Escrito por em 20 maio 2019 nas áreas Lateral, Música de câmara, Programação, Rio de Janeiro

 4º Concerto da Série Música nas Estrelas

“Maria Helena de Andrade realiza com êxito a dionisíaca Festa no Sertão e à Valsa da Dor imprime a indispensável triste nostalgia. Todo o repertório brasileiro é interpretado com grande interesse e dificilmente poderia ser apresentado com mais autenticidade de estilo”. (Calum Mac Donald/Piano International, Londres).

“Sua execução transmite garra e inteligência musical” (Luiz Paulo Horta/Jornal do Brasil). 

“Uma das mais bem-dotadas e notáveis pianistas brasileiras. Sem forçar a nota poética, pode-se chamar de lirial a musicalidade que espargiu na série de composições que apresentou em seu festejadíssimo recital, tal a pureza e a autenticidade das intenções interpretativas que a guiam”. (Eurico Nogueira França/Jornal do Commércio)

“Uma das mais exímias pianistas brasileiras. Finura e elegância são os traços definidores da conduta instrumental de Maria Helena de Andrade”. (Carlos Dantas/Tribuna da Imprensa

 

Maria Helena de Andrade

Nasceu em Belém e diplomou-se em piano pelo Conservatório Carlos Gomes. Mestra em Música pela UFRJ, onde foi aluna de Jacques Klein e Heitor Alimonda, defendeu tese sobre Francisco Mignone, que compôs uma suíte especialmente para o assunto de sua tese e escreveu sobre a autora: veio, viu e venceu. Aperfeiçoou-se com Oriano de Almeida e Homero de Magalhães.

Lecionou na UFRJ, UFPa e na Pró Arte. Atualmente, é professora do Conservatório Brasileiro de Música. Integrou o coral Ettore Bosio, participando de concertos sob a regência de Waldemar Henrique e Nélson Nilo Hack, e o Duo Pianístico da UFPa, participou da Rede Nacional da Música (FUNARTE) e publicou “Bach- A Arte da Fuga” e “Beethoven- obra para piano a quatro mãos”.

Como solista e camerista, exerce intensa atividade. Nas mais renomadas salas de concerto do país, tocou sob a regência dos maestros Alceo Bocchino, Henrique Morelenbaum, Armando Prazeres, Roberto Duarte, André Cardoso e Anderson Alves. Atuou diversas vezes em Paris, tomando parte nas comemorações oficiais do Ano Internacional Villa-Lobos e do Ano do Brasil na França, com palestra e recital na Sorbonne.

Em suas turnês, apresentou-se em Londres (Saint Martin in the Fields), Amsterdam, Buenos Aires, Madri, Santiago de Compostela, Guadalajara, Lisboa, Coimbra e no Porto, algumas vezes como solista, outras integrando o Duo Pianístico da UFRJ, que também realizou recitais nos Estados Unidos (OEA e Kennedy Center), na Áustria, Suécia (Sala do Trono do Palácio Real de Estocolmo), México e Alemanha (Copa da Cultura).

Gravou diversos discos, que receberam elogiosas críticas, inclusive da revista Piano International (Londres), além de programas para rádio (incluindo a BBC) e televisão. Com a pianista Sônia Vieira, lançou os CDs “Sarau de Sinhá” e “Brasil a 4 mãos”. Integrando o Trio d’Ambrosio, realizou o projeto “FRANCISCO MIGNONE: documentação e registro sonoro da obra de seu heterônimo CHICO BORORÓ”, e apresentou-se em Belgrado, Madri e San Lorenzo de El Escorial.

Participou do júri de destacados concursos nacionais e internacionais, como o Concurso Internacional de Piano Pilar Bayona, em Saragoza, Espanha, e o XIII e XV Concursos Internacionais J. S. Bach, em Paris. Atuou na organização de eventos culturais como presidente e diretora artística da Associação dos ex-Professores da Escola de Música da UFRJ e Supervisora do seu Setor Artístico, Diretora Artística do projeto “Ritmos Universais” (H. Stern), dos Seminários de Música Pró Arte e do Centro Cultural Francisco Mignone. Seu projeto “Do outro lado do Carnaval”, realizado no Centro Cultural Banco do Brasil, foi reapresentado na Sala Baden Powell e na Academia Brasileira de Letras.

Membro titular da Academia Brasileira de Arte, Sócia Correspondente da Academia Paraense de Música e presidente do Instituto Cultural Brasil-Rússia Mikhail Lermontov. Recebeu diversos prêmios, medalhas e títulos.


PROGRAMA

Johann Sebastian Bach (1685-1750)
Prelúdio para órgão em Sol Menor, BWV 535, ca. 1705
– Transcrição para piano de Alexander Siloti

Ludwig van Beethoven (1770-1827)
6 Valsas do Livro de 15 Valsas
N°s:  1; 3; 7 (Esperança); 8 (O Desejo)*; 9 (A Dor); e 15
– * Autoria desta valsa é, por alguns editores, atribuída a Schubert (Nota de Arthur Napoleão)

Frédéric Chopin (1810-1849)
Berceuse, Andante, em ré bemol maior, Op.57, 1844
Tarantella, Presto, em Lá bemol maior, Op 43, 1841

Frédéric Chopin (1810-1849)
Trois Nouvelles Études B.130, 1839
Nº 1 Andantino em fá menor
Nº2 Allegretto em lá bemol maior
Nº3 Allegretto em ré bemol maior

Isac Albeniz (1860-1909)
Córdoba, 4ª das 5 peças de Cantos de España, Op 232, 1892

Manuel de Falla, (1876-1946)
Danza del molinero, 2ª dança do 2º ato (final) do balé El sombrero de trés picos, IMF 15, 1919  
Danza  ritual del  fuego, 7ª cena, do balé El Amor brujo (versão original Gitanería, 1915
Versão final Ballet-pantomime, com 13 cenas, ca.1920; redução para piano, 1921), IMF1

 

 

SERVIÇO

 

Série Música Clássica nas Estrelas – Maria Helena de Andrade, piano solo

Dia 25 de maio, sábado, às 17h

Planetário da Gávea – Grande Cúpula Carl Sagan (Rua Vice-Governador Rubens Berardo, 100 – Gávea – Rio)

 

Ingressos: R$30,00 (inteira) e R$15,00 (meia)

Maiores de 60 anos, professores e estudantes pagam meia entrada.

Entrada franca para servidores municipais

Classificação: Livre

 

Vídeo: 

https://www.youtube.com/watch?v=R5hoxBiA8bo&feature=youtu.be

 

Faça seu comentário