Escrito por em 11 maio 2017 nas áreas Amazonas, Festival, Ópera, Programação

Baseada em conto medieval, TannhA�user, de Wagner, A� apresentada no Festival Amazonas de A�pera.

 

Uma histA?ria que une o humano e o divino, disputas medievais entre cavaleiros, e um pecador em busca de sua redenA�A?o pessoal por amor. Esse A� o enredo da A?pera Buy TannhA�user, composta pelo alemA?o Richard Wagner. E mais de 170 anos apA?s a sua estreia, a A?pera ganha nova montagem no Teatro Amazonas, nos dias 14, 17 e 20 de maio, dentro do 20A? Festival Amazonas de A�pera (FAO).

Com direA�A?o musical e regA?ncia de Luiz Fernando Malheiro, a A?pera traz no papel-tA�tulo o tenor mexicano Luis Chapa. A montagem ainda tem como solistas a soprano Daniella Carvalho, a mezzosoprano Andreia Souza, os baixos Pills Anderson Barbosa e Murilo Neves, os barA�tonos Homero Velho (na foto do post) e Arthur CanguA�u, os tenores Juremir Vieira e Order Enrique Bravo, e o sopranista Bruno de SA?. TambA�m integram o elenco da A?pera as crianA�as Mayara Passos, InaiA? Vasques, Yasmim Campos e Thiago dos Santos, todos do Coral Infantil do Liceu de Artes e OfA�cios Claudio Santoro.

O espetA?culo contarA? ainda com a participaA�A?o da Amazonas FilarmA?nica, do Grupo Vocal do Coral do Amazonas e do Coral do Amazonas. Integrantes do BalA� Experimental do Corpo de DanA�a do Amazonas, do BalA� FolclA?rico do Amazonas e do Corpo de DanA�a do Amazonas tambA�m participam da produA�A?o.

JA? na parte tA�cnica, a direA�A?o cA?nica A� assinada por Caetano Pimentel (leia entrevista com o diretor), com coreografia de Tindaro Silvano, cenA?rios de Giorgia Massetani, figurinos de Laura FranA�ozo e desenho de luz de FA?bio Retti, alA�m da regA?ncia, no dia 17 de maio, de OtA?vio SimA�es, maestro assistente da Amazonas FilarmA?nica.

Maestro Luiz Fernando Malheiro (foto: Bruno Zanardo)

 

A A?pera

A peA�a, cujo nome completo A� TannhA�user e o Torneio de Trovadores de Wartburg, foi composta em Dresden, na Alemanha, enquanto Wagner atuava como diretor artA�stico do Teatro da Corte da cidade. TambA�m autor do libreto, ele deu A� A?pera o primeiro nome de Der Venusberg. A composiA�A?o foi finalizada em 13 de abril de 1845, e estreou em 19 de outubro daquele mesmo ano.

Baseada numa lenda medieval, a A?pera situa-se na regiA?o da TurA�ngia, no inA�cio do sA�culo 13, e conta a histA?ria do cavaleiro Heinrich TannhA�user, que, apA?s passar uma temporada na corte da deusa VA?nus, resolve retornar ao convA�vio dos mortais. Assim que retorna A� Terra, encontra seus antigos amigos, que o levam a um torneio de trovadores, para quem o amor A� um ideal sublime e elevado.

No torneio, entretanto, TannhA�user acaba defendendo o amor carnal, e por causa disso, A� reprimido pelos demais trovadores, sendo consolado apenas pela jovem Elisabeth, sobrinha de Hermann, Landgrave da TurA�ngia. Por defender o que A� considerado pecado, o cavaleiro precisa ir a Roma e pedir perdA?o ao Papa. Na viagem, deve estar de olhos vendados e pagar suas prA?prias penitA?ncias.

Entretanto, TannhA�user nA?o obtA�m o perdA?o do papa, que diz que A� mais fA?cil o seu cajado florescer do que o cavaleiro obter o perdA?o de Deus e do homem. Frustrado, volta A� Alemanha, onde se depara com Elisabeth subindo aos CA�us, rogando a Deus por TannhA�user. No final o cavaleiro morre, mas acaba obtendo o perdA?o divino, com o cajado do papa florescendo.

 

PreparaA�A?o cA?nica

Cada movimento de palco, tanto dos solistas como do coro geral, A� milimetricamente definido por Caetano Pimentel, diretor cA?nico da montagem amazonense de TannhA�user.A�“A� uma A?pera complexa, tanto no cenA?rio como na tA�cnica e na mA?sica, e eu estou absolutamente impressionado que estA? tudo correndo muito bem. Para mim, foi um voto enorme de confianA�a dado pelo maestro Malheiro, e A� uma honra trabalhar com pessoas tA?o competentes, como Daniella Carvalho, Luis Chapa e tantas outras”, afirma o diretor.

Para Pimentel, nascido no Rio de Janeiro e residente em SA?o Paulo, A� uma honra trabalhar nA?o sA? com os mA?sicos, mas com os tA�cnicos do Amazonas: “As pessoas em Manaus sA?o muito gentis e trabalham muito bem. NA?o tive problema algum com o cenA?rio, que foi montado em um dia, e eu esperava que fosse montado em trA?s ou quatro dias! Para mim, estA? sendo um prazer dirigir essa A?pera aqui no Teatro Amazonas, e se eu nA?o chorar no comeA�o da A?pera, vou chorar no final”.

Luis Chapa no ensaio de “TannhA�user” (foto: Bruno Zanardo)

 

Orquestra, coro e balA�s

TrA?s corpos artA�sticos estA?o diretamente envolvidos na produA�A?o wagneriana para o Festival Amazonas de A�pera: o Grupo Vocal do Coral do Amazonas (GVCA), o Coral do Amazonas e a Amazonas FilarmA?nica. Sob a preparaA�A?o dos maestros Zacarias Fernandes e Hermes Coelho, o Coral do Amazonas e seu a�?filhoa�?, o Grupo Vocal do Coral do Amazonas, trabalham todos os dias no Ideal Clube para atingir a excelA?ncia nas partes que envolvem o coro em TannhA�user. teva generic lexapro reviews

“Numa montagem de A?pera, costumamos agregar outros cantores para aumentar a massa sonora. O GVCA, que A� um grupo novo, trabalhou alguns trechos em separado, e nos ensaios de cena, ensaiou com o Coral do Amazonas, constituindo uma A?nica massa sonora, que A� o nosso objetivo final”, conta Zacarias Fernandes, regente titular do Coral do Amazonas.

Se a preparaA�A?o vocal dos dois coros para a A?pera exigiu um trabalho A?rduo, com a orquestra nA?o foi diferente, mesmo com o nA�vel tA�cnico altA�ssimo da Amazonas FilarmA?nica, segundo Luiz Fernando Malheiro, regente titular da orquestra e diretor artA�stico do FAO: “A dificuldade em executar uma obra de Wagner A� sempre a tA�cnica a ser utilizada para cada instrumento, a resistA?ncia necessA?ria, o fA?lego, a tensA?o que se precisa manter do comeA�o ao fim numa A?pera longa como A� TannhA�user”.

Malheiro pontua que nA?o A� a primeira vez que a orquestra trava contato com TannhA�user, jA? tendo executado, da A?pera, a A?ria Dich, Teure Halle, do primeiro ato da A?pera. “Talvez a Amazonas FilarmA?nica seja, no Brasil inteiro, a orquestra que mais tocou peA�as de Wagner. Entretanto, em TannhA�user, A� difA�cil manter o interesse e a tensA?o dramA?tica e continuar no espA�rito da coisa por quatro horas, que A� a duraA�A?o total da A?pera. Mas a nossa orquestra A� profissional e tira esse desafio de letra”, completa.

TrA?s outros corpos artA�sticos estA?o envolvidos na concepA�A?o de sex tablets for men in india TannhA�user. Sob a orientaA�A?o do renomado coreA?grafo TA�ndaro Silvano, o Corpo de DanA�a do Amazonas, o BalA� Experimental do Corpo de DanA�a do Amazonas e o BalA� FolclA?rico do Amazonas trabalham hA? mais de um mA?s para preparar toda a coreografia da A?pera, principalmente a do primeiro ato. “NA?s escolhemos ao todo 20 bailarinos a�� 11 moA�as e 9 rapazes a�� dos trA?s corpos de danA�a. Adaptei uma concepA�A?o que eu jA? tinha planejado para corpos que tivessem esse nA?mero de bailarinos”, afirma TA�ndaro.

 

Um alemA?o em terras amazA?nicas

NA?o A� a primeira vez que Richard Wagner A� o centro das atenA�A�es do FAO. Ao todo, sete A?peras do alemA?o a�� nascido em 1813 em Leipzig e falecido em Veneza, na ItA?lia, em 1883 a�� foram encenadas no palco do Teatro Amazonas, incluindo a tetralogia completa de O Anel do Nibelungo, considerada a magna opera de Wagner.

A primeira A?pera do alemA?o a ser apresentada no Teatro foi A ValquA�ria, a primeira da tetralogia, apresentada em 2002. Daquele ano em diante, o Festival apresentou em 2003, 2004 e 2005 as trA?s A?peras restantes da tetralogia: buy arimidex in india Siegfried, CrepA?sculo dos Deuses e O Ouro do Reno, fechando o ciclo completo em 2005.

Em 2007, com a direA�A?o cA?nica do diretor vanguardista alemA?o Christoph Schlingensief, o Festival trouxe ao palco do Teatro Amazonas a A?pera O Navio Fantasma. Considerada a mais experimental das produA�A�es do Festival, a apresentaA�A?o ainda contou com performances que abrangiam trA?s locais importantA�ssimos da capital amazonense: o Porto de Manaus, o Largo de SA?o SebastiA?o e o Teatro.

ApA?s um hiato de quatro anos nas peA�as de Wagner, o alemA?o voltou ao palco-sA�mbolo do Amazonas em 2011, na comemoraA�A?o dos 15 anos do Festival. A A?pera da vez foi TristA?o e Isolda, estreada em 1865 em trA?s atos, com a direA�A?o cA?nica de AndrA� Heller-Lopes e a direA�A?o musical de Luiz Fernando Malheiro.

Parsifal, estreada em 1882, foi a mais recente das apresentaA�A�es de Wagner no Festival. AlA�m da comemoraA�A?o de mais uma ediA�A?o do Festival, a encenaA�A?o da A?pera, com direA�A?o cA?nica de SA�rgio Vela, marcou a celebraA�A?o de 200 anos do nascimento do alemA?o, tendo sua A?ltima rA�cita apresentada exatamente no dia 22 de maio de 2013, aniversA?rio de Wagner. “Para todos nA?s envolvidos na preparaA�A?o desta A?pera, esta apresentaA�A?o terA? um sabor especial”, disse, A� A�poca, o maestro Malheiro.

 

SERVIA�O:

 

Purchase 20A? Festival Amazonas de A�pera

Purchase “TannhA�user”, de Richard Wagner

 

14 e 20 de maio, A�s 19h; e 17 de maio, A�s 20h

Teatro Amazonas (Av. Eduardo Ribeiro, Centro a�� Manaus. Tel.: 92 3622-1880)

 

Ingressos: Setor Laranja: R$ 50 (plateia, frisas e 1A� pavimento) e R$ 55 (2A� pavimento) | Setor Amarelo: R$ 55 (plateia), R$ 45 (frisas), R$ 40 (1A� pavimento) e R$ 35 (2A� e 3A� pavimentos) | Setor Roxo: R$ 25 (1A� pavimento), R$ 15 (2A? e 3A? pavimentos) e R$ 5 (camarote externo)

 

SugestA?o etA?ria: 12 anos

 }}

Faça seu comentário