Escrito por em 7 set 2018 nas áreas Lateral, Música de câmara, Programação, Rio de Janeiro

Programação tem curadoria do compositor João Guilherme Ripper.

 

A recém inaugurada Casa Firjan, no Rio de Janeiro, dá início uma série de concertos sob a curadoria do compositor e diretor musical João Guilherme Ripper. O premiado pianista Cristian Budu, considerado um dos expoentes da nova geração, inaugura a programação no dia 13 de setembro, às 19h30. A entrada é gratuita para o concerto de estreia. As apresentações seguintes terão ingressos a preços populares: R$ 10 (inteira).

Vencedor do Concurso Internacional Clara Haskil, na Suíça, Budu – músico brasileiro de família romena – apresenta as obras 24 Prelúdios, de Frédéric Chopin (1810-1849), e Kreisleriana, composta por Robert Schumann (1810-1856). A apresentação ocupar o salão principal da casa, patrimônio histórico do início do século 20 que foi restaurado pela Firjan (Federação da Indústrias do Estado do Rio de Janeiro).

As duas peças – que Budu considera seus carros-chefe – percorrem alternadamente estados de espírito de luz e sombra, esperança e medo; as diferentes atmosferas estão refletidas em cada peça da Kreisleriana e no arco estrutural dos Prelúdios. “Robert Schumann tinha um emocional bipolar e reflete essa montanha-russa na peça, batizada em homenagem ao personagem do escritor alemão E. T. A. Hoffmann, o músico Johann Kreisler”, explica o pianista. Já Chopin começou a compor os Prelúdios em um momento de doença, de se ver entre a vida e a morte. À alegria se segue uma peça muito fúnebre, por exemplo”, conclui Budu.

A série de concertos é uma nova atividade que passa a integrar a programação da Casa Firjan, espaço voltado para inovação e empreendedorismo que reúne conteúdo diversificado, com palestras, oficinas, cursos, laboratórios de tendências e agenda cultural. “A Casa Firjan oferece uma oportunidade de apreciar artistas renomados em um festival que associa a música ao ambiente histórico privilegiado. Nossas portas estão abertas para a música, arte, cultura e, principalmente, para todos os interessados em desfrutar dessas atividades”, diz o presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira. “A associação de música de concerto e arquitetura é adotada em todo o mundo como estratégia de promoção da música de concerto e valorização do patrimônio histórico”, diz o curador João Guilherme Ripper, que foi presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro e diretor da Sala Cecília Meireles.

 

Cristian Budu

Cristian Budu

Único brasileiro vencedor de consagrado festival da Suíça. Nascido em Diadema, São Paulo, filho de romenos, Budu revelou muito cedo seu talento, tocando Beethoven de ouvido no piano que o pai dedilhava. Aperfeiçoou-se na USP, com Eduardo Monteiro, e foi bolsista laureado no New England Conservatory, em Boston, para onde retornou para o programa Artist Diploma. Ganhou diversos concursos nacionais (Prelúdio, Concurso Nélson Freire) e projetou-se internacionalmente ao vencer, em 2013, o prestigiosíssimo Clara Haskil, na Suíça. É o único brasileiro vencedor na história da competição, que laureou nomes como Richard Goode, Christoph Eschenbach, Mitsuko Uchida e Evgeni Korolyov. Detalhe: o Clara Haskil premia apenas um concorrente, às vezes, nenhum. Budu recebeu ainda dois prêmios na edição de 2013, incluindo o do público.

 

Legado para o Rio

A Casa Firjan tem um modelo de atuação diversificado com o objetivo único de refletir, criar e entregar soluções para os desafios da nova economia. Como um centro de inovação e empreendedorismo, o espaço integra uma programação de palestras, laboratórios de tendências e cursos a um ambiente de debate e elaboração de políticas públicas, que contempla ainda uma programação de atividades culturais.

Em um terreno de 10 mil m² na rua Guilhermina Guinle, em Botafogo, a Casa Firjan abriga um novo prédio, de arquitetura contemporânea e premiada, e um patrimônio histórico restaurado, que inclui uma casa principal e duas casas geminadas construídas no início do século 20.

Também integra a programação cultural da Casa Firjan a exposição Transformação, que apresenta a história da indústria e do empreendedorismo no Rio de Janeiro e no Brasil e seu poder de transformação ao longo dos anos. Em meio a fotografias, painéis digitais, esculturas e atividades interativas, o público é convidado a fazer um passeio pelo desenvolvimento da indústria e do mercado de trabalho brasileiro, incluindo a trajetória de seus principais empreendedores e a introdução de novas tecnologias, como blockchain (rede de dados) e inteligência artificial. A visitação continua gratuita durante o mês de setembro e depois em todas as terças-feiras do ano.

 

Próximas atrações

– Quinteto Villa-Lobos (18 de outubro)
–  Jean-Louis Steuerman (piano), Felipe Prazeres (violino), Marco Catto (viola) e Marcus Ribeiro (violoncelo) (8 de novembro)
– Leo Gandelman Quarteto (22 de novembro)
– Orquestra Johann Sebastian Rio (6 de dezembro)

 

SERVIÇO:

 

Cristian Budu, piano

13 de setembro, quinta-feira, às 19h30

Casa Firjan (R. Guilhermina Guinle, 211, Botafogo – Rio de Janeiro. Tel.: 21 3239-6330)

 

Entrada gratuita, com inscrição prévia no site da instituição (sujeito à lotação)

 

Faça seu comentário