanildo Monteiro.

 

Elenco
RICCARDO, conde de Warwick e governador de Boston – (Tenor) Fernando Portari
AMELIA, esposa de Renato, apaixonada por Riccardo – (Soprano) Adriane Queiroz
RENATO, marido de Amélia, confidente de Riccardo – (Barítono) Rodolfo Giuliani
OSCAR, pajem de Riccardo – (Soprano) Kézia Andrade
ULRICA, vidente – (Mezzosoprano) Denise de Freitas
SAMUEL, inimigo do conde – (Baixo) Andrey Mira
TOM, inimigo do conde – (Baixo) Raimundo Mira
JUIZ – (Tenor) Andrew Lima
SERVO DE AMÉLIA – (Tenor) Mário Ícaro
SILVANO, marinheiro – (Barítono) Idaías Souto

Bailarinos do Corpo de Baile: Arthur Furtado, Cesar Moraes, Diego Montesco, Gérson Cruz Jr, Myke Moraes, Raul Vargas.

Bailarinas do Corpo de Baile: Caroline Nascimento, Dayane Dourado, Eduarda Falesi, Gilza Miranda, Lenne Caldas, Yasmin Silva.

 

 

SERVIÇO:

 

27º Festival de Ópera do Theatro da Paz

 

“La Vida Breve”, ópera de M. de Falla

9, 10, 11 de agosto, às 20h

Ingressos: R$ 80 (plateia, varanda, frisa e camarote de 1ª), R$ 40 (camarote de 2ª), R$ 20 (galeria) e R$ 10 (paraíso), com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

“Un Ballo in Maschera”, ópera de G. Verdi

8, 10 e 12 de setembro, às 20h

Ingressos: R$ 80 (plateia, varanda, frisa e camarote de 1ª), R$ 40 (camarote de 2ª), R$ 20 (galeria) e R$ 10 (paraíso), com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Concerto de encerramento

15 de setembro, às 20h

Ingressos: R$ 5

Theatro da Paz (R. da Paz, s/n, Centro – Belém)

Abertura da bilheteria: 2 de agosto, às 14h

 

 

Faça seu comentário