Escrito por em 19 fev 2019 nas áreas Lateral, Música antiga, Música coral, Programação, São Paulo

Apresentação acontece nesta quinta-feira (21), às 20h, na Sala do Conservatório

O Coral Paulistano apresenta um concerto dedicado ao repertório renascentista nesta quinta-feira (21), às 20h, na Sala do Conservatório, na Praça das Artes. Como referência ao período, 1300 a 1600, as obras serão apresentadas em quartetos, respeitando a pequena formação dos grupos vocais da época. Delphim Rezende Porto acompanha ao cravo

O programa será formado em sua maioria por madrigais ingleses de compositores como John Dowland, Thomas Morley, Francis Pilkington, John Wilbye, John Ward. A exceção fica por conta da obra La Bomba, de Mateo Flecha.

Os ingressos custam R$ 20 e estão à venda na bilheteria do Theatro ou pelo site eventim.com.br.

 

PROGRAMA

Orlando Gibbons
The silver swan

John Dowland
Awake, sweet love

John Dowland
Now, o Now, I Needs must Part

John Dowland
Come, again sweet love

John Dowland
What if I never speed

Thomas Morley
Fire fire my heart

Francis Pilkington
Rest sweet nymphs

Thomas Morley
April is in my mistress’ face

John Wilbye
Thus saith my cloris bright

John Ward
Weepe forth your tears, and doe lament

Cancionero de Medinacelin
Corten espadas afiladas

Mateo Flecha
La bomba

 

Coral Paulistano Mário de Andrade

O Coral Paulistano foi criado por iniciativa de Mário de Andrade em 1936 com o objetivo de levar música brasileira, principalmente erudita, ao Theatro Municipal, valorizando os compositores brasileiros e mostrando à capital paulista a importância do movimento nacionalista que surgiu principalmente após a Semana de Arte Moderna.

Desde a sua criação, o grupo já foi regido por importantes maestros como Camargo Guarnieri, Fructuoso Vianna, Miguel Arqueróns, Tullio Colacioppo, Abel Rocha, Zwinglio Faustini, Antão Fernandes, Samuel Kerr, Henrique Gregori, Roberto Casemiro, Mara Campos, Tiago Pinheiro, Bruno Greco Facio, Martinho Lutero Galati e Naomi Munakata (atual regente titular).

Em 2013 o maestro John Neschling, então diretor artístico do Theatro Municipal, chegou a propor a fusão do Coral Paulistano com o Coro Lírico Municipal de São Paulo, objetivando direcionar o teatro para as apresentações de ópera. A proposta gerou repercussão negativa e críticas por parte da imprensa, pois havia a expectativa de que, com a fusão, o grupo que acabaria sendo sacrificado seria o Coral Paulistano.

A notícia da possível fusão agitou o meio cultural, sendo criada inclusive uma petição pública contra a extinção Coral Paulistano. Graças à pressão popular, a proposta de fusão foi descartada e a vocação do Coral Paulistano de interpretar o repertório erudito brasileiro, que foi perdida com o tempo, foi retomada e refortalecida. Desde então o coral foi rebatizado e passou a se chamar Coral Paulistano Mário de Andrade. Atualmente o grupo conta com direção artística própria ligada ao núcleo de formação do Theatro Municipal e possui programação extensa de apresentações de música brasileira erudita em diferentes espaços da cidade.

Atualmente sob regência de Naomi Munakata o coral é formado por 45 cantores de sólida formação musical e atua em apresentações com repertório “a capella” de diversos períodos, especialmente de compositores brasileiros do século XX. 

 

 

SERVIÇO

 

 

Coral Paulistano Canta Renascença

Dia 21 de fevereiro, quinta-feira, às 20h

Sala do Conservatório – Praça das Artes (Av. São João, 281 – Centro – 11 4571 0401)

Ingresso: R$ 20 [venda na bilheteria e pelo site eventim.com.br

Classificação: Livre (sugerido para maiores de 7 anos)

Horário da Bilheteria do Theatro Municipal: De segunda a sexta-feira, das 10 às 19h, e sábados e domingos, das 10 às 17h.

 

Faça seu comentário