LateralMúsica de câmaraProgramaçãoRio de Janeiro

Dell’Arte apresenta Antônio Menezes e Cristian Budu

Antônio Menezes foi membro do lendário Trio Beaux Arts

A Dell’Arte traz aos nossos ouvidos o grande violoncelista brasileiro Antônio Menezes, acompanhado do pianista Cristian Budu. Um concerto de mestres com um programa muito interessante.

Antônio Menezes – violoncelo

Antônio Menezes

Medalha de Ouro no Concurso Tchaikovsky de Moscou. O violoncelista tem se apresentando nas capitais musicais da Europa, Américas e Ásia, como solista das principais orquestras do mundo, em Berlim, Londres, Amsterdam, Viena, Paris, Praga, Moscou e São Petersburgo, Munique, Nova York, Filadélfia, Washington D.C. e Tóquio, entre outras.

Dentre os regentes com os quais se apresentou, destacam-se os nomes de Claudio Abbado, Gerd Albrecht, Herbert Blomstedt, Semyon Bychkov, Riccardo Chailly, Sir Andrew Davis, Charles Dutoit, Daniele Gatti, Neeme Järvi, Mariss Jansons, Herbert von Karajan, Riccardo Muti, Eiji Oue, André Previn, Mstislav Rostropovitch, Kurt Sanderling, Yuri Temirkanov e Christian Thielemann.

Músico de câmara devotado, Antônio Menezes foi membro do lendário Trio Beaux Arts entre outubro de 1998 e setembro de 2008. Colaborou com o Quarteto Vermeer em turnês e se apresenta em concertos de música de câmara e em duos com pianistas como Menahem Pressler e Maria João Pires.

No que tange às gravações, Menezes fez dois registros para a Deutsche Grammophon, com Herbert von Karajan e a Orquestra Filarmônica de Berlim (o Concerto Duplo de Brahms, com Anne-Sophie Mutter e Dom Quixote de Richard Strauss). Lançou as obras completas para violoncelo de Villa-Lobos (Auvidis France e Bis), David Popper e CPE Bach (Pan Records).

Suas gravações para a AVIE incluem as Seis Suítes para Violoncelo, de Bach, as obras completas para violoncelo e piano de Schubert e Schumann com Gérard Wyss; um CD Beethoven com Menahem Pressler, os Concertos para Violoncelo, de Haydn, o Concertino, de Clóvis Pereira com a Royal Northern Sinfonia, e um CD com concertos de Elgar e Gál com a Royal Northern Sinfonia e Cláudio Cruz, que foi indicado para o Prêmio Grammy na categoria “Melhor Solo Instrumental Clássico”.

Antônio Menezes gravou com o mesmo grupo, a Royal Northern Sinfonia, dirigida por Cláudio Cruz, também para a AVIE, os concertos de Schumann e Volkmann, além das Variações Rococó de Tchaikovsky. Sua primeira gravação com Maria João Pires, The Wigmore Hall Recital, foi lançada em setembro de 2013 pela Deutsche Grammophon.

Destaques recentes incluem apresentações com a Orquestra Sinfônica da BBC e Maxim Vengerov, no Barbican Centre, e nos Festivais Internacionais de Aldeburgo e Edinburgo, além de recitais no Wigmore Hall. Também estão previstos projetos de turnês com Maria João Pires dentre outros.

Na temporada de 2016-2017, apresentou-se com a Orquestra Sinfônica de Québec, Orquestra da Fundação Gulbenkian em Lisboa e América do Sul, tendo sido convidado para concerto com orquestra, recital e “masterclass” pela Bienal de Violoncelo de Amsterdam. Seus compromissos também incluíram apresentações com orquestras polonesas.

Além de sua sobrecarregada agenda de concertos, ministra regularmente “masterclasses” na Europa (Cremona, Accademia Musicale Chigiana de Siena, Escuela Superior de Música Reina Sofia), Américas (Domaine Forget) e Japão (Universidade de Tóquio), e, ainda, leciona no Conservatório de Berna desde 2008.

 

Cristian Budu – piano

Cristian Budu

Brasileiro de origem romena, o jovem pianista Cristian Budu é considerado um dos expoentes de sua geração. Dotado de uma musicalidade genuína e de calorosa força de comunicação, sua personalidade artística vem sendo internacionalmente reconhecida. Desde muito jovem, conquistou os primeiros lugares em diversos concursos nacionais, como o Concurso Nélson Freire e o programa Prelúdio, da TV Cultura.

Em 2013, aos 25 anos, tornou-se o primeiro brasileiro a obter o Grande Prêmio — além de dois prêmios extras, incluindo o prêmio do público — do Concurso Internacional Clara Haskil, na Suíça, um dos mais importantes e prestigiados do cenário mundial, que elege um único ganhador por edição (e às vezes nenhum).

Laureados anteriores incluem nomes como Christoph Eschenbach, Mitsuko Uchida e Evgeni Korolyov. Este prêmio foi considerado pela crítica especializada como a mais importante conquista obtida por um pianista brasileiro nos últimos 22 anos. A partir daí, Cristian foi lançado numa vitoriosa carreira internacional.

Cristian venceu, também, o Prêmio 2013 na Categoria Jovem Talento da revista Concerto, que o convidou para gravar o CD do ano de 2015, distribuído para seus assinantes. No mesmo ano, o pianista também foi convidado para gravar um CD solo comercial, pelo selo Claves, na Suíça.

Budu já se apresentou nos festivais J. S. Bach na Suíça, na série “Rising Stars” do Frankische Musiktage, na Alemanha, no da Radio France, no de Delft, na Holanda, no Rockport Music Festival, nos EUA, no Internacional de Campos do Jordão, no qual também integrou o corpo docente. Cristian também levou sua arte à série da OSESP em 2015 e 2016.

Apresentou-se ainda com o Quarteto de Cordas da Cidade de São Paulo e, entre outras, com as orquestras Sinfônica de Lucerna, Sinfônica de Jerusalém, Suisse Romande, Sinfônica da Rádio de Stuttgart, Emil Nichifor (Romênia), Sinfônica Brasileira, Filarmônica de Montevideo, Filarmônica de Minas Gerais, Petrobrás Sinfônica e Sinfônica do Paraná, entre tantas outras.

Como solista, atuou em salas como o Jordan Hall, Liederhalle, Ateneu de Bucareste e Sala São Paulo. Reconhecido também por sua sensibilidade camerística, Cristian já dividiu o palco com artistas como Christian Poltera, Jennifer Stumm, Rick Stotijn, Alexandra Soumm, Giovanni Gnocchi, Joseph Conyers e Semion Gavrikov.

Atualmente, também atua em duo com a violinista suíça Esther Hoppe, vencedora do Concurso Internacional Mozart e que leciona no Mozarteum, em Salzburg. Em Boston, Cristian integrou um quarteto especializado em música brasileira, que venceu, em 2013, o “Honors Competition” do New England Conservatory, na categoria “Improvisação Contemporânea”.

Graduou-se em música pela Universidade de São Paulo, onde teve como professor o pianista Eduardo Monteiro. Anteriormente, foi aluno de Elsa Klebanovsky, Marina Brandão e Cláudio Tegg. Nos Estados Unidos, tornou-se mestre em execução pianística sob a tutela de Wha-Kyung Byun.

 

PROGRAMA

Johann Sebastian Bach 
Sonata N° 1 para viola da gamba e contínuo em Sol maior, BWV 1027 
– Allegro ma non tanto
– Andante
– Allegro moderato
Versão para violoncelo e piano

Heitor Villa-Lobos
Sonata N° 2 para violoncelo e piano
– Allegro molto
– Andante cantábile
– Scherzo: Allegro
– Vivace sostenuto

Johann Sebastian Bach 
Sonata N° 2 para viola da gamba e contínuo em Ré maior, BWV 1028
– Adagio
– Allegro
– Andante
– Allegro
Versão para violoncelo e piano

Heitor Villa-Lobos 
Bachianas Brasileiras N° 5
– Ária . Cantilena

Johann Sebastian Bach
Sonata N° 3 para viola da gamba e contínuo em Sol menor, BWV 1029
– Vivace
– Adagio
– Allegro
Versão para violoncelo e piano

Heitor Villa-Lobos 
Bachianas Brasileiras N° 2
– O trenzinho do Caipira

 


SERVIÇO

 

Antônio Menezes, violoncelo – Cristian Budu, piano

 

Dia 21 de março, quinta-feira, às 20h

Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Floriano, s/n – Cinelândia – Rio – 21 2332 9191)

 

Ingressos
– Frisa e Camarote: R$ 2.580
– Plateia e Balcão Nobre: R$ 430
– Balcão Superior: R$ 215
– Galeria: R$ 105

 

Formas e condições de pagamento:

Internet: www.dellarte.com.br/concertos

Telefone: 3179-6521 ou 3179-6522

 

Faça seu comentário
movimento.com
Responsável pela inclusão de programação e assuntos genéricos no blog.