Escrito por em 29 maio 2019 nas áreas Lateral, Música sinfônica, Programação, Rio de Janeiro

Concerto terá violinista Ricardo Amado e regência de Jésus Figueiredo

Depois de ter participado, este ano, do concerto Cezar Frank na Sala Cecília Meireles, do concerto “Côndor”, do balé “As noites de Berlioz” e da ópera “Os contos de Hoffmann”, a Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal será o centro das atenções dia 2 de junho, domingo. Às 11h, promove a reedição do Municipal a R$1,00.  A OSTM irá executar a mais famosa obra do compositor alemão Max Bruch, o Concerto nº 1 Opus 26 para violino e orquestra, tendo como solista o violinista Ricardo Amado, spalla da orquestra.

Max Bruch é um clássico representante da música romântica, com obras complexas e muito bem estruturadas em suas formas musicais. Serão executadas, também, duas obras de Ludwig Van Beethoven, a Abertura Coriolano Opus 62 e a Sinfonia n° 1 Opus 21.

A regência ficará a cargo de Jésus Figueiredo, maestro titular do coro do Theatro Municipal, onde trabalha ininterruptamente desde 1999, atuando também junto à Orquestra Sinfônica do TMRJ na preparação de óperas e dirigindo concertos.

O solista Ricardo Amado é natural de Uberlândia (MG) e graduou-se em Licenciatura em Música na UnB, Universidade de Brasília. Já se apresentou como solista de diversas orquestras. É spalla do Theatro Municipal desde 2002, e da Orquestra Petrobrás Sinfônica, desde junho de 2013.

 

Um pouco mais sobre o repertório

Bruch é um clássico representante do Romantismo. Sua música, assim como a de Brahms, é considerada de linha mais conservadora e antagônica à chamada música nova, adotada por compositores como Franz Liszt e Richard Wagner. Serão apresentadas, também, duas obras do compositor Ludwig Van Beethoven, a Abertura Coriolano Opus 62 e a Sinfonia n°1 Opus 21.

Coriolano foi um general do exército romano que, se sentindo injustiçado por alguns senadores, se aliou a antigos inimigos do império e planejou atacar e invadir Roma. Porém, apesar de estar tomado pela fúria e desejo de vingança, é dissuadido por sua mãe, que suplica docemente para que renuncie ao plano. O contraste entre a fúria do general e a doce súplica de sua mãe é descrito magistralmente por Beethoven nessa curta e impressionante obra musical.

 

Beethoven é reconhecido como um dos maiores gênios da música de todos os tempos. Nessa obra, ele mostra sua genialidade já no primeiro  acorde,  quando, fazendo uso de uma harmonia considerada muito dissonante para os padrões da época, modulante e em um tom diferente da tonalidade da sinfonia (Dó maior), certamente causou forte impacto aos espectadores naquele período, mas que, sem dúvida, continua encantando as plateias até os dias de hoje.

 

PROGRAMA

Beethoven
Abertura ‘Coriolano’ Opus 62

Beethoven
Sinfonia nº 1 Opus 21

Max Bruch
Concerto nº 1 Opus 26 para violino e orquestra

 

 

SERVIÇO

 

Orquestra Sinfônica do Theatro Municipal

Dia 2 de junho, domingo, às 11h 

Theatro Municipal do Rio de Janeiro (Praça Floriano s/n° – Centro – 2332 9191)

 

Ingressos: Municipal a R$ 1,00

Plateia e balcão nobre – R$ 1,00

Balcão superior – R$ 1,00

Balcão superior lateral – R$ 1,00

Galeria – R$ 1,00

Galeria lateral – R$ 1,00

Ingressos somente na bilheteria (abertura das vendas às 10h00 no dia do espetáculo)

 

Faça seu comentário