LateralMúsica de câmaraProgramaçãoRio de Janeiro

Quarteto Kalimera toca no Rio

Vencedor do Festival de Música da Rádio MEC 2018

Vencedor na categoria “Melhor Intérprete de Música Clássica”, o recém formado Quarteto Kalimera, composto por Luísa de Castro, primeiro violino, Tomaz Soares, segundo violino, Jessé Máximo Pereira, viola e Daniel Silva, violoncelo, nasce da vontade de seus integrantes de pesquisar e executar obras icônicas do repertório tradicional brasileiro e universal para dois violinos, viola e violoncelo. Objetiva aproximar o público desta formação, também através da inclusão de peças em seu repertório que façam pontes entre as linguagens musicais mais amplamente difundidas e as linguagens tradicionalmente encontradas no repertório para quarteto.

 

PROGRAMA

 Ernani Aguiar (1950)
Quatuor 
– Moderato
– Movido
– Lento
– Vivo

Felix Mendelssohn-Bartholdy (1809-1847)
String Quartet No. 4 in E minor, Op. 44, No. 2
– Allegro assai appassionato
– Scherzo: Allegro di molto
– Andante
– Presto agitato

Alberto Ginastera (1916 – 1983)
String Quartet No.1, Op. 20
– Allegro violento ed agitato
– Vivacissimo
– Calmo e poetico
– Allegramente rustico

 

Luísa de Castro – primeiro violino

Nascida na cidade do Rio de Janeiro, Luísa de Castro é recitalista, camerista e musicista de orquestra. Estudou violino com Shmuel Ashkenasi (Israel/EUA), Almita Vamos (EUA), Paulo Bosisio (Brasil) e Suray Soren (Brasil). Em 2014 e 2015, recebeu o Anna Schauffler Lockwood Award for Excellence in String Music e o Eckstein Fund Grant. Além disso, recebeu em 2007 o primeiro prêmio do 12o Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosisio – Categoria B (até 20 anos).

Nos EUA, foi violinista do Contemporary Music Ensemble da Northwestern University sob regência de Alan Pierson (Alarm Will Sound Ensemble, NYC, EUA). Neste ensemble, passa a colaborar com membros do ICE (International Contemporary Ensemble), do Ensemble Dal Niente, e com compositores tais como Ted Hearne, Esa-Pekka Salonen e David Lang. Como membro desse grupo, apresentou-se em salas como Pick-Staiger Concert Hall, Galvin Recital Hall e Millenium Park Jay Pritzker Pavillion (Chicago, IL, EUA). No Brasil, participou como intérprete das Bienais de Música Contemporânea Brasileira (FUNARTE-MINC) em 2009, 2011 e 2017.

Em 2016, participou do Pacific Music Festival no Japão, atuando sob a regência do diretor artístico do festival, Valery Gergiev, dentre outros. Participou de turnê naquele país apresentando-se em Sapporo (Kitara Hall), Hakodate e Tóquio (Suntory Hall). Também participou dos seguintes festivais: Chautauqua Music Festival, Youth Orchestra of the Americas – Turnê Estados Unidos e Canadá, Festival Internacional de Música Antiga e Música Colonial Brasileira de Juiz de Fora, entre outros. Já atuou como violinista convidada da Orquestra Petrobras Sinfônica e Orquestra Sinfônica Brasileira, Filarmônica de Minas Gerais, entre outras. Atualmente integra o naipe de primeiros violinos da Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense na posição de concertino.

Como spalla, atuou nas seguintes orquestras: Northwestern University Symphony Orchestra (EUA, 2016) Northwestern University Symphony Orchestra – Opera (EUA, 2016), Music School Festival Orchestra, Chautauqua (EUA, 2015), Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense (OSN-UFF), Niterói, Rio de Janeiro (2014), Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem (2010), dentre outras.

Mestre em Música pela Bienen School of Music – Northwestern University, Evanston, Illinois, EUA (2016) e Bacharel em Música com Habilitação em Violino pelo Instituto Villa-Lobos da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO  (2010), Luísa é apaixonada por música de todas as épocas e gosta de explorar novos sons e limites do seu instrumento.

 

Tomaz Soares, violino

Natural de Uberlândia, MG, Tomaz Soares é solista, recitalista, músico de câmara e músico de orquestra. Estudou violino com Shmuel Ashkenasi (EUA), Almita Vamos (EUA), Paulo Bosisio (RJ), Ricardo Amado (RJ), Klemes Pires (MG), dentre outros. Foi premiado com o Joy Trio no Honors Chamber Recital da Bienen School of Music. Em 2009, Tomaz recebeu o primeiro prêmio do 13o Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosisio – Categoria A (até 25 anos), dentre outras premiações no Brasil. Estreou inúmeras obras contemporâneas dos compositores A. Schubert, A. Neto, C. Senna, C. Soares, Eli-Eri Moura, E. Mahle, G, Beck, J. de Oliveira, L. Correa, L.C. Csekö, M.Lucas, N. Nassaro, P. Chagas, R. Levin, S. R. de Oliveira, dentre outros.

Participou como intérprete das Bienais de Música Contemporânea Brasileira (FUNARTE-MINC) e do Panorama da Música Contemporânea Brasileira (UFRJ). Como spalla, atuou em diversas orquestras como a Music School Festival Orchestra em Chautauqua, NY, EUA,  Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense, a Orquestra Sinfônica da Unirio e, mais recentemente da Sinfonietta Carioca.

Tomaz é Mestre em Música pela Northwestern University Bienen School of Music (EUA) e Bacharel em Música pela Unirio. Integra o Quarteto de Cordas da Universidade Federal Fluminense, o Quarteto Kalimera, a Orquestra Petrobrás Sinfônica, a Orquestra Johann Sebastian Rio e PAN Ensemble. Desde setembro de 2017, Tomaz é professor substituto de violino da Escola de Música da Universidade Federal do Rio de Janeiro além de lecionar em aulas particulares e na Academia Juvenil da OPES.

 

Jessé Máximo Pereira, viola

Natural do Rio de Janeiro, teve sua formação musical iniciada na igreja aos seis anos de idade. Com treze anos, começou a estudar viola no Conservatório de Música Villa-Lobos. Graduou-se em Viola na Unirio em 2008, sob a orientação do Professor Marco Antonio Lavigne e aperfeiçoou-se com Renato Bandel em São Paulo. Durante este período, participou de festivais em Campos do Jordão, Poços de Caldas, Petrópolis, Ex Toto Corde – USP e UNIRIO, tendo aulas com os professores Rainer Moog, Katrin Melcher, Esther Apituley, Michelle Lacourse, Ricardo Kubala, dentre outros.

Vencedor do Concurso Jovens Solistas da Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem, também foi premiado no Concurso Nacional de Cordas Paulo Bosísio, no I Concurso Nacional de Violistas (CONNVIO), no IV Festival Francisco Mignone de Jovens Intérpretes e no Internationaler Bodensee MusikWettbewerb, na Alemanha.

Apresentou-se como solista na OSB-Jovem e na Orquestra de Câmara da UNIRIO. Participou também de masterclasses de viola e música de câmara com Shlomo Mintz, Martin Ostertag, Miguel da Silva, Horácio Schaefer e Quatuor Ysaÿe. Trabalhou como músico na Orquestra Sinfônica Brasileira, Orquestra Petrobras Sinfônica e Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal do Rio de Janeiro. Em 2009, foi aprovado em concurso público para músico da Orquestra Sinfônica da UFRJ. Afastou-se do cargo e foi estudar na Alemanha, tendo obtido o Mestrado na Musikhochschule Karlsruhe, na classe do Professor Johannes Lüthy.

Durante sua estadia em Karlsruhe, participou de diversos cursos como a Penderecki Musik Akademie, Mattheiser Sommer Akademie e Internationalen Handel Akademie, tendo aulas com os professores Hartmut Rohde, Fabio Marano e Igor Budinstein. Integrou a Junge Deutsche Philharmonie, Young Generation Orchestra e Orquestra de Câmara da Musikhochschule Karlsruhe e atuou como músico convidado na Philharmonie Baden-Baden e Freie Philharmonie Stuttgart, sob regência de Krzysztof Penderecki, Mario Venzago, Kristjan Järvi, Yoel Gamzou, Pavel Baleff e Ilan Volkov em turnês pela Alemanha, França, Suíça, Holanda e Israel.

Atualmente, cursa o Doutorado em Música na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) sob orientação do Professor Emerson de Biaggi, integra o Quarteto de Cordas da Universidade Federal Fluminense e o Quarteto de Cordas Kalimera, ambos do Rio de Janeiro.

 

 Daniel Silva, violoncelo

Bacharel em Música – violoncelo pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) com pós-graduação em música de câmara pelo Conservatório Brasileiro de Música (CBM).

Natural do Rio de Janeiro, Daniel Silva iniciou seus estudos de violoncelo aos 13 anos na escola de música Villa-Lobos (Rio de Janeiro – RJ) com Nerisa Aldrighi, Atelisa Salles e Marcelo Salles. Em 2005, ingressou na Academia Petrobras Sinfônica onde ocupou a categoria de concertino do naipe de violoncelos até o fim de 2006. De 2008 a 2011, foi chefe de naipe dos violoncelos da OSBJ (Orquestra Sinfônica Brasileira Jovem).

Atuou como músico de orquestra e camerista onde se apresentou em salas de concerto como Sala São Paulo, Teatro da UFF, Sala Cecília Meireles, Theatro Municipal do Rio de Janeiro, Teatro Claudio Santoro, entre outras, onde teve a possibilidade de trabalhar com os mais importantes maestros da atualidade. Participou do Bayreuth Festival of Young Artists em 2008, Festival  Internacional de Campos do Jordão em 2009 e Festival de Juiz de Fora em 2010. Em 2010, foi convidado para participar da Orquestra Sinfônica CAF latino-americana sob a regência do Maestro Gustavo Dudamel. Em 2011, foi vencedor do concurso jovem solista OSBJ.

Recentemente, gravou o CD “O menestrel e o SertãoMundo”, compostas por Elomar (Figueira de Melo) onde foi solista. Se apresentou a frente da Orquestra Sinfonica Nacional – UFF como solista, interpretando Piazzolla. Atualmente, Daniel Silva é músico do Quarteto Kalimera, da Orquestra Sinfônica Nacional da UFF e atua como camerista e solista convidado.

 

 

SERVIÇO

 

Quarteto Kalimera

Dia 20 de janeiro, domingo, às 11h

Salão Nobre do Centro da Música Carioca Artur da Távola (Rua Conde de Bonfim 824 – Tijuca – Rio de Janeiro – RJ)

Ingresso: R$30 (inteira) R$15 (meia)

Classificação Indicativa:  Livre

 

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.