Escrito por em 4 out 2018 nas áreas Lateral, Ópera, Programação, Rio de Janeiro

Ópera de Donizetti será encenada.

O Elixir do Amor, ópera de Gaetano Donizetti

Ópera bufa em dois atos, com libreto de Felipe Romani e música de Gaetano Donizetti, estreada em Milão, em 1832. A estreia de L’Elisir d’Amore em Portugal deu-se no Teatro de S. Carlos, de Lisboa, em 6 de Janeiro de 1836. Nos principais papéis figuraram Carolina Conti (Adina), Luís Ferretti (Nemorino), J. Sávio (Belcore) e Ramonda (Dulcamara).

 

Pianista: Priscila Bomfim

Direção Musical e Regência: Jésus Figueiredo

Direção Geral: Pedro Olivero

 

Solistas do Núcleo de Ópera da Associação de Canto Coral

Dia 13 de outubro – Cidade das Artes

ADINA                – Danielle Bragazzi
NEMORINO         – Wladimir Cabanas
DULCAMARA       – Pedro Olivero
BELCORE              – Fábio Belizallo
GIANNETTA          – Júlia Anjos

 

Dia 21 de outubro – Teatro Nathália Timberg

ADINA                   – Rose Provenzano
NEMORINO           – Clayber Guimarães
DULCAMARA         – Pedro Olivero
BELCORE                – Fábio Belizallo
GIANNETTA            – Fernanda Cappelli

 

Núcleo de Ópera da Associação de Canto Coral

Em 2017, a Associação de Canto Coral lançou o seu Núcleo de Ópera, formado por 16 cantores que passaram por coros, grupos, escolas de música e companhias, como Coro Ópera Brasil, Cia.Lírica, Grupo André Vivante, Escola de Música da UFRJ, Conservatório Brasileiro de Música e Escola de Música Villa-Lobos. Tendo como pianista Eliara Puggina e sob a direção geral de Pedro Olivero, o Núcleo estreou com a ópera Il Trovatore, de Verdi, em forma de concerto, contando a participação do Coro Sinfônico da ACC com cerca de 40 vozes, todos regidos pelo maestro Jésus Figueiredo, que assina a direção musical do grupo.

 

História da Associação de Canto Coral

A Associação de Canto Coral (ACC) foi criada em dezembro de 1941, tendo como patrono musical o compositor Heitor Villa-Lobos e, como diretora artística, a maestrina Cleofe Person de Mattos. A ACC tem o objetivo de divulgar o patrimônio musical brasileiro, sobretudo por meio de concertos no Brasil e no exterior, e gravações das principais obras corais-sinfônicas do período colonial. Até a presente data, a Associação de Canto Coral já realizou mais de 750 concertos.

Preocupada com a formação de público, com a preparação de novas gerações de cantores e com a reciclagem de profissionais atuantes no meio musical, a ACC promove palestras, ciclos de leituras de obras corais, vídeos comentados, musicalização infantil, cursos para professores, estudantes de música e comunidade coral, entre outras atividades que venham melhorar a formação da comunidade e estimular o interesse pela música de concerto.

A diretora artística Cleofe Person de Mattos dedicou-se à pesquisa de obras de compositores de nosso passado musical, especialmente as obras do Padre José Maurício Nunes Garcia. Tornou-se papel da instituição a difusão do resultado dessas pesquisas que apresentou em concertos, inclusive em primeiras audições contemporâneas. De 1995 a 2012, a instituição teve como diretor artístico o Maestro Carlos Alberto Figueiredo e a Maestrina Valéria Matos, que continuaram a orientá-la com os mesmos ideais artísticos. E em 2013, a direção musical é assumida pelo Maestro Jésus Figueiredo.

A Associação já atuou com grandes orquestras, sob a regência de maestros internacionais como: Igor Strawinsky, Karl Richter, Victor Tevah, sir Colin Daves, Helmuth Rilling, Jacques Pernoo; e maestros brasileiros como Villa-Lobos, Camargo Guarnieri, Francisco Mignone, Isaac Karabtchevsky, Alceo Bocchino, Benito Juarez e Henrique Morelenbaum. Sua numerosa discografia inclui autores nacionais como José Maurício Nunes Garcia e os setecentistas mineiros; os nacionalistas Villa-Lobos, Francisco Mignone, Brasílio Itiberê e Camargo Guarnieri; e os contemporâneos Almeida Prado e Marlos Nobre.

A Associação de Canto Coral é reconhecida como órgão de Utilidade Pública Federal, sem fins lucrativos e não conta com nenhuma subvenção pública, por essa razão se mantém pela contribuição de sócios e pelo eventual apoio de empresas privadas.

 

SERVIÇO:

 

Ópera “O elixir do amor”, de Gaetano Donizetti

 

13 de outubro, às 20h

Cidade das Artes – Teatro de Câmara (Avenida das Américas, 5300, Barra da Tijuca – Rio de Janeiro. Tel.: 21 3325-0102)

 

21 de outubro, às 19h

Teatro Nathalia Timberg – Freeway Center (Av. das Américas, 2000, Barra da Tijuca – Rio de Janeiro)

 

Ingressos: R$ 30, com meia-entrada para estudantes e pessoas com mais de 60 anos

 

Faça seu comentário