Escrito por em 11 dez 2018 nas áreas Lateral, Música sinfônica, Notícia, São Paulo

Grandes atrações estão reservadas ao público de São Paulo

Com novidades e estreias, a série de espetáculos em 2019 do Mozarteum Brasileiro terá oito concertos de alto nível de qualidade em São Paulo, com músicos nacionais e internacionais. A programação começa com mais uma estreia no Brasil, com a renomada mezzo-soprano letã Elīna Garanča, acompanhada da OAMB – Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro. No segundo semestre, para encantar a plateia, é a vez da Orchestre Philharmonique du Luxembourg, com a  participação da violinista holandesa Janine Jansen. Em seguida, apresentações do grupo nova-iorquino Dance Theatre of Harlem. Para finalizar, os concertos da Slovak Philharmonic Orchestra, que traz o solista letão Mischa Maisky, um dos maiores violoncelistas da atualidade. Os ingressos para as atrações estão a venda pelo site www.mozarteum.org.br.

 

Elīna Garanča

Mais uma vez, o Mozarteum realiza a estreia em palcos brasileiros de grandes nomes do canto lírico internacional. Neste ano, será com a mezzo-soprano letã Elīna Garanča, que abre a temporada, nos dias 22 e 24 de junho, na Sala São Paulo. Para acompanhá-la, a Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, regida pelo norte-americano Constantine Orbelian. Presença constante nas mais prestigiadas casas de concertos do mundo, como Metropolitan Opera, Royal Opera House Covent Garden e Carnegie Hall, Elīna costuma atuar ao lado de outros grandes nomes da ópera, como Jonas Kaufmann e Anna Netrebko. Ela foi reconhecida pelo The New York Times como a melhor Carmem em 25 anos, papel que representa com grande domínio cênico.

Para a OAMB, que formará o palco da mezzo-soprano, essa é mais uma oportunidade oferecida pelo Mozarteum Brasileiro de atuar ao lado de grandes estrelas e orquestras, que busca abrir caminhos para jovens músicos desenvolverem uma carreira de sucesso. Essa será a terceira vez que a Orquestra toca ao lado de artistas renomados. Em 2017, o grupo se apresentou junto à soprano alemã Diana Damrau e ao barítono Nicolas Testé e, em 2018, com a soprano russa Anna Netrebko e o tenor Yusif Eyvazov.

 

Orchestre Philharmonique du Luxembourg

Em setembro, nos dias 20 e 21, o público irá conhecer a requisitada Orchestre Philharmonique du Luxembourg, pela primeira vez no Brasil, sob regência do espanhol Gustavo Gimeno. Famosa por sua elegância artística, a orquestra desembarca no país com 98 músicos, oriundos de mais de 20 países, o que contribui para a diversificação musical do grupo. Gimeno, também diretor da orquestra, procura criar um repertório abrangente, contemplando Bach, Haydn, Verdi, Tchaikovsky e Sibelius a Schönberg, Dutilleux e Verunelli. Regente titular da orquestra desde 2015, o maestro já conduziu outras grandes orquestras do mundo, como Sinfônicas de Toronto e Viena, Filarmônica de Londres e Orchestre de la Suisse Romande.

Convidada especial para as duas noites de concerto em setembro, a solista holandesa Janine Jansen teve o primeiro contato com violino aos seis anos, incentivada por seus pais, ambos músicos. Foi descrita pelo The New York Times como uma instrumentista “de tom radiante e técnica ardente, Jansen transmite comunicação, paixão e performances marcantes”. Para valorizar e difundir a música clássica, a violinista montou o Festival Internacional de Música de Câmara de Utrecht em 2003, com apenas 25 anos. Ela toca um Stradivarius 1707 “Rivaz – Baron Gutmann”, e já recebeu diversos prêmios, como Prêmio Concertgebouw, o Prêmio MusikFest de Bremen, Prêmio de Instrumentista da Real Sociedade Filarmônica.

 

Dance Theatre of Harlem

Outra grande novidade para 2019 é o retorno de um grupo de dança à programação do Mozarteum. Em outubro, 18 bailarinos do Dance Theatre of Harlem realizarão três apresentações no Teatro Alfa, em São Paulo: duas nas noites dos dias 11 e 12, com entrada mediante ingresso; e também uma matinê gratuita no Dia das Crianças.

Fundado no bairro de Harlem, em Nova York, o grupo, que completa 50 anos em 2019, é reconhecido pela excelência de seus bailarinos. Nunca perdeu a sua essência, que é oferecer novas oportunidades de vida aos jovens por meio do balé clássico. A história da companhia começa com a fundação pelo professor de dança Karel Schook e o lendário Arthur Mitchell, primeiro afro-americano a tornar-se estrela internacional do balé.

Como tinham a missão de melhorar a comunidade onde a instituição se originou, permitiram que jovens negros de Harlem tivessem um local para aprimorar os conhecimentos em dança e conseguissem atuar profissionalmente com ballet. Dentro desse objetivo, a instituição também mantém uma escola de ballet e um programa de educação artística de caráter multifacetado, iniciativas que procuram agregar disciplina e foco aos jovens da região.

Entre os bailarinos do grupo estão os brasileiros Ingrid Silva e Dylan Santos. Ingrid, de 29 anos, nasceu no Rio de Janeiro e, em 2008, mudou-se para Nova York ao ser aprovada para integrar o Dance of Harlem. Após dez anos na companhia, a jovem carioca virá ao Brasil para se apresentar com o grupo que a acolheu e transformou sua vida profissional. Já Dylan, de 27 anos, é natural de São Paulo e está no grupo nova-iorquino há quatro anos. O jovem começou no Centro de Artes Pavilhão D, com instruções do professor Ricardo Scheir, em seguida esteve em companhias internacionais de ballet como Houston Ballet trainee, Orlando Ballet, Ballet Chicago e Paris Opera Ballet.

A programação do Dance of Harlem continuará em Trancoso, também com dois concertos no Teatro L’Occitane,  dias 17 e 18, às 18h30, em sua despedida do Brasil.

 

Slovak Philharmonic Orchestra

O encerramento da série de concertos 2019 será com a Slovak Philharmonic Orchestra, regida pelo alemão Raoul Grüneis, e com a participação solo do violoncelista letão Mischa Maisky, nos dias 12 e 13 de novembro. Considerado um dos maiores violoncelistas da atualidade, Maisky retorna a São Paulo para os dois concertos e também para ministrar uma masterclass exclusiva a estudantes, uma chance imperdível de contato com o prestigiado profissional.

O músico começou a estudar violoncelo aos oito anos e logo se apaixonou pelo instrumento, sendo o único violoncelista que teve aulas com dois grandes nomes do instrumento: Mstislav Rostropovich e Gregor Piatigorsky. Foi descrito por Rostropovich como “um dos mais extraordinários talentos da nova geração de violoncelistas. Sua música combina poesia e rara delicadeza, com muito temperamento e técnica excepcional”. Com mais de 35 gravações ao lado de diversas modalidades de orquestras, Maisky já foi indicado três vezes ao almejado Grammy, uma das premiações de música mais conhecidas do mundo.

Fundada em 1949, a orquestra virá com uma formação de 77 músicos, que acompanharão Mischa Maisky nos concertos da Sala São Paulo. Já Grüneis, regente convidado, é o Principal Diretor Musical da Ópera Estatal de Istambul (Turquia) desde 2010, tendo ocupado a mesma posição, de 2004 a 2009, junto à Orquestra Filarmônica e a Ópera de Regensburg, na Alemanha. Como regente convidado, esteve à frente de orquestras como a DSO – Deutsches Symphonieorchester Berlim, Orquestra de Câmara Alemã Berlim, da famosa Orquestra de Câmara de Lausanne, Rádio Filarmônica Hannover, Staatskapelle Weimar, Orquestras das Rádios de Praga e Bucareste, Orquestra Haydn de Bolzano, filarmônicas de Gdansk, Jena e Brno e, recentemente, das filarmônicas de Seul e Gwangzhou, e muitas outras.

Além dos dias na Sala São Paulo, o grupo eslovaco fará duas apresentações gratuitas no Auditório Ibirapuera, no dia 10/11. Às 11h, um concerto ao ar livre, no palco externo do auditório; e às 16h no palco interno, uma matinê especial para crianças, iniciativa que promove uma experiência lúdica, permitindo aos pequenos terem o primeiro contato com a música clássica de forma mais atrativa.

 

Trancoso

Além do grupo de dança de Harlem, Trancoso sediará o 8º Música em Trancoso (23 a 30 de março), festival anual promovido pelo Mozarteum Brasileiro. Com sucessivos sucessos, o evento de 2019 terá uma programação eclética e renovada: os espectadores poderão apreciar o melhor da música clássica e popular, jazz latino, opereta e até zarzuela, gênero lírico-dramático espanhol. Elba Ramalho cantando Dominguinhos, o casal Paula e Jaques Morelenbaum em um tributo a Tom Jobim, a Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro, o Edmar Casteñeda Trio, a Orquestra Sinfônica Jovem de Goiás e vários solistas estrangeiros de canto e instrumento executam o repertório das oito noites de festival. Trancoso ainda receberá o 5º Canto em Trancoso, entre 6 e 13 de julho.

 


SERVIÇO

 

 

Dias 22 e 24 de junho 2019 – 21h | Sala São Paulo

ELINA GARANCA, mezzo-soprano 

Orquestra Acadêmica Mozarteum Brasileiro
Constantine Orbelian, regente

Ingressos/Setores: R$420 (D); R$600 (C); R$850 (B); R$1.000 (A)

 

Dias 20 e 21 setembro de 2019 – 21h | Sala São Paulo

ORCHESTRE PHILHARMONIQUE DU LUXEMBOURG* 

Gustavo Gimeno, regente
Janine Jansen, violino

Ingressos/Setores: R$120 (D); R$200 (C); R$320 (B); R$400 (A)

 

 

Dias 11 e 12 outubro de 2019 – 21h | Teatro Alfa, São Paulo

Dia 12 outubro – 15h | Matinê para crianças (Gratuito)

DANCE THEATRE OF HARLEM

Ingressos/Setores: R$250 (Balcão e Frisas); R$400 (Plateia)

 

 

Dia 10 novembro de 2019 | Auditório Ibirapuera | Concerto ao Ar Livre (11h) e Matinê para Crianças (16h)
Dias 12 e 13 novembro de 2019 – 21h | Sala São Paulo

MISCHA MAISKY, violoncelo

SLOVAK PHILHARMONIC ORCHESTRA
RAOUL GRÜNEIS, regente

Ingressos/Setores: R$150 (D); R$250 (C); R$400 (B); R$500 (A)

 

Patrocinadores

BNP Paribas; Bonsucex; Grupo L´Occitane; Bradesco; Garde

Realização: Mozarteum Brasileiro, Ministério da Cultura, Lei de Incentivo a Cultura, ProacSP, Governo do Estado de S.Paulo – Secretaria da Cultura

 

 

Mozarteum Brasileiro

Fundado por Sabine Lovatelli e Claude Sanguszko, é uma das mais conceituadas associações culturais do país e tem como objetivo valorizar e difundir a cultura musical. Por meio da organização e promoção de espetáculos de música erudita e da manutenção de uma série de atividades educativas em São Paulo e Trancoso, sul da Bahia, fomenta a inclusão social e estende o acesso ao melhor da música para o maior número de pessoas.

Desde 1981, início de suas atividades, vem atuando para cumprir dois grandes objetivos: trazer a excelência musical internacional para o público brasileiro e, ao mesmo tempo, incentivar o desenvolvimento pessoal e social por meio de várias iniciativas de cunho cultural e educativo. Traz ao Brasil algumas das maiores orquestras do mundo e abre espaço em sua programação para a apresentação de orquestras jovens e novos talentos brasileiros.

Em sua trajetória, realizou mais de 1.500 concertos, que foram vistos por mais de dois milhões de espectadores, em salas de concertos e locais públicos. Mais de oito mil alunos passaram pelas masterclasses e 340 jovens talentos foram encaminhados às melhores instituições musicais nacionais e europeias, por meio de bolsas de estudos concedidas pela instituição.

 

 

Faça seu comentário