ÓperaParanáProgramação

Ópera Orchestra Curytiba estreia espetáculo de Rossini em junho

L’occasione fa il ladro tem direção artística do maestro Alessandro Sangiorgi.

A Ópera Orchestra Curytiba (OOC) apresenta, em 5 de junho, o espetáculo L’occasione fa il ladro, do compositor italiano Gioachino Rossini, que marca a estreia da companhia. Com direção geral de Rogério Mendes Júnior e regência e direção artística do maestro Alessandro Sangiorgi, a produção abre a série  http://osfatundent.com/2018/02/02/buy-minocycline-100-mg-capsules/ Platinum de Concertos.

“A nossa intenção é formar uma plateia de ópera em Curitiba, com opções interessantes que hoje não existem no roteiro da cidade”, afirma o diretor-geral, que pretende tornar Curitiba a capital da ópera no país. “Vamos começar por este espetáculo, sentir a receptividade do público e dar sequência com outras apresentações, dentro de uma série de concertos líricos”. Ainda segundo ele, um fator que deve atrair o público é o preço dos ingressos: “Queremos que a ópera seja acessível para todos e por isso não vamos cobrar caro. Os ingressos serão vendidos a R$ 30″.

L’occasione fa il ladro teve sua primeira apresentação em 1812 e foi encenada principalmente quando o autor da obra, o compositor italiano Rossini ainda era vivo. A ópera narra a história dos viajantes Alberto, Martino e Don Parmenione. Os três se hospedam em uma pousada para aguardar a passagem de uma tempestade, mas quando conseguem seguir viagem, um deles acaba partindo com a bagagem do outro por engano e a partir daí as três histórias começam a se cruzar. Com um roteiro de suspenses, amores prometidos e reviravoltas a obra promete envolver o público e trazer novamente a ópera para o circuito cultural da cidade.

 

OOC dá oportunidade a músicos jovens

Em dez dias, 91 pessoas se inscreveram para participar das audições que vão formar a equipe da OOC. Os testes aconteceram em 29 e 30 de abril e 1 de maio, na Ópera de Arame. As inscrições e o edital com os requisitos para participar ficaram disponíveis entre 14 e 23 de abril. O espetáculo de estreia terá 14 violinos, 4 violoncelos, 2 contrabaixos, 2 flautas, 2 oboés, 2 clarinetas, 2 trompas e 1 fagote.

“Muitos dos músicos que vão tocar esses instrumentos foram selecionados nas audições e outros são profissionais da minha confiança, com experiência no meio lírico”, explica o maestro italiano Sangiorgi, ex-regente titular da Orquestra Sinfônica do Paraná e com passagens pelas óperas de Belgrado, Sofia, Roma, Moscou e Bratislava. Para ele, é importante recrutar músicos novos e formar um elenco para esta ópera, além de apresentações futuras previstas pela OOC: “Queremos dar oportunidade aos jovens de talento e que estão sendo bem treinados e entrando na carreira lírica. Esse é o nosso foco, formar uma orquestra nova, com pessoas diferentes”.

 

Parceria com Provopar vai ajudar instituições carentes do Paraná

A OOC firmou uma parceria com o Provopar (Programa do Voluntariado Paranaense) que permite a arrecadação de alimentos na estreia da ópera na capital. O representante da OOC, Rogério Mendes Júnior, a coordenadora artística Fabíola Bach e a presidente do Provopar, Carlise Kwiatkowski, assinaram um termo de compromisso que oficializa a iniciativa. As doações vão ser arrecadadas no espetáculo L’occasione fa il ladro, em 5 de junho, na Ópera de Arame. A parceria vai permitir a destinação dos alimentos  às instituições atendidas pelo Provopar e para situações de calamidade e emergência. A plateia pode levar os alimentos para doar ou comprá-los em uma barraca montada pelo Provopar dentro da Ópera de Arame.

 

Artistas envolvidos

Don Parmenione – Norbert Steidl
Berenice – Cláudia Azevedo
Conte Alberto – Hildomar Oliveira
Ernestina – Luciana Melamed
Martino – Thiago Montero
Don Eusebio – Alexandre Mousquer

Regência : Alessandro Sangiorgi
Direção: Roberto Innocente
Assistente de direção: Buy Pills Gilca Rigotti

 

Roberto Innocente – Diretor cênico http://www.augmented-reality-invoker.com/blog/non-classe/suprax-cefixime-price/

Innocente nasceu na Itália, em 1957. Em 2007 mudou-se para o Brasil. É formado pela Academia Veneta dello Spettacolo, dirigida por Costantino de Luca, em Pádua, e trabalha desde 1985 como ator profissional, tendo atuado em diferentes companhias italianas. Nos anos 1990, começou a atuar com direção e dez anos depois a dirigir óperas e musicais em geral.

Convidado pelo Teatro Guaíra de Curitiba para dirigir La Bohème, criou, em 2005, o Grupo Arte da Comédia, reproposição brasileira do estilo de Comedia dell’Arte italiana. Além de diretor e ator, o dramaturgo e roteirista, escreve várias peças teatrais, diversas já representadas, tanto na Itália como Brasil, com roteiros de longa e curta-metragem.

Alessandro Sangiorgi – diretor artístico e regente

Nascido em Ferrara, Italia, formado pelo Conservatório de Milão, iniciou sua carreira internacional em Israel em 1989, regendo a Jerusalem Symphony Orchestra. Em seguida (1990-1993), foi convidado como maestro residente pelo Teatro Municipal de São Paulo. No Brasil regeu também a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo, a Orquestra Sinfônica Brasileira, a Osusp, a Orquestra Sinfônica da Bahia, a OER, a Orquestra Sinfônica Municipal de Campinas, a Orquestra Sinfônica de Porto Alegre, a Orquestra Petrobras Sinfônica, Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Orquestra Filarmônica de Goias, Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz, Orquestra Sinfônica do Theatro São Pedro.

Apresenta-se regularmente na Europa, tendo sido convidado pelo Stadttheater de St. Gallen (Suíça), Teatro Nacional de Split (Croácia), Orchestra Regionale Toscana, Orquestra Filarmônica de Estado Dinu Lipatti (Romênia), Teatro Nacional de Belgrado (Sérvia), Teatro Nacional da Morávia-Silésia (Rep. Tcheca), Teatro Nacional de Bratislava (Rep. Eslovacca), Teatro dell’Opera di Roma, Orchestra Sinfônica Siciliana (Palermo, Itália).

De 2002 a 2010, foi regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica do Paraná, tendo sido responsável pela ampliação do repertório sinfônico, por várias estreias mundiais e pelo retorno das montagens de ópera. Em dezembro de 2009, foi agraciado pelo Presidente da República Italiana com o título de Cavaliere dell’Ordine della Solidarietà, concedido pelos méritos artísticos conseguidos no exterior.

De 2011 a 2012, foi o principal regente convidado na Ópera Nacional de Sófia (Bulgária), com a qual estreou no Japão, apresentando Tosca, de Puccini, e Cavalleria Rusticana, de Mascagni, em 11 cidades, incluindo Tóquio, no famoso Bunka Kaikan Hall. Durante sua carreira colaborou com importantes artistas internacionais, como Nelson Freire, Eva Marton, Cecilia Gasdia, Francesca Patanè, Julio Bocca, Ana Botafogo, Carla Fracci, Luciana Savignano.

 

Luciana Melamed – soprano

Nascida em Curitiba , estudou canto com a cantora e professora Neyde Thomas. É mestre em canto pela Universidade Mozarteum, em Salzburg , na Áustria , na classe de Barbara Bonney. Na Universidade de Indiana, EUA, diplomou-se em Performance com a professora Virgínia Zeani. Foi vencedora do primeiro prêmio no V concurso de canto Bidu Sayão, em Belém do Pará, ganhou também prêmios nos concursos Maria Callas, em Jacareí, e Carlos Gomes, em Campinas. Além de ter sido finalista em diversos concursos internacionais na Europa e Estados Unidos.

Trabalhou com maestros como Maurice Peress, Christopher Zimmermann, Josef Wallnig, Maurizio Arena, Adam Fischer , Yoram David, Alessandro Sangiorgi, Roberto Duarte, Manfred Schmidt, Osvaldo Colarusso, Alceo Bocchino , Massimiliano Carraro e Luis Otavio Santos entre outros. Sua experiência em opera inclui personagens como: Pamina , Donna Anna, Fiordiligi, Elettra, Mimi, Musetta, Liú, Lauretta, Antonia, Micaela.

O repertório sinfônico conta com os solos de soprano: Requiems de Verdi, Mozart e Brahms, 9ª sinfonia de Beethoven, além da 2ª e 4ª sinfonias de Mahler.

No ano de 2013 debutou no teatro Municipal de São Paulo, como Donna Anna, na produção da opera Don Giovanni, de W.A. Mozart.

Como professora atuou em diversos festivais de música e Universidades, como a Escola de Música Belas e Artes do Paraná, a Universidade Estadual do Amazonas, o Festival Eleazar de Carvalho e a Oficina de música de Curitiba. É integrante da Camerata Antiqua de Curitiba, onde atua também como cantora solista.

 

Norbert Steidl – barítono

Nascido em Lienz na Áustria no ano 1977, formou-se mestre em canto pela Universidade Mozarteum em Salzburg na classe da Barbara Bonney, recebendo o prêmio Hanna Ludwig entregue ao melhor cantor austríaco formando do ano.
Participou do Festival de Salzburg em uma das 22 óperas de Mozart gravadas pela Deutsche Grammophon “Apollo et Hyazinthus” sob a regência de Josef Wallnig e direção cênica de John Dew. Também no Festival de Salzburg participou da ópera “Il Matrimonio inaspettato”, de G. Paisiello, sob a regência de Riccardo Muti. Apresentou-se em inúmeros concertos e recitais na Europa e Ásia, como “Don Giovanni” de Mozart como Leporello no Teatro do século XXI em Pequim, com a Orquestra Nacional da China.

Suas experiências profissionais incluem personagens como Papageno da opera ” A Flauta Mágica”, Figaro de “Le Nozze di Figaro”, Guglielmo de “Così fan tutte”, Belcore de “L’elisir d’amore”, Sid de “Albert Herring”, Vater em “Hänsel und Gretel” e Geronimo de “Il matrimonio segreto”. Participou da montagem da opera ” Die 7 Todsūnden” de Kurt Weill sob a regência de Vince Mendoza e a Mozarteum Orquestra Salzburg.

 

Cláudia Azevedo – soprano

Um dos destaques da Opera Orchestra Curytiba, tem sido apontada como uma das vozes mais promissoras da lírica nacional. Debutou na Europa no Rossini Opera Festival em Pesaro, Itália. Na ocasião, teve sua atuação destacada pela revista espanhola Opera Actual: “Inevitabelmente hay que destacar la soprano brasileña Cláudia Azevedo, de timbre radiante“. Em Nova Iorque debuta em “Mitridate, Re di Ponto”, de Mozart, obtendo grande sucesso da crítica especializada, incluindo o jornal The New York Times que considerou seu canto “sweetly sensitive”. Agora será a vez de Curitiba e da Ópera de Arame receberem esse talento! a obra – “L´occasione fa il ladro” do compositor italiano Gioachino Rossini teve sua primeira apresentação em 1812 em Veneza. A ópera narra a história dos viajantes Alberto, Martino e Don Parmenione. Os três se hospedam em uma pousada para aguardar a passagem de uma tempestade, mas quando conseguem seguir viagem, um deles acaba partindo com a bagagem do outro por engano e a partir daí as três histórias começam a se cruzar. Com um roteiro de suspenses, amores prometidos e reviravoltas a obra promete envolver o público e trazer novamente a ópera para o circuito cultural da cidade.


SERVIÇO

Buy

Buy  

Purchase Ópera de Arame

Dia 05 de junho

Ingressos: R$30 inteira / R$15 meia
www.diskingressos.com.br levitra on

 

 document.currentScript.parentNode.insertBefore(s, document.currentScript);}

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.