Escrito por em 8 abr 2019 nas áreas Lateral, Música de câmara, Programação, São Paulo

Homenageia o centenário de nascimento do compositor

No dia 13 de abril, sábado, às 20h, o Centro de Música Brasileira homenageia o centenário de nascimento de Cláudio Santoro com o recital Canções de Amor interpretado pelo Duo A. Brasileira de canto e piano, Juliana Starling e Miguel Laprano. Outro grupo a se apresentar é o Duo Palheta ao Piano com Jairo Wilkens ao clarinete e Clenice Ortigara ao piano. O evento acontece no Centro Brasileiro Britânico em Pinheiros. A série conta com o Apoio Cultural da Cultura Inglesa de São Paulo. Grátis!

O espetáculo Canções de Amor do Duo A. Brasileira traz 8 das 13 canções de amor de Cláudio Santoro e Vinícius de Moraes; e duas peças para piano solo: Paulistanas nº 1 e 2, de Cláudio Santoro.

Cláudio Santoro nasceu em Manaus, foi para o Rio de Janeiro estudar ainda jovem. Aos 18 anos, já era professor adjunto da cátedra de violino do Conservatório de Música do Rio de Janeiro. Estudou com Hans-Joachim Koellreutter, integrando o grupo Música Viva, no Brasil, e com Nádia Boulanger, em Paris/FR. Santoro foi professor fundador do Departamento de Música da Universidade de Brasília e, em 1979, fundou a Orquestra do Teatro Nacional de Brasília, atualmente Orquestra Sinfônica do Teatro Nacional Cláudio Santoro, da qual foi regente titular até sua morte em março de 1989.

As canções de Cláudio Santoro e Vinícius de Moraes estabeleceram um novo referencial na canção de câmara brasileira, para o qual contribuíram diversos elementos característicos das obras de ambos os autores. Compostas entre 1957 e 1960, as 13 canções foram publicadas em três séries, sendo a primeira e a segunda intituladas “canções de amor” e a terceira, “três canções populares”. Do ponto de vista estético e temático, a lírica amorosa dos textos poéticos, nestas canções, é veículo para uma “sofisticação coloquial”, quer pelo agrupamento das canções quanto ao seu desenvolvimento temático, quer pelas possibilidades de nuances interpretativas, incluindo-se a evocação da fala no canto, assim como uma alusão aos modelos de canto que surgem com a bossa nova.

Além das canções farão parte do programa duas “Paulistanas”, também de Santoro, buscando alinhavar este inquietante universo que se coloca no entorno das canções do lirismo sobre a angústia e a solidão do amor. Este projeto constitui uma das atividades do Duo A. Brasileira de valorização e difusão da arte brasileira!

O Duo Palheta ao Piano tem 19 anos de existência. Recebeu prêmios em concursos como o da Academia Nacional de Música, no Rio de Janeiro, em 2001 e 2004, o do Artist Presentation Society Audition em 2008, nos Estados Unidos e em 2013 o do III Concurso de Música de Câmera – 51º Festival Villa-Lobos, no Rio de Janeiro. O duo interpretará obras de Ernst Mahle, Guerra-Peixe, Guerra Vicente, José Siqueira, Osvaldo Lacerda e Villani-Côrtes.
Segundo os dicionários, clarinete é um substantivo masculino. “Entretanto Osvaldo Lacerda detestava os galicismos ou anglicismos e mantinha a palavra clarineta com a no final”, comenta Eudóxia de Barros.

 

PROGRAMA

Duo Palheta ao Piano – Jairo Wilkens e Clenice Ortigara (clarinete e piano)

Guerra Vicente
Cenas Cariocas: 2ª Suíte (Valsa Seresteira, Modinha e Choro)

Villani Côrtes
Toada
Luz
Águas Claras

Osvaldo Lacerda
Valsa-Choro

Ernet Mahle
Sonatina

José Siqueira
Sonatina (Alegro Molto, Dolentemente e Allegro)

Guerra-Peixe
A Inúbia do Caboclinho

Duo A. Brasileira – Juliana Starling e Miguel Laprano (canto e piano)

Osvaldo Lacerda
Teus Olhos

Cláudio Santoro
Ouve o silêncio
Acalanto da rosa
Bem pior que a morte
Balada da flor da terra
Amor que partiu

Cláudio Santoro
Paulistanas [piano solo]
Paulistanas nº 1, Lento
Paulistanas nº 2, Moderato

Cláudio Santoro
Três canções populares 
– Luar de meu bem
– Amor em lágrimas
– Cantiga do ausente

 

 

SERVIÇO

 

Centro de Música Brasileira (CMB) – Homenagem a Cláudio Santoro

Dia 13 de abril, sábado, às 20h

Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico  (Rua Ferreira de Araújo, 741 – Pinheiros – São Paulo – (11) 3039 0500)

Entrada franca

Classificação Livre

 

Duo Palheta ao Piano

Duo Palheta ao piano

Com 19 anos de atividade o Duo Palheta ao Piano vem se destacando no cenário camerístico nacional, conquistando primeiros prêmios em importantes concursos como ArtLive, Academia Nacional de Música, Artist Presentation Society Audition (EUA) e o III Concurso de Música de Câmara do 51º Festival Villa-Lobos. Participaram como artistas convidados nas convenções ClarinetFest 2008, ClarinetFest 2010 e ClarinetFest 2014, promovidos pela International Clarinet Association. Em 2015 estiveram em tournée na Alemanha e em 2016 nos Estados Unidos.

O Duo foi premiado em primeiro lugar em 15 competições, destacando o da Academia Nacional de Música, no Rio de Janeiro, em 2001 e 2004, o “Artist Presentation Society Audition” em 2008, nos Estados Unidos e em 2013 o III Concurso de Música de Câmera – 51º Festival Villa-Lobos, no Rio de Janeiro.

Em 2013, lançou seu primeiro CD, tendo como repertório obras de compositores brasileiros e, em 2014, participou da gravação do programa de tv “Partituras” exibido pela TV Brasil, no Rio de Janeiro. Em 2015, estiveram em tournée na Alemanha e, em 2016, nos Estados Unidos. Em 2017, o Duo lançou um CD com a soprano Marília Vargas intitulado “Viagem Infinita”.

Jairo Wilkens

Clenice Ortigara e Jairo Wilkens

É, atualmente, primeiro clarinetista da Orquestra Sinfônica do Paraná. Foi clarinetista da Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas de 2012 a 2017. Natural da cidade de Vigia (Pará) estudou no Conservatório Carlos Gomes (Belém-PA) com Oleg Andryeyev (Rússia). Estudos de aperfeiçoamento musical com Howard Klug (Indiana University – Bloomington), Kenneth Grant (Eastman School of Music), Luís Afonso Montanha e Sérgio Burgani.

Masterclasses com Paquito D’Rivera, Walter Boeykens, Walter Seyfarth (Filarmônica de Berlim) e Paul Meyer. Em 2016, Jairo lançou seu primeiro CD solo intitulado “Clarinete Solo Brasileiro” um registro inédito de obras de compositores eruditos brasileiros contemporâneos.

Clenice Ortigara

Atua como pianista junto ao Coro da Camerata Antiqua de Curitiba, da Fundação Cultural de Curitiba e é professora de Música de Câmara na UNESPAR/Campus de Curitiba I – Embap. Nasceu em Cascavel (PR) e concluiu os cursos de Bacharelado em Piano e Licenciatura em Música na Escola de Música e Belas Artes do Paraná e mestrado em Piano Performance, Música de Câmara e Ópera na Universidade de Missouri, nos Estados Unidos. Teve como professores Olga Kiun, Leilah Paiva, e Dr. Janice Wenger.

 

Centro de Música Brasileira – CMB

É uma sociedade civil sem fins lucrativos, fundada em São Paulo, em 18 de dezembro de 1984, iniciando suas atividades em 29 de abril de 1985, no Teatro de Cultura Artística (Sala Rubens Sverner), com um recital de Eudóxia de Barros. Visa a defender e promover maior divulgação da música brasileira erudita de todas as épocas e estilos. Grande parte dos intérpretes que se apresentam são jovens no início de suas carreiras de instrumentistas, cantores ou regentes. Osvaldo Lacerda foi o Presidente até 2011 e atualmente é a pianista Eudóxia de Barros.

O CMB realizou 333 apresentações em São Paulo, e um total de 47 em cidades do interior dos Estados de São Paulo e Minas Gerais. Por duas vezes recebeu Prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte – APCA, pelo trabalho realizado em prol de nossa música. Não conta com subsídios de entidades nem particulares, nem governamentais, com exceção de esporádicos patrocínios dos prêmios dos concursos ou apoios culturais: Banco Francês e Brasileiro, Metal Leve, PADO S/A., Funarte – MINC, Rotary Club de São Paulo, Orquestra da RTC, SESC, Academia Brasileira de Música, Cultura Inglesa, Bovespa, Grupo Arão Sahm, Casa Manon, Pianos Fritz Dobbert, Orquestra Sinfônica De Campinas, Ballet Stagium, Unibero, Sabó Ind. e com Ltda., e mais recentemente, um grande apoio da Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.

Financeiramente, sobrevive graças às anuidades pagas por seu quadro social, e que foram estipuladas em R$ 120,00 (individual) e R$ 180,00 (casal) a partir deste ano, podendo ser enviadas para a sede da entidade: Rua Santarém, 269 Bairro Perdizes, CEP 01251-040 São Paulo-SP.
Desde 1995, recebe um valioso apoio cultural da Cultura Inglesa de São Paulo, podendo realizar seus recitais mensais da temporada, na Sala Cultura Inglesa do Centro Brasileiro Britânico, em Pinheiros.

Promoveu vários concursos de Interpretação, de âmbito nacional: 7 da Canção de Câmara Brasileira; 5 de Músicas Brasileiras para Piano; 2 de Músicas Brasileiras para Flauta. Promoveu um Concurso de Monografia “O Dobrado” (marcha cívica e militar brasileira), e dois de Composição: o primeiro, em parceria com a Biblioteca Municipal “Mário de Andrade” (São Paulo) e mais recentemente, em 2008, um Concurso de Tocata para Piano, vencido em 1º lugar por Nelson Lin, que teve como prêmio, além de uma vultosa quantia oferecida pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo, ainda a impressão de sua Tocata, pela Academia Brasileira de Música. O 2º prêmio foi para Edson Sant´Anna. Foram marcantes os dois recentes Concursos promovidos pelo Centro de Música Brasileira, em dezembro de 2009, curiosamente realizados na Casa Mário de Andrade: o II Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Flauta e o V Concurso de Interpretação de Músicas Brasileiras para Piano, que tiveram grandes prêmios oferecidos pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo. E em 2015, o Concurso de Interpretação Pianística da obra de Osvaldo Lacerda.
Site: http://www.centrodemusicabrasileira.blogspot.com.br/

Faça seu comentário