LateralMusicalProgramaçãoSão Paulo

“Aparecida” – musical de Walcyr Carrasco

História emocionante de fé indicada para pessoas de todas as religiosidades

O espetáculo

Uma história emocionante de fé indicada para pessoas de todas as religiosidades, APARECIDA, com texto de Walcyr Carrasco e direção de Fernanda Chamma, estreia no Teatro Bradesco SP, dia 22 de março.

O espetáculo tem música original e direção musical de Carlos Bauzys, letras originais de Ricardo Severo, cenografia de Richard Luiz, figurinos de Fábio Namatame, desenho de luz de César de Ramires, desenho de som de Gabriel D’Ângelo e produção da MPCult.

Com um elenco de 33 artistas e 12 músicos, foram criadas 20 canções originais, dezenas de figurinos e cenários grandiosos, a superprodução musical para contar a história de Nossa Senhora Aparecida, um dos maiores símbolos de fé dos brasileiros há mais 300 anos, cujo santuário recebe mais de 17 milhões de fiéis por ano.

 

O elenco

Leandro Luna (de Pacto – A História de Leopold & Loeb) e Bruna Pazinatto (de Os Dez Mandamentos – O Musical) serão Caio e Clara, os protagonistas do musical.

Também estão no elenco principal Edson Montenegro (narrador), Frederico Reuter (Padre Lino), Nábia Vilela (Maria Helena), Arthur Berge (Rogério), Reynaldo Machado (Zacharias), Cadu Batanero (Cavaleiro), Talita Real (Romeira 1), Alessandra Vertamatti (Romeira 2), Pâmella Machado (Romeira 3), Ditto Leite (Pescador 1), Marcelo Vazques (Pescador 2), Daniel Cabral (Padre redentorista 1), Rubens Caribé (Feitor).

Além destes atores, também estarão no ensemble: Keila Bueno, Rafael Machado, Ygor Zago, Lucas Nunes, Tutu Morasi, Gigi Debei, Isabela Castro, Nina Sato (swing feminino) e Guilherme Pereira (swing masculino e dance captain).

 

Bruna Pazinatto e Leandro Luna

 

Os milagres

Contam os antigos que um homem, de passagem por Aparecida, presenciando a fé de diversos romeiros que assistiam à missa resolveu entrar na igreja a cavalo. O intuito era claro: zombar dos fiéis. Mas o que ele não esperava era que as patas do animal ficassem presas em uma pedra na escadaria do templo religioso.

Há quem se recorde ainda da história do escravo Zacarias que, fugido de uma fazenda no Paraná, foi capturado no Vale do Paraíba. Quando ele estava sendo levado de volta, acorrentado, fez uma oração em frente a uma capela, em Aparecida. Rezou com tanta devoção que as argolas e correntes se arrebentaram, caindo no chão.

 

O musical

Depois de um processo de audição com mais de 800 inscritos, a produção do espetáculo “Aparecida – um musical” decidiu-se pelos nomes das estrelas que darão vida à história de Nossa Senhora Aparecida, a santa católica conhecida como a Padroeira do Brasil.

Alguns milagres estão presentes em “Aparecida – Um Musical”, de Walcyr Carrasco. Com estreia agendada para 22 de março de 2019, no teatro Bradesco, o espetáculo promete uma surperprodução, com mais de 150 pessoas diretamente envolvidas, incluindo equipe técnica e produção, cerca de 30 atores, cantores e bailarinos e uma moderna tecnologia, que irá retratar a história de Nossa Senhora desde o encontro da imagem no rio Paraíba do Sul até as basílicas velha e nova, a quebra da imagem, em 1978 e o retorno dela após o restauro.

Produtora responsável pelo projeto, Maria Eugenia Malagodi amadureceu a ideia do musical a partir das homenagens aos 300 anos do encontro da imagem nas águas do rio. “Quando começaram os movimentos das comemorações dos 300 anos, em 2015, eu, como produtora e consultora de leis de incentivo à cultura, pensei: Fazem musical de todo o mundo, porque a gente não conta essa história linda no palco do teatro?‘.

Maria Eugênia então apresentou a ideia ao Santuário Nacional. Na época, dom Darci Nicioli (na ocasião Arcebispo de Aparecida e atualmente na Arquidiocese de Diamantina), não só autorizou a produção como a incentivou. “É um grande desafio porque eu não tenho o porte dos grandes produtores. Mas tudo com ela dá certo”, disse Maria.

Assim, o espetáculo foi escrito por Carrasco e conta com direção e coregrafias de Fernanda Chamma e direção musical assinada por Carlos Bauzys.

O fio condutor do musical é a história de Caio e Clara, um jovem casal sem crença ou religião que reside na cidade de São Paulo do tempo presente. Na trama, eles vão embarcar em uma jornada de descobrimento espiritual na esperança de conseguir a cura de um câncer no cérebro de Caio. A doença pode, no mínimo, cegá-lo de maneira irreversível e interromper sua promissora e ambiciosa carreira de advogado.

Para fazer a dinâmica do espetáculo, iremos usar muita tecnologia com projeções, como projeção mapeada, efeitos de luz, tudo isso para fazer com que o espetáculo tenha um encantamento e consiga passar para a plateia toda a magia e a força dessa história tão importante“, explicou o diretor de vídeo-Cenário, Richard Luiz, na página oficial do Santuário Nacional.

 

Estreia em musicais

Walcyr Carrasco

Essa é a primeira vez que Carrasco encara o desafio de fazer um teatro musical. “O que me inspirou foi Nossa Senhora Aparecida. Sou devoto, acredito, faço pedidos. Quando surgiu o convite para escrever o musical, fiquei na dúvida sobre como eu ‘pegaria’ o musical. Então encontrei um casal que, por mero acaso, sentou comigo no avião e o rapaz contou que havia tido uma intervenção de Nossa Senhora Aparecida muito atual. Ou seja, não há só os milagres do passado, a santa continua nos abençoando”, afirmou ele durante visita da TV Aparecida aos bastidores da produção.

Carrasco é o autor da novela “A Padroeira”, exibida pela Globo, em 2001, e pela própria TV Aparecida. “A novela era centrada no início da devoção. Aqui, eu posso contar a história inteira. O palco permite essa transição rápida de épocas. E o que eu conto – que é muito forte e não apareceu na trama da novela – foi quando a santa sofreu um atentado e como ela foi salva, reconstituída e devolvida aos seus fiéis.”

Continua Walcyr: “Não haverá uma atriz para Nossa Senhora porque se trata de uma estátua que é a manifestação de Maria. Vou contar a história de como a santa foi encontrada no rio e seus milagres“. O escritor é devoto da santa: “Eu até escrevi uma novela sobre Nossa Senhora Aparecida, que foi ‘A Padroeira'”, lembra. Para ele, não chega a ser um problema se dividir entre um musical e uma novela das nove ao mesmo tempo: eu sempre conciliei livros, teatro e TV”.

 

SERVIÇO

Dias 22, 23, 24, 25, 28, 29, 30 e 31 de março
Dias 05, 06, 07, 12, 13, 14, 19, 20 e 21 de abril

Horários:
– às sextas-feiras: 21h
– aos sábados: 16h e 21h
– aos domingos: 15h e 19:30h

 

Teatro Bradesco SP (Rua Palestra Itália, 500 – Perdizes, São Paulo/SP – 11 3670 4100)

Classificação Etária: Livre. Menores de 14 anos, somente poderão entrar acompanhados dos pais ou responsáveis.
Crianças até 24 meses de idade que ficarem no colo dos pais, não pagam.

Bilheteria do Teatro Bradesco São Paulo – 3º Piso do Bourbon Shopping São Paulo

Rua Palestra Itália, nº 500 • Loja 263 • 3° Piso – Perdizes • São Paulo • SP

Horário de Funcionamento: Domingo a Quinta das 12 às 20h | Sexta e Sábado das 12 às 22h.

 

OUTROS PONTOS DE VENDA (Sujeitos à taxa de conveniência)

Uhuu: www.uhuu.com

 

Ingressos
 

Quinta-feira, Sexta-feira e Domingo, às 15h e Dias de Semana
SetorValor
Balcão Nobre:R$ 75,00
Frisas 3º Andar:R$ 75,00
Frisas 2º Andar:R$ 75,00
Frisas 1º Andar:R$ 100,00
Plateia O a W:R$ 140,00
Camarotes:R$ 150,00
Plateia J a N:R$ 160,00
Plateia Gold (A a H): R$ 200,00

 

 

Sábado, às 16h e 21h e Domingo, às 19h30
SetorValor
Balcão Nobre:R$ 75,00
Frisas 3º Andar:R$ 75,00
Frisas 2º Andar:R$ 75,00
Frisas 1º Andar:R$ 120,00
Plateia O a W:R$ 150,00
Camarotes:R$ 160,00
Plateia J a N:R$ 180,00
Plateia Gold (A a H): R$ 220,00

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.