Escrito por em 8 abr 2019 nas áreas Lateral, Musical, Programação, Rio de Janeiro

Musical reestreia 15 de março no Rio


Dirigido e coreografado por Tânia Nardini (responsável por todas as montagens de “Chicago” no mundo desde 2007), “Nélson Gonçalvez – O Amor e o Tempo” realiza nova temporada no Rio de Janeiro somente até o dia 31 de março, no Teatro Sesc Ginástico.

Homenageando o centenário de Nélson Gonçalves, o espetáculo traz 33 canções do repertório do cantor adaptadas para Guilherme Logullo (“Pippin”, “Bibi – Uma Vida em Musical”) e Jullie (“A Noviça Rebelde”, “60! Década de Arromba – Doc. Musical”), que se revezam no papel do protagonista.

A homenagem, que conta com texto de Gabriel Chalita e direção musical (e arranjos) de Tony Lucchesi (“Bibi – Uma Vida em Musical”, “Vamp – O Musical”), foi idealizada e produzida por Guilherme Logullo. A produção conta ainda com figurinos de Fause Haten e cenografia de Dóris Rollemberg.

 

Guilherme Logollo e Jullie

Contada de forma não-linear, a narrativa apresenta os desejos, pensamentos, amores e anseios do protagonista. Enquanto Jullie representa o tempo ou o lado racional da vida do cantor, Guilherme Logullo é o amor ou o lado emocional.

Quis escrever um texto que, de alguma forma, fugisse um pouco dos musicais tradicionais. Nélson Gonçalves foi um homem que amou profundamente e que, também por isso, sofreu”, conta Gabriel Chalita. “[O espetáculo] traça um diálogo entre a razão e a emoção, reforçado pela força e dramaticidade das canções interpretadas por ele, [e as músicas] enfatizam essa disputa de sentimentos”, explica o autor, que garante que o público se identificará no conflito entre os dois lados.

Guilherme Logullo garante que os fãs do cantor se emocionarão. “A montagem tem um tom nostálgico e lírico. Vamos trazer fatos, histórias, emoções, músicas e sentimentos”, conta o ator, que se aprofundou na história do rei do rádio durante os estudos para um personagem. “Os altos e baixos, os nãos que Nélson escutou na carreira musical, seus relacionamentos e seus problemas com as drogas estarão lá de alguma maneira. No entanto, [não se trata de] uma obra biográfica, mas uma homenagem. Foi a forma que encontramos de trazer a essência de Nélson para a cena”, comenta.

Um dos pontos interessantes do musical é a maneira como nos apropriamos das canções. Somos dois jovens cantando músicas lindas de um tempo diferente do nosso. Isso dá uma outra roupagem a esse repertório que ganha novas cores com os arranjos sensíveis e criativos do Tony Lucchesi”, conta Jullie, que foi convidada para participar do projeto.

Vivendo um conflito constante entre o amor (a emoção) e o tempo (a razão), os protagonistas trazem à tona as emoções vividas por Nélson Gonçalves ao longo de sua vida e carreira, cantando seus maiores sucessos, numa homenagem ao centenário do cantor e compositor brasileiro, um dos maiores vendedores de discos do país. Nélson Gonçalves é revivido por meio das canções e das emoções do casal de protagonistas.

 

Nélson Gonçalves

SERVIÇO

 

Nélson Gonçalves – O Amor e o Tempo

Do dia 15 de março até o dia 31 de março. De quinta a sábado, as sessões acontecem às 19h, e aos domingos, às 18h.

Teatro Sesc Ginástico (Avenida Graça Aranha, 187 – Centro – RJ)

Ingresso:  R$ 30, com meia-entrada de R$ 15 válida para estudantes e doadores de 1kg de alimento não perecível (a ser revertido para o projeto Mesa Brasil). Habilitados do Sesc pagam apenas R$ 7,50.

Vendas: (21) 2279-4027

Classificação etária: livre (menores de 12 anos permitida a entrada acompanhados dos pais ou responsáveis legais)

 

Faça seu comentário