Escrito por em 2 dez 2018 nas áreas Lateral, Música sinfônica, Programação, Rio de Janeiro

O pianista interpretará obra de Beethoven, Gounod e Mussorgsky

No dia 8 de dezembro,a Filarmônica de Minas Gerais comemora os 70 anos de um dos maiores artistas brasileiros, o pianista Arnaldo Cohen, que interpretará o celebrado Concerto para piano nº 3 em dó menor, op. 37, de Beethoven. Nos duzentos anos de nascimento do compositor francês Charles Gounod, a orquestra interpreta a sequência de danças de sua ópera mais famosa, Fausto, e Quadros de uma exposição, de Mussorgsky(orquestração de Francisco Mignone). A regência é do maestro Fábio Mechetti. 

A Filarmônica de Minas Gerais se apresentou no Rio de Janeiro em 2015, na Cidade das Artes. Antes, a orquestra havia tocado na Sala Cecília Meirelles (2009, Rio Folle Journée, com Arnaldo Cohen) e no Theatro Municipal, em quatro ocasiões: em 2011, com o pianista francês Pascal Rogé; em agosto de 2012, com o pianista norte-americano Leon Fleisher; e em novembro de 2012, no Festival Villa-Lobos, com a pianista brasileira Sonia Rubinsky.  A Filarmônica de Minas Gerais está entre as melhores do país, sendo reconhecida nacional e internacionalmente. Fabio Mechetti é o diretor artístico e o regente titular.

Estes concertos são apresentados pelo Ministério da Cultura, Governo de Minas Gerais e BNDES e contam com o incentivo da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

 

PROGRAMA

Ludwig Van Beethoven (Bonn, Alemanha, 1770 – Viena, Áustria, 1827) 
Concerto para piano nº 3 (1799/1803)

Charles Gounod (Paris, França, 1818 – Saint-Cloud, França, 1893)
Fausto: Música de balé (1859)

Mussorgsky
Quadros de uma exposição

 

Fábio Mechetti – maestro

Fábio Mechetti

Introduziu a orquestra mineira no cenário mundial da música erudita. Além dos prêmios conquistados, levou a Filarmônica a quinze capitais brasileiras, a uma turnê pela Argentina e Uruguai e realizou a gravação de oito álbuns, sendo três para o selo internacional Naxos. Natural de São Paulo, Mechetti serviu recentemente como Regente Principal da Filarmônica da Malásia, tornando-se o primeiro regente brasileiro a ser titular de uma orquestra asiática.

Nos Estados Unidos, Mechetti esteve quatorze anos à frente da Orquestra Sinfônica de Jacksonville e, atualmente, é seu Regente Titular Emérito. Foi também Regente Titular das sinfônicas de Syracuse e de Spokane, da qual hoje é seu Regente Emérito. Regente associado de Mstislav Rostropovich na Orquestra Sinfônica Nacional de Washington, com ela dirigiu concertos no Kennedy Center e no Capitólio. Da Sinfônica de San Diego, foi Regente Residente. Fez sua estreia no Carnegie Hall de Nova York conduzindo a Sinfônica de Nova Jersey. Continua dirigindo inúmeras orquestras norte-americanas e é convidado frequente dos festivais de verão norte-americanos, entre eles os de Grant Park em Chicago e Chautauqua em Nova York.

Igualmente aclamado como regente de ópera, estreou nos Estados Unidos dirigindo a Ópera de Washington. No seu repertório destacam-se produções de ToscaTurandotCarmemDon GiovanniCosì fan tutteLa BohèmeMadame ButterflyO barbeiro de SevilhaLa Traviata e Otello.

Suas apresentações se estendem ao Canadá, Costa Rica, Dinamarca, Escócia, Espanha, Finlândia, Itália, Japão, México, Nova Zelândia, Suécia e Venezuela. No Brasil, regeu todas as importantes orquestras brasileiras.

Fábio Mechetti é Mestre em Regência e em Composição pela Juilliard School de Nova York e vencedor do Concurso Internacional de Regência Nicolai Malko, da Dinamarca.

 

Arnaldo Cohen – piano

Arnaldo Cohen

Graduado com grau máximo em piano e violino pela Escola de Música da UFRJ, Arnaldo Cohen conquistou por unanimidade o 1º Prêmio no Concurso Internacional Busoni, na Itália. No Brasil, estudou com Jacques Klein e, em Viena, com Bruno Seidlhofer e Dieter Weber. Em sua carreira, Arnaldo Cohen apresentou-se em mais de quatro mil concertos como solista das mais importantes orquestras do mundo. Após mais de 20 anos em Londres, onde lecionou na Royal Academy of Music e no Royal Northern College of Music, transferiu-se para os Estados Unidos em 2004, tornando-se o primeiro brasileiro a assumir uma cátedra vitalícia na Escola de Música da Universidade de Indiana.

Além de recitalista e concertista, transita também pelos domínios da música de câmara, tendo integrado durante cinco anos o prestigiado Trio Amadeus. Conhecido por sua técnica clara e exemplar, interpretação equilibrada e imaginativa, Cohen também gravou discos premiados e muito bem recebidos pela crítica, de compositores como Liszt, Brahms, Rachmaninov e uma abrangente coletânea de música brasileira para o selo sueco BIS.

 

Orquestra Filarmônica de Minas Gerais

A Orquestra Filarmônica de Minas Gerais fez seu primeiro concerto em 2008, há dez anos. Diante de seu compromisso de ser uma orquestra de excelência, cujo planejamento envolve concertos de série, programas educacionais, circulação e produção de conteúdos para a disseminação do repertório sinfônico brasileiro e universal, a Filarmônica chega a 2018 como um dos mais bem-sucedidos programas continuados no campo da música erudita, tanto em Minas Gerais como no Brasil. Reconhecida com prêmios culturais e de desenvolvimento econômico, a nossa Orquestra, como é carinhosamente chamada pelo público, inicia sua segunda década com a mesma capacidade inaugural de sonhar, de projetar e executar programas valiosos para a comunidade e sua conexão com o mundo.

 

 

SERVIÇO

 

Orquestra Filarmônica de Minas Gerais e Arnaldo Cohen

Dias 8 de dezembro, sábado, às 19h30

Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Marechal Floriano s/nº, Centro – Rio – (21) 2332-9191/ 2332-9005)

 

Ingressos:

Frisas e camarote – R$ 96,00 inteira/R$ 48,00 meia

Plateia – R$ 96,00 inteira /R$ 48,00 meia

Balcão nobre – R$ 96,00 inteira /R$ 48,00 meia

Balcão Superior Central- R$ 50,00 inteira / R$ 25,00 meia

Balcão Superior Lateral – R$ 50,00 inteira / R$ 25,00 meia

Galeria Central – R$ 20,00 / R$ 10,00 meia

Galeria Lateral – R$ 20,00 / R$ 10,00 meia

Bilheteria: 2332-9005 / 2332-9191

Classificação livre

Acesso para cadeirantes e pessoas com dificuldade de locomoção na entrada lateral do Theatro na Avenida Rio Branco. Há serviço de valet gratuito. Estacionamento pago.

 

Faça seu comentário