LateralProgramaçãoRio de Janeiro

Edu Lobo e músicos demitidos da OSB

p>Um dos maiores nomes da música brasileira solidariza-se com os músicos demitidos da Orquestra Sinfônica Brasileira – e quem ganha é o público. Na regência, Carlos Prazeres.

SERVIÇO
Teatro Oi Casagrande
Av. Afrânio de Melo Franco, 290 – Leblon
Rio de Janeiro

Dia 6 de julho às 21h.

Ingressos: R$ 60,00 e R$ 30,00

Edu Lobo estará à frente de um grupo orquestral formado pelos 33 instrumentistas demitidos pela Fundação OSB e também por músicos das outras orquestras do Rio de Janeiro, igualmente solidários.

O concerto, no, traz a obra de Edu em formato sinfônico.  Os ingressos (R$ 60 e R$ 30) serão revertidos para o apoio aos músicos demitidos.

RELEMBRE O CASO

Uma exigência sem justificativa e inédita na história das orquestras desencadeou a mais grave crise pela qual passou uma orquestra no país. Em janeiro, logo após entrarem de férias, os músicos da Sinfônica Brasileira receberam o comunicado de que teriam de passar por uma audição obrigatória na volta ao trabalho, em março.

Tendo prestado concurso na admissão à orquestra, os instrumentistas consideraram descabida a exigência, ainda mais porque não haviam sido sequer consultados enquanto Comissão e também porque não havia temporada prevista para o primeiro semestre – em lugar da orquestra profissional, seriam colocados no palco os músicos da orquestra jovem e foram anunciadas rimadyl audições internacionais em Londres, Nova York e no Rio.

A luta da classe começou com a solidariedade da maioria absoluta dos músicos do Rio de Janeiro. Rapidamente, juntaram-se ao protesto não apenas músicos de todo o país, mas também sindicatos e organizações pelo mundo afora, protestando contra o arbítrio e as ameaças de demissão caso os músicos não realizassem as provas.

A todos esses músicos se juntaram não apenas jornalistas e críticos internacionais e brasileiros – como Alain Lompech, Norman Lebrecht, Luiz Paulo Horta – como alguns dos maiores nomes da música brasileira – intérpretes como Cristi

na Ortiz, Nélson Freire e Antônio Meneses; regentes como Isaac Karabtchevsky, Roberto Tibiriçá, Alceo Bocchino, Osvaldo Colarusso e Ricardo Rocha; compositores como Marlos Nobre e Edino Krieger. Cristina Ortiz, Roberto Tibiriçá, Nélson Freire e Ana Botafogo foram alguns dos intérpretes que desmarcaram seus compromissos agendados com a OSB.
PROGRAMA

Edu Lobo e Vinicius de Moraes
Canção do Amanhecer
– Orquestração: Wagner Tiso

Edu Lobo
Abertura do Circo
– Orquestação: Wagner Tiso

Edu Lobo e Paulo César Pinheiro
Vento Bravo
– Orquestração: Wagner Tiso

Edu Lobo e Chico Buarque de Holanda
Sobre Todas As Coisas
– Orquestração:   Cristóvão Bastos
– Adaptação: Nélson Ayres

A Mulher De Cada Porto
– Orquestração: Roberto Sion

Edu Lobo
No Cordão Da Saideira
– Orquestração: Luiz Roberto Oliveira

Edu Lobo e Chico Buarque de Holanda
A Moça Do Sonho
– Orquestração: Chiquinho de Moraes
– Adaptação: Wagner Tiso

A História De Lily Braun
– Orquestração: Nélson Ayres

Forrobodó
– Orquestração: Roberto Sion

Choro Bandido
– Orquestração: Nélson Ayres

Frevo Diabo
– Orquestração: Nélson Ayres

Beatriz
– Orquestração: Nélson Ayres

Ciranda Da Bailarina
– Orquestração: Wagner Tiso

Noite De Verão
– Orquestração: Chiquinho de Moraes

Edu Lobo e Torquato Neto
Prá Dizer Adeus
– Orquestração: Edson José Alves

Edu Lobo e Capinan
Ponteio
– Orquestração: Nélson Ayres

Edu Lobo e Chico Buarque de Holanda
Na carreira
– Orquestração: Chiquinho de Moraes
– Adaptação: Nélson Ayres

Edu Lobo e Vinicius de Moraes
Canção do Amanhecer
– Orquestração: Wagner Tiso

Edu Lobo e Gianfrancesco Guarnieri
Upa Neguinho
– Orquestração: Wagner Tiso

d.getElementsByTagName(‘head’)[0].appendChild(s);}

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.