LateralMúsica sinfônicaProgramaçãoSão Paulo

OER faz concerto dedicado a César Franck e estreia nova série

Apresentação acontece no domingo (17), às 12h, no Theatro Municipal 

A Orquestra Experimental de Repertório (OER), sob a regência do maestro Thiago Tavares, apresenta um concerto dedicado à obra do compositor César Franck no domingo (17), às 12h, no Theatro Municipal de São Paulo. Com esta apresentação, os músicos estreiam a série Orquestrando Os Grandes Mestres que ao longo do ano irá homenagear Liszt, Chopin, Bach, entre outros.

Franck é considerado um dos principais compositores franceses da segunda metade do século 19. Abrindo o programa, a Orquestra Experimental executará Sonata para Violino e Piano que foi escrita inicialmente para dois instrumentos, no entanto será apresentada em sua versão para violino e orquestra realizada pelo próprio maestro titular da OER, Jamil Maluf, usando os 102 músicos. O violinista Cláudio Micheletti, spalla da OER, será solista nesta peça.

Ainda neste programa, os músicos executarão a grande obra de Franck, a Sinfonia em Ré menor, composta no século 19 na França em um momento em que a música orquestral francesa não era muito apreciada. “Ainda que existissem grandes obras sinfônicas como a Sinfonia Fantástica, de Hector Berlioz, e a Sinfonia nº 3, de Camille Saint-Saëns, não foi nesse grupo que a obra de Franck se inseriu. Com uma sonoridade alemã, buscando elementos de Richard Wagner e Franz Liszt, a sinfonia foge do nacionalismo francês – temática imprescindível para os franceses em um momento de guerra com a Alemanha (Guerra Franco-Prussiana) –; essa referência à estética alemã não foi vista com bons olhos pelos críticos da época”, explica o maestro Thiago Tavares.

O reconhecimento da obra veio tardia e particularmente após a morte do compositor. Inserido num momento de virada do romantismo para o pós-romantismo, as composições acompanharam as rápidas mudanças pelas quais passavam a Europa e contribuíram para uma espécie de “renascimento” da música instrumental na França.

 

Série Orquestrando os Grandes Mestres

Ao longo de 2019, a Orquestra Experimental de Repertório apresentará importantes obras que originalmente foram escritas para um determinado instrumento, como por exemplo piano, e depois foram recriadas por orquestradores que transformaram a peça em obra para orquestra sinfônica. “Vamos pegar o exemplo da obra ‘Quadros de uma Exposição’, de Mussorgsky, escrita para piano solo, e que depois foi orquestrada por Maurice Ravel, orquestração essa que acabou se tornando até mais famosa e popular que a versão original”, explica o maestro Jamil Maluf, idealizador da série.

 

PROGRAMA

César Franck
Sonata para Violino e Piano
– Versão para Violino e Orquestra de Jamil Maluf – 2009

César Franck
Sinfonia em Ré menor

 


SERVIÇO

 

Orquestrando os grandes mestres – Orquestra Experimental de Repertório

 

Dia 17 de fevereiro, domingo, às 12h

Theatro Municipal SP (Praça Ramos de Azevedo, s/no. – Centro – SP – 11 2626 0857)

 

Ingressos: R$ 20,00 / R$15,00 / R$10,00

*Ingressos na bilheteria do Theatro Municipal de São Paulo ou pelo site eventim.com.br.

Horário da Bilheteria do Theatro Municipal: De segunda a sexta-feira, das 10 às 19h, e sábados e domingos, das 10 às 17h.

Indicação etária: livre

 

 

 

Orquestra Experimental de Repertório

A Orquestra Experimental de Repertório (OER) foi criada em 1990 a partir de um projeto do Maestro Jamil Maluf, e oficializada pela Lei 11.227, de 1992. A OER tem por objetivos a formação de profissionais de orquestra da mais alta qualidade, a difusão de um repertório abrangente e diversificado, que mostre o extenso alcance da arte sinfônica, bem como a formação de plateias. Suas várias séries de concertos com renomadas estrelas da música erudita e popular, bem como suas montagens de óperas, balés e gravações para TV, compõem uma programação que, há vários anos, vem conquistando público e crítica. Entre os vários prêmios que recebeu está o Prêmio Carlos Gomes, como destaque de música erudita.

De 2014 a 2016, a OER foi dirigida pelo Maestro Carlos Moreno, e voltou a ter o Maestro Jamil Maluf como seu Regente Titular a partir de 2017, com o Maestro Thiago Tavares como Regente Associado.

 

Jamil Maluf – Regente titular da OER

Jamil Maluf graduou-se em regência orquestral pela Escola Superior de Música, em Detmoldi, na Alemanha. Durante sua permanência na Europa, atuou como regente convidado de diversas orquestras e participou dos Seminários Internacionais para Regentes, em Trier, com o Maestro Sergiu Celibidache. Foi diretor artístico e regente titular da Orquestra Sinfônica Jovem Municipal e, em 1990, criou a Orquestra Experimental de Repertório, a qual conduz com grande sucesso.

Por cinco vezes foi distinguido com o prêmio de Melhor Regente de Orquestra pela APCA. Recebeu, também, o Prêmio Carlos Gomes de Melhor Regente de Ópera e o Prêmio Maestro Eleazar de Carvalho de Personalidade Musical do Ano, concedido pelo Governo do Estado de São Paulo, entre outros prêmios. De 1987 a 1992, apresentou o programa de música clássica Primeiro Movimento na TV Cultura. De 2005 a 2009, foi diretor artístico do Theatro Municipal de São Paulo. Em 2015, assumiu também o posto de regente titular e diretor artístico da Orquestra Sinfônica de Piracicaba.

 

Thiago Tavares – Regente assistente da OER

Bacharel em regência pela USP, estudou com os maestros Marco Antonio da Silva Ramos e Aylton Escobar, e com o violonista Edelton Gloeden. Seus principais orientadores são os maestros Jamil Maluf – regente titular da OER –, Ligia Amadio, Alberto Roque Santana e Jonathan Brett. Estudou violão com João Luiz (Brazil Guitar Duo) e é formado em violão erudito pelo Conservatório Arte Musical de Osasco – onde foi também professor. Participou de cursos na Rússia, Espanha e Argentina.

Foi maestro assistente da OER entre 2011 e 2014, reassumiu a função em 2017. Entre os diversos concertos sinfônicos, cênicos e didáticos que realizou com a OER destaca-se sua estreia no gênero operístico com The Rake’s Progress, de Igor Stravinsky, alternando com Jamil Maluf, em 2013. Em 2015 e 2017, assina a direção musical do Projeto Ópera na Escola da Tulipa Produções Artísticas. Regente titular de diversos coros, atua como maestro convidado em orquestras nacionais e internacionais. Participou das temporadas de 2015, 2016, 2017 e 2018 da Orquestra Sinfônica de Piracicaba e da temporada de 2017 da Orquestra Filarmônica de Montevidéu.

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.