LateralMúsica sinfônicaÓperaParanáProgramação

IV Festival de Ópera do Paraná

 O projeto começou com o sonho de Gehad Ismail Hajar, produtor e músico

Gehad não admitia que sua cidade, Curitiba, não mais tivesse montagens operísticas de grande porte. Com a ajuda do Centro Cultural Teatro Guaíra, da Secretaria de Estado da Cultura, da Fundação Cultural de Curitiba e outros parceiros, fundou o Festival de Ópera do Paraná em 2015, após três anos de estudos, tendo como primeira apresentação a opereta paranaense “Marumby”, de 1928. Subsequentemente e para dar o suporte artístico ao Festival, fundou o Coro Lírico de Curitiba e a Companhia Paranaense de Ópera.

Nas três últimas edições foram mais de 33 mil pessoas a assistirem 59 eventos, em teatros, ruas, praças e ônibus. Já considerado o maior evento lírico do Brasil, o Festival de 2017 contou com público superior a 22 mil pessoas que assistiram a 40 espetáculos gratuitos, produzidos por 619 profissionais. Os destaques ficaram com “Cavalleria Rusticana” no palco do Guairão, após 8 anos sem óperas, e “Festa de São João”, opereta inédita de Chiquinha Gonzaga.

A IV edição conta com duas etapas. A primeira em agosto, que circulou por cinco cidades do Paraná: Antonina, Lapa, Rio Negro, Terra Roxa e Foz do Iguaçu. A segunda etapa, em novembro, contemplará Curitiba e Ponta Grossa, sempre com espetáculos gratuitos.

 

PROGRAMAÇÃO

Óperas

RITA de Gaetano Donizetti
Dias 02 e 04 de novembro, às 20h, no Guairão

Com Orquestra Sinfônica da Escola de Música e Belas Artes do Paraná
Solistas:
Rita – Jéssica Leão (São Paulo)
Beppe – Daniel Soufer (São Paulo)
Gasparo – Caê Vieira (São Paulo)
Direção Geral: Gehad Hajar
Regência: Paulo Barreto

Rita, ou Le mari battu é uma ópera cômica em um ato, composta por Donizetti com libreto de Gustave Vaëz. A ópera, uma comédia doméstica consiste de 8 musicas conectadas por um diálogo falado, foi terminada em 1841 com o título original de “Deux hommes et une femme”. Jamais foi encenada durante a vida de Donizetti.

 

SÓROR MARIANA de Júlio Reis – estreia mundial
Dias 09, às 20h e 10 de novembro, às 18h, no Guairinha

Sóror Mariana – Josianne Dal Pozzo
Conde de Chamilly – Odair C. Sebaniski
Abadessa – Dayane Bernardi
Sóror Inés – Dani Prim
Sóror Simôa – Kenya Horst
Sóror Agostinha – Silmara Campos
Bispo – Caê Vieira (São Paulo)
Piano – Jeferson Melo
Direção Geral – Gehad Hajar

Soror Mariana – Júlio Reis tinha um sonho: conseguir do escritor português Julio Dantas a autorização para transformar em ópera sua peça “Sóror Mariana”. Obtéve do Congresso Nacional uma dotação de 30 contos para a montagem da ópera – quantia que nunca viria a receber. As dificuldades fizeram com que ele não chegasse a orquestrar a ópera: compôs apenas a melodia básica e as partes dos cantores. Júlio Reis morreu no dia 20 de setembro de 1933. Durante anos, seu filho Frederico Mário dos Reis tentaria obter do governo brasileiro a liberação da verba aprovada em 1915 e que permitiria a conclusão e a encenação de “Sóror Mariana”. Frederico Mário morreu em 1992 sem realizar o sonho de seu pai.

 

O FILHO PRÓDIGO de Claude Debussy
Dias 10 e 11 de novembro, às 20h, no Guairinha

O filho pródigo – Com apenas 22 anos, Debussy venceu o concurso Prix de Rome, com a cantata “O Filho Pródigo” e poucos anos depois resolveu dedicar-se somente a compor.

 

O MORCEGO de Strauss
Dia 11 de novembro, às 16h, no Guairinha

O morcego – Nas vésperas de um baile na residência do príncipe Orlofsky, o barão deve se apresentar na prisão para cumprir oito dias por desacato a uma autoridade. Seu amigo, Dr. Falke, o convence a não se entregar naquela noite e ir ao baile. No ano anterior Falke, vestido de morcego, foi vitima de uma brincadeira de Eisenstein e abandonado, fantasiado e embriagado, em uma praça publica, virando motivo de chacota da população local pela manhã. Secretamente Falken convence a empregada, Adele a ir ao baile também, e depois a mulher de Eisentein, Rosalinde, para ir com uma máscara. Os próximos dois atos contam os encontros e desencontros dos personagens no baile e depois na delegacia de policia.


Concertos

MISSA DA COROAÇÃO e EXSULTATE, JUBILATE, de Mozart
Dias 03 e 05 de novembro, às 20h, no Guairão

Orquestra Sinfônica da Escola de Música e Belas Artes do Paraná, Coro Lírico de Curitiba e Coro Cidade de Ponta Grossa
Regência – Paulo Barreto

Exsultate, jubilate
Soprano – Ana Paula Machado

Missa da Coroação
Soprano – Ana Paula Brunkow
Mezzo – Adaile Domingues Koentopp
Tenor – Daniel Soufer
Barítono – Caê Vieira

Direção de Coro – Silvany de Mello
Regência de Coro – Jomar Lúcio de Lima
Maestro Coro Cidade de Ponta Grossa – Eudes Junior Stockler
Diretor der Produção – Gehad Hajar

RECITAL HUNGRIA
Dia 06 de novembro, às 20h, na Capela Santa Maria

Com a cantora Dorottya Bánkövi (Hungria) e Orquestra Ofilato

RECITAL DE PIANO
Dia 07 de no9vembro, |às 20h, na Capela Santa Maria

Programa com peças de Mozart, Beethoven, Liszt, Chopin e Debussy
Pianista – Jeferson Mello

CORO DA CIDADE DE PONTA GROSSA CANTA O PARANÁ
Dia 07 de novembro, às 20h, no Auditório do Centro de Música (Ponta Grossa)
Dia 08 de novembro, às 20h, na Capela Santa Maria

Coro da Cidade de Ponta Grossa (Fundação Municipal de Cultura de Ponta Grossa)

GALA LÍRICA
Dia 11 de novembro, às 18h, no Guairinha

Greatest Hits do repertório operístico
Soprano – Ana Paula Brunkow
Tenor – Jeferson Pires
Piano – Jeferson Melo

 

IV Festival de Ópera do Paraná – Staff

Direção Geral – Gehad Hajar
Direção Artística – Paulo Barreto
Direção de Produção – Silvany de Mello
Direção de Coro – Jomar Lúcio de Lima

Endereços

• Centro Cultural Teatro Guaíra (Guairão e Guairinha) – Rua XV de Novembro, 971 (Curitiba)
• Capela Santa Maria – Rua Conselheiro Laurindo, 273 (Curitiba)
• Auditório do Centro de Música – Rua Frederico W

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.