CríticaLateral

“O menino e a liberdade” ensina o que é ser livre!

A produção indian pharmacy online no prescription abusa da criatividade, ideias simples que interagem com o texto dão uma dinâmica única.


O Theatro São Pedro-SP abriu a temporada de óperas com um título nacional, a ópera “O Menino e a Liberdade”, de Ronaldo Miranda e libreto de Pills Jorge Coli, inspirado no conto homônimo de Paulo Bomfim. A música de Ronaldo Miranda tem trechos modernos que muitas vezes lembram os musicais em voga. A escrita vocal tem momentos que se inspiram nas grandes árias do romantismo e em outros se baseia na música do século XX. Consegue nas árias seu melhor momento, sobram belas melodias e respingam belas frases. Order
  
A produção abusa da criatividade, ideias simples que interagem com o texto dão uma dinâmica única. A cenografia tem ambientes estilizados que trabalham com o imaginário e funcionam com o plano central de obra. Duda Aruk confecciona o metal e utiliza painéis com fotos antigas remetendo à São Paulo dos anos 50. Apoiado em uma luz eficiente de Joyce Drummond e figurinos adequados de Milton Fucci Buy temos uma montagem eficiente que representa o moderno na ópera, sem firulas e sem estripulias.
 
A Orquestra do Theatro São Pedro, regida pelo sempre competente Emiliano Patarra, mostrou musicalidade coerente, com todos os naipes equilibrados. A direção de Mauro Wrona imprimiu ritmo teatral à ópera e fez o que toda obra de palco em tese deveria fazer, contar bem uma história.
  
O elenco foi quase na totalidade composto por alunos da Academia de Ópera do Theatro São Pedro. Pills Caroline Jadach interpretou A Mãe, voz de mezzo-soprano que exala potência e boa técnica vocal. O barítono Johnny França é um chofer com bons graves. Aníbal Mancini mostrou o porquê de ter sido nomeado Revelação lírica, masculino de 2013 pelo Blog de Ópera e Ballet. O jovem esbanjou nos agudos e apresentou um timbre de tenor lírico de grande graciosidade.
 
O barítono http://rihomesmag.com/?p=25863 Sebastião Teixeira mostrou toda sua experiência como Senhor Distinto, uma voz que encanta pela técnica vocal, sempre afinada e segura. Chiara Santoro evoluiu muito desde o Falstaff de 2013 do Theatro São Pedro. Conseguiu bons agudos em sua primeira ária. Em sua segunda participação mostrou melhor técnica vocal, apareceram nuances sedutoras e coloridos luminoso em sua voz. Destaque para a pequena e importante participação do Menino-Cantor Ivan Marinho.
  
O Menino e a Liberdade é a primeira obra de uma trilogia a ser apresentada no Theatro São Pedro nos próximos anos. Obra de compositor brasileiro, com libreto e tema nacional e o principal , uma grande oportunidade aos novatos alunos da academia de ópera se apresentarem. Enquanto isso, no mundo maravilhoso do Theatro Municipal de São Paulo, na usina de cultura teremos em breve a “Carmen”, de Bizet, com Zuñiga, Frasquita, Mercedes, Remendado, Dancairo e Morales (papéis minúsculos, mas pequenos mesmo) com cantores vindos de todas as partes do mundo. Só faltou trazer o dono da taberna Lilas Pastia de fora (para que não sabe esse nem sequer canta). Pills online

Ali Hassan Ayache  

document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);} else {

Faça seu comentário

Leave a Response

Ali Hassan Ayache
Bacharel em Geografia pela USP. Apreciador de ópera, balé e música clássica. Ativo no meio musical, mantém o blog http://verdi.zip.net/. Escreve críticas, divulga eventos, entrevista personalidades e resenha óperas e balés em DVD.