Escrito por em 12 out 2018 nas áreas Música de câmara, Programação, Rio de Janeiro

Premiado grupo de sopros se apresenta no salão principal da Firjan.

 


A Casa Firjan, no Rio de Janeiro, recebe o grupo Quinteto Villa-Lobos no dia 18 de outubro, às 19h30, como segunda atração da série de concertos sob a curadoria do compositor e diretor musical João Guilherme Ripper. Com 56 anos de atividade ininterrupta, o Quinteto traz repertório com obras de Radamés Gnattali, Mário Tavares, Ronaldo Miranda, Edino Krieger e também de Heitor Villa-Lobos. A apresentação ocupa o salão da casa principal do terreno, patrimônio histórico do início do século 20 que foi restaurado pela Firjan.

A série de concertos integra desde o mês passado a programação cultural da Casa Firjan, espaço voltado para inovação e empreendedorismo que reúne conteúdo diversificado, com palestras, oficinas, cursos, laboratórios de tendências e atividades culturais. “A Casa Firjan oferece uma oportunidade de apreciar artistas renomados em um festival que associa a música ao ambiente histórico privilegiado. Nossas portas estão abertas para a música, arte, cultura e, principalmente, para todos os interessados em desfrutar dessas atividades”, diz o presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira. “A associação de música de concerto e arquitetura é adotada em todo o mundo como estratégia de promoção da música de concerto e valorização do patrimônio histórico”, diz Ripper, que foi presidente da Fundação Theatro Municipal do Rio de Janeiro e diretor da Sala Cecília Meireles.

 

Quinteto Villa-Lobos

Grupo de câmara mais popular do país completa 56 anos. Em atividade desde 1962, o Quinteto Villa-Lobos, hoje formado por Rubem Schuenk (flauta), Luís Carlos Justi (oboé), Paulo Sérgio Santos (clarineta), Philip Doyle (trompa) e Aloysio Fagerlande (fagote), é um dos mais longevos grupo de câmara do Brasil.

O programa deste concerto homenageia datas redondas dos compositores, há mais de duas décadas no Quinteto. “São os 90 anos de Edino Krieger, 70 de Ronaldo Miranda, e seriam os 90 de Mário Tavares também, além dos 30 anos de morte de Gnattali”, diz Fagerlande em homenagem em referência ao pianista e compositor Radamés Gnattali, que morreu em 1988. “A gente continua tocando porque gosta muito, acredita muito. E é extremamente louvável a iniciativa da Casa Firjan, um espaço deslumbrante, com uma curadoria de alta expertise”, conclui o fagotista.

 

PRÓXIMAS ATRAÇÕES:

– 8/11: Jean-Louis Steuerman, piano; Felipe Prazeres, violino; Marco Catto, viola; Marcus Ribeiro, violoncelo
– 22/11: Leo Gandelman Quarteto
– 6/12: Orquestra Johann Sebastian Rio

 

SERVIÇO:

 

Quinteto Villa-Lobos

 

18 de outubro, quinta-feira, às 19h30

Casa Firjan (Rua Guilhermina Guinle, 211, Botafogo – Rio de Janeiro. Tel.: 0800 0231 231)

 

Ingressos: R$ 40, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Faça seu comentário